Mostra apresenta o trabalho de 35 profissionais com soluc?es de paisagismo e jardinagem para pequenos, medios e grandes espacos

A Mostra de Paisagismo e Jardinagem Minha Casa e Meu Jardim da edic?o 2008 da Expoflora apresenta o trabalho de 35 profissionais de varias cidades de S?o Paulo (Artur Nogueira, Campinas, Cosmopolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Indaiatuba, Mogi Mirim, S?o Paulo, Valinhos e Vinhedo), que assinam 20 ambientes distribuidos em uma area de 9 mil metros quadrados.

Este ano, seguindo o tema da Exposic?o de arranjos Florais, Flores, Tempo e Ecologia, os profissionais foram orientados pelos organizadores da Mostra, Ana Rita Gimenes e Ralph Dekker, a priorizarem conceitos, ideias e materiais ecologicamente corretos em seus projetos de paisagismo, arquitetura e decorac?o. O resultado e a apresentac?o de uma serie de soluc?es encantadoras para pequenos, medios e grandes espacos.

Jardim Holandes - Bar, Cafe e Parque
Responsaveis: Arquitetas Peitra de Wit (arquiteta e urbanista) e Andrea Arrivabene Napoleone (arquiteta e urbanista), de Holambra, com a colaborac?o de Edoardo Aranha (arquiteto e urbanista), de Campinas.

Proposta: Para abrir a exposic?o, as arquitetas criaram um jardim holandes, nos moldes do Keukenhof, o parque das flores situado em Lisse, perto de Amsterd?, na Holanda. A homenagem brasileira traz uma ponte tipica e replicas dos moinhos de agua. Tal qual na Holanda, a vers?o verde e amarela apresenta os macicos de flores, so que com especies cultivadas no Brasil, ja adaptadas ao clima tropical.

A majestosa construc?o do cafe/bar, que abrigara o Restaurante Poffertjes, tem como grande diferencial a estrutura, toda de bambu, e as paredes de terra, materiais considerados ecologicamente corretos. Ao unir a taipa de pil?o com elementos modernos, como o vidro e os metais, as arquitetas mantiveram a sofisticac?o, mostrando que a tecnica aparentemente rudimentar aceita qualquer tipo de projeto.

Jardim da Casa de Praia
Responsaveis: Ricardo Caporossi Junior (paisagista), de Holambra, Silvia Maretti (paisagista), de Mogi Mirim, Luciano Sim?es (paisagista), de Campinas, e Jose Reinaldo de Melo (produtor de plantas ornamentais - Palmeiras Holambra), de Artur Nogueira.

Proposta: Esse espaco foi criado para uma casa de veraneio, na praia. Trata-se de uma area de convivio familiar e amigos. A proposta e permitir a reuni?o dos jovens surfistas enquanto seus pais preparam drinks no bar da varanda, a beira-mar, ou deliciosos almocos com cardapio da culinaria caicara. A rede de bambu, ombrelones e espreguicadeiras complementam o clima de maresia. Com a areia os paisagistas criaram belissimas dunas para nos remeter ao ambiente praiano.

Flores e plantas ornamentais: Para o paisagismo foram utilizadas samambaias, bromelias variadas, bananeiras, palmeiras e diversas pandanus, planta de grande efeito ornamental que produz flores com suaves fragrancias. Suas longas raizes aereas junto ao caule e bem acima do solo atraem pela beleza exotica. Nesse ambiente tambem pode ser admirada a palmeira solitaria, de origem australiana, adequada para cultivo em vasos, na fase de juventude, para decorac?o de interiores. Na fase adulta e otima para paisagismo de jardins e exteriores.

Jardim Ingles
Responsaveis: Silvia Camilo (arquiteta e urbanista), Mariana Santana Leoni Vieira (arquiteta e urbanista), Andrew Martins (arquiteto e urbanista), Cassilda Pessoa (designer de interiores e jornalista), de Artur Nogueira, e Flavia Cristina de Faveri (arquiteta e urbanista), de Cosmopolis.

Proposta: Na busca pela descontrac?o, os profissionais decidiram inovar o conceito de um jardim ingles e transformaram as caracteristicas sobrias em uma linguagem de preservac?o e conscientizac?o dos elementos naturais que s?o encontrados nos mobiliarios, nos pisos e, ate, nas pinturas, todos ecologicamente corretos.

