Saiba como deixar o seu jardim mais bonito com elas

Tão importantes quanto as plantas de destaque, mas muitas vezes relegadas a segundo plano, as espécies de forração dão o arremate final a qualquer projeto de paisagismo bem estruturado. Sua função está muito além de apenas cobrir o solo ou oferecer o acabamento necessário a um jardim. “Elas funcionam como revestimento e proteção do solo contra erosões, redução do calor e, em espaços urbanos, é comum utilizar o seu volume para orientar o fluxo de pedestres e cercar os caminhos sem obstruir o visual” afirma a paisagista e artista floral Amélia Salmoni.

A grama preta e a maranta tricolor estão entre as espécies indicadas para forração
Divulgação
A grama preta e a maranta tricolor estão entre as espécies indicadas para forração

Essas qualidades também podem ser exploradas nos espaços residenciais. É necessário, contudo, tomar certos cuidados antes de optar pelas diversas espécies disponíveis no mercado. “As condições de luminosidade são muito importantes”, diz Amélia. “Existem forrações que necessitam de sombra parcial, como a luz filtrada pela copa das árvores , para melhor se desenvolverem, e aquelas que requerem pleno sol , além das espécies que se desenvolvem na vertical, ideais para cobrir muros , como as heras, a unha de gato, a jiboia e a vinha”, completa.

A forração mais conhecida é, sem dúvida, a grama . E não pense que são todas iguais. Existem várias, como a grama preta, a esmeralda, a São Carlos, a batatais, a bermuda e o amendoim rasteiro, que além de lindo fornece uma florzinha amarela muito delicada.

Grama esmeralda e agapanto forram este jardim
Divulgação
Grama esmeralda e agapanto forram este jardim
Um bom gramado tem a função de integrar os outros elementos da paisagem, além de proteger o solo, influenciar positivamente o microclima da área jardinada e fornecer o verde durante todo o ano. Mas existem outros tipos de forração também muito populares, como a maranta, o lírio-da-paz, a avenca, o aspargo, a onze-horas, o agapanto azul, a mini azaleia , o clorofito, o antúrio e muitas outras. Em se tratando de criatividade, o céu é o limite, e o resultado final pode ser um lindo jardim.

Segundo Maricy Pissinatti, paisagista e engenheira agrônoma, as espécies mais solicitadas pelos clientes são as que florescem, cobrem a terra e são perenes. “Mas, atualmente, também são muito populares as forrações feitas com pedriscos, casca de árvore, seixos e uma infinidade de outros materiais”, avisa.

Fique de olho na escolha e manutenção das espécies

A manutenção das plantas de forração em geral é similar à da grama
Divulgação
A manutenção das plantas de forração em geral é similar à da grama
Para não errar, o ideal é sempre consultar um profissional da área, que poderá aconselhar sobre quais são as espécies mais adequadas para cada caso, além de sugerir ideias que muitas vezes não nos passam pela cabeça, como por exemplo, as plantas aquáticas , espécies de forração que podem ser utilizadas em lagos e espelhos d'água , muito comuns em jardins de inspiração oriental.

Maricy explica que a manutenção das plantas de forração é basicamente a mesma da grama. É preciso limpar, isto é, tirar as folhas velhas e secas, irrigar, adubar , fazer a manutenção do desenho original do canteiro, e ficar sempre atento ao aparecimento de pragas e doenças.

“No caso de forrações floridas, que visam a produção de uma quantidade maior de flores, utiliza-se adubos com uma composição mais rica em fósforo. Já em forrações cuja beleza é destacada pela folhagem verde é aconselhável usar adubos mais ricos em nitrogênio”, esclarece.






Serviço:

Amélia Salmoni
Tel: (11) 3816-2205 / 9915-3230

Maricy Pissinatti
Tel: (11) 3814-1531 / 9998-2999

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.