Já dizia o ditado: quem quer casa quer jardim, quem quer jardim quer flor. E, como decidir pelo estilo de seu jardim obedecendo ao espaço disponível?

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508157683&_c_=MiGComponente_C

Para o paisagista Felipe Nicoliello, da empresa Europa Paisagismo, a disponibilidade de tempo e de dinheiro vão definir a escolha dos modelos: "Quando a pessoa não dispõe dessas condições, deve optar pelos jardins mais simples e de fácil manutenção", pondera. 

Passada esta etapa é o momento de escolher os tipos de vegetação. Nicoliello diz que existem cinco pontos básicos que são levados em consideração na hora da escolha: o estilo do jardim, o anseio do cliente, a região onde mora, a composição com a arquitetura e o entorno. "Paisagismo vem da palavra paisagem e todo jardim deve ser uma paisagem, e esta não se forma apenas com a vegetação", diz.

Agora a etapa final: o preço. A paisagista Mariângela C. Pacheco definiu três tamanhos de jardim: pequeno (com 4m²), médio (com 60m²) e grande (com 200m²) - e três perfis de consumidor (veja abaixo a estimativa de preço que Mariângela fez para o site) .

Para nosso orçamento ficar mais realista ela definiu três perfis de consumidor: uma pessoa que não tem tempo para cuidar do jardim, nem tem quem cuide e outro que tem tempo para cuidar do jardim, ou tem quem cuide e goste de muitas plantas no seu jardim.

O terceiro perfil é o de uma pessoa com tempo para cuidar, ou que tenha quem cuide, e prefira um visual mais limpo. Mas ela ressalta que está fazendo estimativas aproximadas, pois para ter o preço real é necessário compor com a arquitetura da construção e com os demais elementos naturais como luz, solo, umidade etc. 

"Um cliente com um jardim pequeno e sem tempo para cuidar pode optar por um jardim de cactos e suculentas. Estes não requerem muito cuidado como regas mas devem ser bem planejados para evitar problemas com áreas de circulação ou crianças e animais de estimação se ferindo. Um jardim de cactos bem feito transmite muita calma e é um convite à meditação", orienta Pacheco. Se o jardim for maior ela sugere um arbusto que não precise de um cuidado constante, com alguma forração. 

Para um jardim grande, Pacheco diz que é possível escolher árvores ornamentais ou frutíferas. "Mas como o cliente teoricamente não tem tempo para cuidar desse grande jardim, devemos usar bastante elementos como caminhos de seixos, fontes, e espécies bastante resistentes de forma a compor um espaço agradável", diz.

E continua: "um cliente com tempo para cuidar do seu jardim (ou que tenha quem cuide por ele) tem muito mais opções. Podemos passar a usar flores e plantas que requerem acompanhamento mais constante, mas que apresentam visuais mais diferenciados.

Mariângela chama atenção para a quantidade de plantas a serem usadas no jardim. "Algumas pessoas preferem mais espaço entre uma planta e outra para poder circular por entre elas. Um jardim com pouco espaço e muitas plantas não permite circulação", pondera.


Leia mais sobre: jardinagem


Fonte: Mariângela Pacheco - Campinas (SP)
E-mail:
mariangela@mpacheco.com.br
Fone: (19) 3258-6369 / (19) 9166-1531

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.