A fonte, no centro do jardim, oferece o romantismo e a tranquilidade de um passeio. Pisos ecologicos de tijolos n?o queimados s?o contornados com uma forrac?o de lascas de madeiras, visando, tambem, o reaproveitamento de sobras desse material de construc?o para o mobiliario.

Na praca, elementos bem londrinos, como a cabine telefonica, fotos dos Beatles e mobiliarios fabricados em madeira levam o publico a uma viagem imaginaria e o convidam a interac?o no pub, cuja decorac?o e iluminac?o remetem aos mais badalados bares de convivencia da capital inglesa.

Flores e plantas ornamentais: A area externa, com varias topiarias de buchinhos, eugenias e tuias bolas, remete a simetria inerente ao estilo ingles. O amor perfeito e as petunias destacam-se nas floreiras.

Terraco Italiano
Responsaveis: Rosana Negreiros (engenheira agronoma, paisagista e designer de interiores), de Campinas, e Tania Cristina Pirola (arquiteta, urbanista, paisagista e decoradora), de Holambra.

Proposta: O projeto caracteriza-se por um contexto inspirado nas pequenas vilas do interior da Italia. O estilo italiano aparece nas colunas e arcos, nas fontes de pedra, nos vasos e potes de barro terracota, nos moveis de ferro e madeira e nos caminhos de pedra. O local e ideal para as reuni?es com amigos, uma boa conversa, um encontro gastronomico ou, ainda, para que a pessoa possa, simplesmente, refrescar-se ao ar livre com os aromas das flores e ervas, desfrutando confortavelmente a bela paisagem.

Na construc?o do terraco, das colunas e dos arcos foram utilizados tijolos pintados com tintas produzidas na propria obra e preparadas a base de argila e po xadrez. Essa tinta tem a vantagem de ter um custo baixo e n?o conter solventes quimicos, poluentes e toxicos, alem de facilitar a respirac?o das paredes, melhorando o conforto termico. O piso do terraco e revestido com um deck de madeira de demolic?o, reaproveitada de cruzetas de postes.

Com o objetivo de criar um efeito de profundidade visual, em meio as colunas foi instalado um vitral, inspirado em paisagem da regi?o da Toscana. Foi a propria paisagista e designer Rosana Negreiros quem projetou o "dondolo" (como e chamado o banco de balanco na Italia), colocado no jardim onde ha uma pequena praca calcada de cubos de granito, e as duas fontes de pedra, uma em formato de chafariz e, outra, que sera usada como bebedouro de passaros.

Flores e plantas ornamentais: Na vegetac?o, para explorar o desenho formal, muitas especies ornamentais em forma de topiaria, alem de aromaticas e forrac?es floriferas ornamentais, tornando o espaco ainda mais atrativo. Um dos muros recebeu grades de ferro com vasinhos de geranios floridos, emoldurando um cenario criado por pequenas janelas, aparentando uma vila italiana. A praca foi cercada por tuias holandesas e hortensias criando uma sensac?o de refugio protegido.

Muito comuns nos jardins da Toscana, n?o poderiam faltar o geranio, o cipreste italiano e as plantas frutiferas. Tambem podem ser admiradas nesse espaco plantas ornamentais e aromaticas, como a lavanda, a tuia holandesa, as hortencias, os anturios, comigo-ninguem-pode, verbenas, eugenias podadas, barba de serpente, violetas de jardim e a pimenta ornamental, sem contar, e claro, os temperos (manjeric?o, manjerona, alecrim, salvia, tomilho), t?o admirados na culinaria italiana.

Jardim Tropical
Responsavel: Edson Cardoso, ou Guga (paisagista e decorador de interiores), de Campinas.

Proposta: Aproveitando-se do grafismo - tecnica usada para criar imagens abstratas e com composic?es geometricas - e da simetria, as grandes vedetes do momento no paisagismo e na decorac?o, Guga elegeu uma linguagem simples para a criac?o de um ambiente elegante, mas sem grandes interferencias. Os moveis s?o em estilo contemporaneo, em madeira adquirida em areas de manejo sustentavel e certificada.

Flores e plantas ornamentais: Palmeira rabo de raposa (Wodyetia bifurcata), sagu do imperador (Cycas taitungensis), zamia (Zamia furfuracea) e arvore do drag?o (Dracena draco).

