Invista na força revigorante das plantas em todos os ambientes da casa

Ter plantas dentro de casa sempre traz uma dose extra de aconchego. Mas a distribuição dos vasos não precisa ser ater à sala. Quartos, cozinhas e banheiros também podem ganhar um toque de natureza. É só saber quais espécies melhor se adaptam a cada cômodo.

A paisagista Beatriz Quinelato explica que o primeiro passo é analisar as condições de calor e luminosidade em que elas estarão sujeitas. Por exemplo, em lavabos e banheiro, onde há pouca incidência de sol, é possível recorrer a cactos, pata-de-elefante e pleomeles.

“O ideal é plantá-los em vasos maiores que forneçam nutrientes durante o crescimento.” Caso isso não seja possível devido à limitação de espaço, repouse-as sobre gabinetes e bancadas.

Na cozinha, invista em vasos de condimentos posicionados no parapeito da janela. De fácil manutenção, manjericão, alecrim, hortelã e pimentas frescas podem ser ingredientes preciosos. “Ervas medicinais também são boas opções”, completa Beatriz.

Ritmo de vida influencia na escolha

O perfil do morador é outro ponto importante. “Algumas espécies se adaptam bem ao ritmo de vida agitado e exigem pouco tempo de manutenção. Outras pedem podas e regas diárias”, afirma Beatriz.

A dica para quem passa pouco tempo em casa é garimpar espécies naturalmente mais resistentes ao clima tropical e que se adaptam bem à meia-luz. Caso das alpínias, das helicônias, das bromélias, dos filodendros, dos antúrios, das palmeiras-ráfia e do lírio da paz. “Até mesmo as dracenas são recomendadas, já que a rega deve ser feita apenas uma vez por semana.”

Já a paisagista Solange Nascimento aposta no colorido das alpíneas e das orquídeas para arrematar a decoração. “Elas devem ser regadas duas vezes por semana e se adaptam a locais arejados com pouca luminosidade.”

A não ser em ocasiões especiais, fuja de lírios, rosas e outros clássicos. Mais frágeis, essas espécies são bem mais difíceis de manter.

Cuidado com plantas tóxicas

Ambientes com a presença de crianças e animais de estimação pedem maior atenção na escolha das plantas. Comigo-ninguém-pode, trombeta-de-anjo e copo-de-leite, por exemplo, possuem substâncias tóxicas e podem provocar alucinações e alergias.

Para mantê-los afastados, dê preferência a espécies espinhosas, como a piteira-azul, coroa-de-cristo e palmeira-fênix.

Consultoria:
Beatriz Quinelato  - Telefones.: (11) 2361-9198 / 2361-2745 / 8245-2745
Solange Nascimento - Telefone: (11) 8269-0370

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.