Mais do que cuidados com rega, adubação, poda e luz natural, as plantas precisam estar no vaso apropriado para que cresçam com saúde. Veja a seguir o que dizem os especialistas

Certamente, a beleza de um vaso é um dos fatores que determina a sua escolha, já que existem modelos capazes de dar o arremate ideal a uma varanda ou a uma composição de plantas em um jardim. Porém, deve-se observar se o tamanho está de acordo para a planta, caso contrário pode-se prejudicar o seu crescimento ou ate mesmo determinar o seu fim a medio prazo.

O tamanho do vaso deve ser compatível com o porte da planta. Desse modo, o desenvolvimento da espécie não será prejudicado
iG São Paulo
O tamanho do vaso deve ser compatível com o porte da planta. Desse modo, o desenvolvimento da espécie não será prejudicado

Segundo a paisagista Maricy Pissinatti, os vasos devem ser sempre proporcionais ao porte da planta. Se for pequenina, pode ser colocada em um vaso igualmente pequeno e, conforme o seu crescimento, ser transplantada para vasos maiores, de acordo com a altura, a quantidade de folhas e diametro que os seus caules forem atingindo. 

Quando mudar de vaso

O arquiteto Leonardo Marques, da Carmem Plantas, completa: O vaso tem que ser de acordo com o torrão (ou seja, a raiz) da planta. E é facil observar o momento certo para a troca da planta para um vaso maior. Normalmente, deve ser feita quando se comeca a visualizar as raizes saindo para fora do vaso, ou por baixo dele. Às vezes, as raizes fazem tanta pressão interna que o vaso acaba se quebrando ou trincando.

Estes são alguns dos principais sinais de que há necessidade da troca. E como se a planta quisesse pular para fora do vaso, completa Maricy. Outro sinal e quando, no ato da rega, a água escoa muito rapidamente. Isso ocorre porque as raízes já tomaram conta de todo o vaso, não deixando espaço para a reserva de água, diz Marques.

Já o material do vaso também deve ser observado. Acredito que a força das raízes deva ser levada em conta. Há plantas como as dracenas e os ficus que em um ou dois anos, com o crescimento de suas raízes, podem quebrar um vaso de cerâmica. Nestes casos, o melhor é investir em artigos de materiais mais resistentes, como cimento ou fibra de vidro, recomenda.

Daniela Cavallari, proprietária da Verde Vaso Ideias, por sua vez, diz que o material do vaso não interfere no desenvolvimento da planta. Em todo o caso, sugere os sintéticos, como a fibra de vidro, o plástico e a resina, para evitar manchas e até o apodrecimento de pisos susceptíveis a água. Os de cerâmica e os de cimento, por serem permeáveis, são inapropriados nesses casos, argumenta. 

Atenção à água

Algumas plantas, como as orquídeas, necessitam de vasos com varios furos, para melhorar a drenagem. Mas para a maioria, basta um furo na base para escoar a água. Quanto a isso, não há um segredo. Sempre é necessário ter esse furo para a saída de água, pois sem ele as raízes apodrecem e a planta acaba morrendo, explica.

Já Leonardo diz que o vazamento de água pelo furo não deve acontecer. Caso ocorra, é porque a quantidade de água na rega está em excesso. A rega serve apenas para umedecer a terra e nunca para encharcá-la, afirma.

Por fim, entre os acessórios, há um que gera discussão: aquele pratinho que se coloca sob o vaso e que algumas pessoas ate o dispensam. Para Maricy, ele só é necessário quando o vaso está em um ambiente interno, sobre pisos que podem manchar, como madeira, mármore ou um tapete. Mas em área externa, acho dispensável, finaliza.

Para o arquiteto, a sua função é uma só: quando se rega em excesso, o prato serve como um termômetro da quantidade de água usada, e impede que a mesma derrame no piso. E o fato de sobrar água no prato quer dizer que a quantidade deve ser reduzida. Vale lembrar que é necessário usar areia nesse prato, para evitar o mosquito da dengue.


Leia mais sobre: vaso para plantas


Consultoria:
Carmem Plantas
Maricy Pissinatti
Verde Vaso Ideias

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.