Jardim Japones
Responsaveis: Mara Silvia Favaro (designer de interiores e paisagista), Luciano Sim?es (paisagista) e Paulo Afonso Favaro, de Campinas.

Proposta: Ambiente criado para ser desfrutado com tranquilidade, os profissionais inspiraram-se nos milenares jardins japoneses. O objetivo e ressaltar a beleza do ambiente natural e a inspirac?o nos elementos da natureza faz com que haja uma integrac?o do homem com o universo. Os elementos que comp?em esse jardim transmitem significados proprios, de acordo com a cultura japonesa.

Integrado ao jardim, Mara Silvia Favaro criou um espaco para a Cerimonia do Cha, com a simplicidade exigida pela tradic?o japonesa. Os materiais e as plantas utilizados s?o os que mais se assemelham a composic?o de um jardim japones: o torii, as carpas, o lago, o ofuro de fibra revestido com madeira, lanternas, tatamis, biombos, almofadas e mesa, alem de um deck de madeira de reflorestamento.

Flores e plantas ornamentais: O jardim tem forrac?o de grama esmeralda e japonesa. Foram plantados, ainda, pinheiros, azaleias, mini-ixorias, kaizucas, buxos, bambu mosso, podocarpus e nandinas. No paisagismo tambem foram utilizados casca de pinus, fibra de coco, brilhantina e musgos. Alem da cerejeira, arvore-simbolo do Jap?o, foram colocados nesse jardim alguns bonsais, sendo um deles de uma jabuticabeira de 50 anos.

Estufa e jardim, espaco do hobby
Responsavel: Tamara Christo Franca (paisagista), de Campinas.

Proposta: O projeto nasceu da possibilidade de combinar varios fatores: protec?o as plantas, adequac?o de cultivo e aconchego para quem as cultiva, bem como unir condic?es limitadas - como um terreno relativamente pequeno -, com viabilidade economica, sustentabilidade, sonho e beleza. O recanto foi concebido para quem gosta de cultivar o verde e a paisagista lembra que as estufas fazem com que as plantas sejam melhor cuidadas.

Nessa estufa, Tamara optou pelo cultivo de orquideas em vasos, como as cattleyas, vandas e dendrobiuns, entre outras. Elas foram penduradas ou instaladas sobre uma prateleira vazada para dificultar a subida de lesmas, caracois e tatuzinhos, para evitar o acumulo de agua e contribuir para o controle fitossanitario. As bromelias, colocadas no ch?o, s?o plantas companheiras das orquideas, pois retem umidade. Acima da porta de entrada esta um pequeno vitral criado pela propria paisagista. Espetos do mesmo vitral foram especialmente criados para enfeitar o jardim do entorno.

Flores e plantas ornamentais: A vegetac?o com texturas variadas vai descortinando o caminho de forma delicada como muitas primaveras (Bounganville glabra). Dentro de vasos, topiados foram colocados como guardi?es na entrada da estufa. Canteiros radiais bem delineados s?o contrapostos pelo conjunto de capim do Texas (Pennisetum setaceum).

As Bambusa gracilis num canto do terreno, em volta da cuba de ceramica, criam uma atmosfera a ser descoberta. E, os canteiros curvos com cheirosas Iridaceas fluminensis suavizam o ambiente. As bananeiras de Sumatra comp?em o recanto externo do deck com banco de madeira, exibindo sua altivez e folhas generosas. Algumas plantas aromaticas completam essa colec?o vegetal. 

Atelie de paisagismo
Responsaveis: Andrea Bastos Garcia (designers de interiores), Erika Navarro Zamora Ebert (designer de interiores e paisagista) e Renata Moreno (arquiteta e paisagista), de Campinas.

Proposta: O ambiente foi projetado para atender o atelie de uma paisagista, responsavel por criar "soluc?es verdes" por meio do reaproveitamento de objetos e materiais descartados. Os materiais usados incluem residuos de construc?es e/ou reformas, como telhas, tijolos, blocos de cimento, ceramicas, caibros e sarrafos etc.; alem de objetos metalicos e plasticos descartados no lixo domestico.

