N?o e somente para consertar uma parte do revestimento de parede que as pessoas buscam os azulejos antigos. Muitos preferem o estilo mais velho para dar um toque especial ao ambiente

Visitar um museu do azulejo e bem diferente do que se pode imaginar. Nada de obras de arte conservadas em paredes impecaveis. Encontramos filas de prateleiras separadas por corredores cheios de caixas de papel?o antigas e gastas. Dentro delas est?o verdadeiras reliquias que n?o s?o mais produzidas ha anos.

VEJA A GALERIA DE FOTOS

Quem procura um museu ou cemiterio de azulejos n?o e alguem que quer descobrir historia, mas sim uma pessoa que teve um problema em casa e precisou quebrar a parede da cozinha ou do banheiro para consertar. Os mais precavidos guardam sobras para ajustes. Mas quem n?o tem precisa correr atras do prejuizo.

A variedade de modelos e enorme, mas n?o da para dizer qual deles sera mais vendido. Certa vez, comprei 10 caixas de um azulejo e pensei que poderia ficar muito tempo em estoque. Vendi todas na primeira semana, comenta o comerciante Mario Miyazaki, proprietario do Cemiterio dos Azulejos, em S?o Paulo.

Ha 27 anos no mercado, o comerciante conta que adquire as pecas em pontas de estoque de lojas de material de construc?o, de demolic?o e sobras de construtoras. Tudo vira material para o estoque, guardados por dias ou anos a fio. Para se ter uma ideia, alguns modelos ja saem de linha apos um ano do lancamento.

Multipla escolha

Raridades s?o facilmente encontradas decadas apos o fechamento das industrias, como azulejos das marcas Matarazzo, Martini, Santana. Mas n?o da para dizer que estes s?o os mais procurados. Geralmente, s?o as tonalidades de bege e amarelo, mas tem de tudo. O mais procurado e o que o cliente precisa na hora, diz o comerciante Lourival Arlindo Martins, dono da Soluc?es dos Azulejos e Pisos Antigos, tambem em S?o Paulo, e ha 15 no mercado.

Modelos portugueses s?o mais encomendados para decorar ambientes novos no estilo colonial, revestindo apenas uma parede, um canto especial da casa ou mesmo para fazer um mosaico. Pedreiros, donas de casa, decoradores e arquitetos vem comprar aqui. Ja tive clientes que vieram comprar a pedido de Roberto Carlos, Golias, Eva Wilma Marcos Caruso, Raul Cortez, Gilliard e Paulo Maluf, conta Mario Miyazaki.

Por se tratar de um produto que saiu de linha, esses azulejos s?o cobrados com preco maior em relac?o aos que ainda est?o no mercado. A peca, no tamanho 15 x 15, custa de R$ 2 a R$ 2,5. Ja os maiores chegam a custar R$ 8. Para se ter uma ideia, o metro quadrado gira em torno de R$ 88 a R$ 100.

E se voce tiver o azar de n?o encontrar o modelo certo n?o precisa se preocupar. A maioria das lojas faz uma busca entre os concorrentes para n?o deixa-lo na m?o. N?o achando, podemos ainda mandar fazer um igualzinho. Nos copiamos a mostra antiga, passamos o desenho em silk-screen para ent?o queimar o azulejo em uma temperatura entre 900?C e 1.500?C. Fica perfeito, explica Miyazaki.


Leia mais sobre: azulejos antigos


Consultoria:
Soluc?es dos Azulejos e Pisos Antigos ? tel. (11) 5589-1759 ou 3259-0454
Cemiterio dos Azulejos ? tel.(11) 5034-5378 ou 5034-3952;
www.pisoseazulejosantigos.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.