Deixe o preconceito de lado e invista no exotismo dessas espécies para ter um jardim diferenciado

Nepenthes Híbrido, um dos exemplares da
Divulgação
Nepenthes Híbrido, um dos exemplares da "natureza selvagem"
Apesar de ter angariado um o estereótipo ruim ao longo dos anos, as plantas carnívoras não devem ser descartadas na hora de compor um belo projeto paisagístico. Exótica e cheia de charme, elas podem ser uma boa opção para diferenciar seu jardim.

Diferentemente do que se pensa, a maioria das plantas carnívoras não come carne, mas se alimenta apenas de insetos.

O título veio da generalização da capacidade de algumas espécies, como a Nepenthes, de capturar pequenos anfíbios. Isso significa que esse tipo de planta em casa não traz perigo para a família ou animais de estimação.

“Jardins com plantas carnívoras são mais comuns na casas de pessoas que buscam conceitos naturalistas, que gostam da natureza selvagem”, afirma o paisagista Marcelo Faisal .


Variedade e cuidados

No mundo, existem cerca de 500 espécies de plantas carnívoras, sendo que a Austrália é o país com maior diversidade, seguindo do Brasil, onde se pode encontrar 80 tipos diferentes. “A mais procurada é a Dionaeas,” conta Marcos Ono, engenheiro agrônomo e produtor especializado em plantas carnívoras.

O carioca Laudio Martins, responsável pelo site Carnívora Shopping , que vende esse tipo de planta para todo o Brasil, afirma que qualquer pessoa pode ter uma planta carnívora em casa, seja na janela, na varanda ou no quintal.

Como todas as plantas, elas necessitam de cuidados. “Levando em conta a facilidade de cultivo e a durabilidade, quem quer começar o cultivo deve optar pelas Dionaeas, Nepenthes, Drosera binata, Drosera capensis, Drosera spatulata e Drosera adelae e Sarracenias”, diz Martins.

Como cuidar das plantas carnívoras:

A Dionaeas é uma das variedades mais fáceis de se cultivar
Divulgação
A Dionaeas é uma das variedades mais fáceis de se cultivar

- Mantenha-as em vasos plásticos. Isso ajuda a reter a umidade do substrato por mais tempo;

- Não use terra comum para plantá-las. Prefira substrato de musgo “sphagnum” puro ou misturado com pó de coco;

- Molhe de uma a duas vezes por dia. O substrato deve estar sempre úmido;

- Plantas carnívoras se alimentam de insetos porque o solo onde vivem é pobre em nutrientes. Portanto, não adube a base;

- Podar não é necessário. Apenas corte as folhas mortas;

- Evite deixá-las em lugares onde venta muito, pois isso ele seca a mucilagem (substância viscosa) das Droseras;

- Nunca use água clorada ou mineral. Prefira água destilada ou de chuva. Se só tiver a água de torneira disponível, deixe-a descansando em um recipiente aberto, protegido por um pano fino, por 72 horas para que o cloro evapore;

- Não se preocupe em alimentá-las com insetos. Elas são preparadas para capturá-los. Se perceber que isso não está acontecendo, coloque uma fruta próxima para atrair o alimento.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.