Os moveis foram produzidos com madeira reaproveitada, oriunda de outras pecas antigas e madeiramento de casas em demolic?o, garantindo um aspecto mais descontraido e rustico ao ambiente. Pequenos vasos s?o utilizados para a criac?o dos jardins. Pecas decorativas de parede ajudam a compor os jardins verticais. As esculturas levam a assinatura do artista plastico Herrera, de Mogi Guacu (SP).

Flores e plantas ornamentais: Pleomeles, ervas aromaticas, impatiens, piriquito de folha larga, musgo verde, orquideas diversas fazem parte desse agradavel jardim. Nele destacam-se os lancamentos 2008: Hawai Palm, dorstenia e lumina.

Jardim das Fontes
Responsavel: Alexandre Galhego (engenheiro agronomo e paisagista), de Campinas.

Proposta: Um ambiente de encontro da familia, harmonioso e charmoso, por meio de um paisagismo envolvente. O piso de mosaico de granito cinza permite o acesso a area de convivencia situada em uma pequena praca construida com o mesmo material. O acesso e feito em angulo para que o publico consiga vislumbrar a vegetac?o no caminho, assim como para garantir certa privacidade e sensac?o de conforto. A praca conta com iluminac?o cenografica e moveis em madeira de demolic?o.

Flores e plantas ornamentais: Foram escolhidas para ambientar esse espaco apenas vegetac?o tropical, como a Spathiphyllum sp., Ravenala madagascariensis, Phoenix roebelinii, Alpinia purpurata, Pandanus utilis, Philodendron undulatum, Ophiopogon japonicus.

Ducha e jardim
Responsaveis: Mirella Marino Sanches, Jose Luiz Roge Ferreira Grieco e Raquel Nopper Alves (arquitetos e urbanistas), de Campinas.

Proposta: Integrar a natureza e o homem em um ambiente restrito, utilizando elementos naturais (agua, vegetac?o, pedras e madeira). Para ambientar um jardim em um pequeno espaco, os profissionais optaram por "quadros vivos" em superficies verticais e por plantas ornamentais no solo. A agua pode ser empregada das maneiras convencional (duchas) e n?o-convencional (jatos que saem do ch?o), gracas ao uso de um piso drenante.

Flores e plantas ornamentais: O criterio de escolha das plantas ornamentais foi a beleza intensa. Por isso, os profissionais dispensaram o uso de muitas especies diferentes na ornamentac?o. O Pandanus, por exemplo, que se desenvolve de forma espiralada, pode ser visto como uma escultura viva. Ja a Areca vestiaria destaca-se pela sua colorac?o diferenciada (caule na cor dourado-alaranjado). A forrac?o permitiu um recorte destacado na superficie gramada, ambientando o espaco destinado a uma chaise dupla. 

Canto Asiatico
Responsavel: Cintia Rua (engenheira agronoma e paisagista), de Vinhedo.

Proposta: Trata-se de um jardim no estilo tropical asiatico, destinado ao lazer e a contemplac?o, como os jardins de Bali, nos quais os espacos prezam a simetria. Fiel a influencia oriental, o espaco conta com elementos como bambu, agua, vasos terracota e tecidos. A parte do jardim destinada ao lazer ganhou um ofuro com cromoterapia, a tecnica que utiliza a vibrac?o das cores do espectro solar para restaurar o equilibrio fisico-energetico em areas do corpo que apresentam alguma disfunc?o. O ambiente e decorado com moveis e objetos produzidos a partir de materiais reutilizaveis ou em madeira de reflorestamento (teca).

Flores e plantas ornamentais: A paisagista optou pelo uso de vegetac?o nativa e de pouca manutenc?o, porem, de grande beleza. Nesse jardim podem ser encontradas heliconias, flora da familia das bananeiras que apresenta inflorescencias coloridas e duraveis; anturio (Amazing Queen), uma variedade em lancamento, de colorac?o laranja intenso; pata de elefante (nolina), considerando que seu tronco e muito ornamental, unico com a base dilatada, para o armazenamento de agua, o que lhe permite se adaptar para sobreviver por longos periodos de estiagem; bromelias de sombra; zamioculcas e palmeiras.

De alma lavada
Responsaveis: Aline Cobra Cornette (designer de interiores) e Maria Cristina Oliveira Araujo (arquiteta paisagista), de S?o Paulo.

Proposta: Retomar a origem do spa totalmente ligado a saude por meio da agua (tratamentos hidroterapicos) e desvinculando-o de sua atual associac?o aos tratamentos esteticos. A vedete do ambiente e a queda d'agua instalada no muro. A agua escorre sobre um painel de pastilhas ate um reservatorio de pedra esculpida, de onde transborda para um segundo reservatorio com agua corrente. Esse espaco possui pedras roladas de rio, soltas (pista chinesa) no fundo, por onde o publico podera caminhar,  interagindo com a proposta de tratamento e relaxamento.

Flores e plantas ornamentais: A dimens?o terapeutica de um jardim ou de uma area paisagisticamente tratada n?o esta so no contemplar, mas, tambem, no interagir. Dessa forma, foram escolhidas plantas medicinais, como alecrim (Rosmarinus officinalis), hortel? (Mentha villosa), oregano (Origanum vulgarez) e erva cidreira (Lippia alba) e aromaticas,como a lavanda (Lavandula sp) que pode ser usada em chas e temperos como medida de saude preventiva, explorando seu potencial ornamental e as harmonizando com as demais plantas. A interac?o e distribuic?o das plantas, como a jabuticabeira (Myrcia cauliflora) e as palmeiras, foram estudadas de modo a recriarem um ambiente natural.

Espaco Hipica
Responsaveis: Mauro Contesini (engenheiro agronomo e paisagista), de Vinhedo, e Ines Scisci Maciel (arquiteta), de Campinas.

Proposta: Projetado para o lazer e descontrac?o de uma familia em sua propriedade rural. O bebedouro foi montado de forma criativa, mas atendendo as necessidades de fornecimento de agua para os animais. Em forma de arco  e revestido com pedras bol?o, o bebedouro tem tres pontos de saida de agua, causando um impacto interessante para o que deveria ser um simples cocho.

A carroca do seculo XIX, necessaria para diversas atividades na fazenda, tambem serve para enfeitar o espaco e dar veracidade as antigas historias ja vividas naquele local. As tinas de madeiras, em madeira ecologicamente correta, receberam mudas de buxinhos em topiaria para emprestar ao espaco um clima mais aconchegante e romantico.

Sobre o piso da area externa, luminarias em ceramica e moveis em aluminio, em fibra sintetica e em madeira de demolic?o d?o o toque de fazenda, assim como os quadros de oleo sobre tela que ostentam figuras de cabecas de cavalo (do artista plastico Os. Maciel, de Indaiatuba) e as pas utilizadas na decorac?o. Pecas antigas prop?em as lembrancas de passado familiar, mas que, utilizadas juntamente com materiais contemporaneos favorecem um ambiente mais agradavel e criativo.

Flores e plantas ornamentais: Algumas plantas destacam-se nesse espaco, como as simpaticas Impatiens haekeri (maria-sem-vergonha) que preenchem todo o solo, dando um aspecto alegre ao local. Arbustos de Viburnum-suspensus (viburno) interagem com as tinas de madeira, destacando-se pelo brilho proprio que suas folhas possuem, pela textura aspera e pelo cheiro forte e unico que exalam ao serem tocados. Cycas resoluta parecem servir de calco para impedir a movimentac?o da carroca.

As palmeiras Fenix demarcam a area pela imponencia de seu porte e pela bela textura de seu tronco que parece ter sido entalhado pelo homem, embora seja uma planta ainda pouco usada no paisagismo. Para completar o cenario, os Buxus sempervirens (Buxinhos) plantados em tinas d?o sequencia ao painel criado com pas, como a reverenciar o trabalho diario e necessario para manter o local limpo e bem cuidado. Os blocos de fenos, alem de servirem de alimento para os animais, relembram a simplicidade da vida no campo.

Roca Urbana
Responsaveis: Andrea Arrivabene Napoleone (arquiteta e urbanista) e Peitra de Wit (arquiteta e urbanista), ambas de Holambra.

Proposta: Embora pareca um jardim convencional, tudo o que esta plantado e comestivel ou fitoterapico. A ideia e mostrar que pequenos espacos comportam uma area de lazer e um bonito jardim. Alem disso, aliado com a preocupac?o de se consumir produtos com qualidade (sem agrotoxicos), esse espaco foi concebido para ser utilizado como uma "horta-jardim".

Flores e plantas ornamentais: Os canteiros s?o formados por lavanda, pimenta, erva cidreira, hortel?, camomila, cheiro-verde, alecrim, bananeira, tomate Finestra, salsinha, tomilho, oregano, manjeric?o, arruda, clorofito e balsamo. Os destaques s?o para as frutiferas, como o morango, a rom?, a cerejeira, o jambo amarelo e a jabuticaba.

Recanto do bem-estar
Responsaveis: Leonardo Bergallo Snizek (engenheiro agronomo e paisagista) e Tiago Alonso Mogentale (paisagista), de Indaiatuba.

Proposta: Mostrar como s?o atendidos os anseios dos clientes em escritorios de paisagismo, com destaque para os projetos que implicam em simplicidade, funcionalidade e que sejam de facil execuc?o. No espaco foram construidos um quiosque e decks de madeira. O piso de mosaico portugues contorna o Spa Raia Master (que reune raia e hidromassagem). Vasos produzidos em alta temperatura de queima e luminarias s?o os destaques da decorac?o.

Flores e plantas ornamentais: A vegetac?o utilizada foi escolhida de acordo com a conveniencia estetica, funcional e de durabilidade, primando pela exequibilidade. Os destaques s?o para a Beaucarnea guatemalensis, agave palito e butia (palmeira de grande porte, caule rustico e de caracteristicas ornamentais notaveis), muito utilizada em jardins espacosos de grandes residencias, alem de pleomele verde, Podocarpus e palmeiras carpentaria.

Paisagismo Contemporaneo
Responsavel: Iara Kilaris (paisagista), de Campinas.

Proposta: Criar um paisagismo contemporaneo em perfeita integrac?o com o classico, misturando plantas ornamentais, como as palmeiras tropicais, e arvores frutiferas. Duas palmeiras canarienses raras, ja adultas, criaram o portal de entrada para o ambiente. Para o colorido caracteristico da primavera, a escolha foi pelo beijo alem?o. O espaco foi pensado para ser um convite ao repouso e relaxamento. Nele, o visitante encontrara recantos para sentar-se, descansar e apreciar toda a paisagem. A "velha" jabuticabeira, de mais de 30 anos e que esta em plena produc?o, alem de oferecer frutos, proporciona sombra para o descanso do visitante que pode acomodar-se sob a arvore, onde foram disponibilizados bancos e poltronas.

Flores e plantas ornamentais: Foram usados buchinhos, beijo alem?o e murtas, alem das tamareiras-das-canarias (Phoenix canariensis), planta extremamente ornamental pelo seu volume e grande porte da planta. Seu caule robusto parece ter sido decorado pelas cicatrizes das folhas caidas. Essa planta foi utilizada no Parque do Flamengo no Rio de Janeiro, por Burle Marx, e bastante difundida em Beverly Hills e Hollywood, para a arborizac?o das mans?es das celebridades que la vivem. Outro destaque e para a jabuticabeira Sabara, uma arvore frutifera que vem sendo muito utilizada no paisagismo de residencias com grandes espacos para jardins. E considerada de valor ornamental muito atraente, pois apresenta uma copa ampla e bem definida, alem do seu fruto ser muito apreciado.

Lazer da Familia
Responsaveis: Edilene Smaniotto Boralli (designer de interiores) e Maria Helena Ribeiro (designer de interiores e paisagista), de Campinas, e Ricardo Caporossi Junior (paisagista), de Holambra.

Proposta: Baseada nas estatisticas da falta de agua no planeta, a proposta e mostrar a nossa responsabilidade com o uso racional dos recursos naturais. O diferencial desse ambiente e o reaproveitamento da agua do chuveir?o e do excesso de agua dos lagos (captac?o de agua de chuva), de maneira sustentavel, em um jardim familiar com pouco espaco. Tambem foi utilizado o bambu, em substituic?o a madeira, e moveis de demolic?o e em fibra sintetica para a preservac?o da natureza.

Ao lado do playground com piso em areia, foi idealizada uma horta organica em forma de labirinto tambem como um espaco de brincar para agucar o interesse das criancas pela natureza. O caminho de entrada, por exemplo, tem piso ceramico com motivos do jogo de amarelinha. No espaco para a convivencia familiar, foi instalada uma churrasqueira do tipo braseiro, coberta por um gazebo em bambu, com abertura parcial para aproveitamento da luz do Sol. Sobre o piso ceramico, mesa e bancos em madeira de demolic?o.

Um deck de madeira, com espreguicadeiras de fibra sintetica, foi construido ao lado do chuveir?o e do lago de captac?o da agua da chuva. Tanto o chuveir?o quanto os lagos contam com um sistema de armazenamento do excedente de agua, em um reservatorio subterraneo para permitir a sua utilizac?o para a irrigac?o das plantas do ambiente.

Flores e plantas ornamentais: Plantas ornamentais e flores como jabuticabeiras (Myrciaria cauliflora), moreia bicolor (Dietes bicolor), papiro do Egito (Cyperus papyrus), orquidea bambu (Arundina bambuzifolia), bromelias (Neoregelia carolinae), bananeiras (Musa sapientum), pata-de-elefante (Beaucarnea recurvata) e dracenas (Dracaena tricolor) foram colocadas ao redor de todo o ambiente e do lago ornamental. Ao redor do deck aparecem as flores impatiens (Impatiens walleriana), amor perfeito e boca-de-le?o. Ao fundo, o ambiente e cercado com bambu e com jabuticabeiras (Myrciaria). Tambem foram utilizadas Cycas (Cycas revoluta).

Playground da Longevidade
Responsaveis: Patricia Vilela (paisagista) e Guillermo Alvarez (arquiteto e paisagista), de Campinas.

Proposta: Mostrar a importancia da utilizac?o das pracas e dos ambientes externos para a pratica de exercicios. A proposta e reunir em um unico ambiente saude, esporte, lazer e paisagismo para a valorizac?o das pracas por meio da criatividade e da praticidade para oferecer lazer, esporte e harmonia.

Os equipamentos do playground da longevidade foram instalados ao redor de uma fonte central para que a agua proporcione maior frescor ao ambiente e sirva para a irrigac?o dos gramados e canteiros, garantindo um bonito  jardim o ano inteiro. As bases dos canteiros foram cobertas por lascas de madeira para manter a umidade do solo. Pedriscos foram colocados ao redor dos aparelhos de ginastica, em uma base concretada, para melhor estabiliza-los no solo. Tochas e focos de luz iluminar?o a praca, criando um ambiente acolhedor, ate mesmo no inverno e permitindo que o espaco seja funcional dia e noite. Em uma das laterais, moveis de jardim permitem o descanso, momentos de meditac?o e contemplac?o, ou, mesmo, o bate-papo descontraido.

Flores e plantas ornamentais: As flores escolhidas para compor os canteiros s?o os geranios, que trazem colorido ao fundo verde do gramado e hibiscos, de diversas cores e tamanhos, bem adequados para alta luminosidade do local. Um grande painel de mandivas destaca-se proximo aos bancos para descanso, de onde o publico podera observar os bebedouros e comedouros, estrategicamente instalados para a atrac?o de passaros ao jardim.

Jardim da Paz
Responsavel: Silvia Maretti (paisagista), de Mogi Mirim.

Proposta: A proposta foi criar um espaco de refugio para descanso e contemplac?o da natureza. O branco predomina na decorac?o desse espaco, desde as almofadas impermeaveis do sofa ate o ombrelone que abriga um confortavel banco. Todos os moveis s?o de madeira, incluindo a namoradeira, providencialmente escolhidos para contrastar com os tecidos t?o alvos. A noite, as velas espalhadas em lanternas tornam o ambiente aconchegante e deixam um clima de romance no ar.

Flores e plantas ornamentais: As arvores frondosas propiciam a leitura, a reflex?o ou, apenas, observac?o dos passaros. Nesse espaco, os passaros s?o livres, como sugere a gaiola que mantem permanentemente a porta aberta.

O paisagismo e clean, monocromatico, com predominancia de folhagens verdes e flores brancas, como as impatiens, espatifilios e camelias. As trepadeiras s?o o jasmim, estrela e dos poetas, ambos com perfume delicado para completar a sensac?o de bem estar e paz. Apenas uma fonte azul oferece uma suave cor de descanso neste espaco. A criatividade na forrac?o do piso, mostra como o ch?o com textura e elementos diferentes podem garantir movimento a t?o singelo ambiente.


Leia mais sobre: paisagismo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.