Cor da moda nas passarelas internacionais, o roxo também pode enfeitar o jardim

Os tons de púrpura invadiram blusas, calças e vestidos nas passarelas outono-inverno em Paris. Em Milão, a cor também se fez presente em móveis imponentes durante a semana de design. Só falta, agora, levar a cor da moda para o jardim. Tarefa nada complicada.

Presente em flores como lavanda, amor-perfeito, flor-de-íris, hera, hortênsia, azaleia, petúnia, bromélia, beijinho, violeta, maria-sem-vergonha, gerânio e lisianto, o roxo pode ser facilmente combinado ao verde e a outras flores em tons de amarelo, laranja e branco. Uma sugestão da engenheira agrônoma do Instituto Brasileiro de Paisagismo (Ibrap), Aline Fini, é associar elementos de uma mesma cor, variando sua intensidade.

Conheça algumas das espécies roxas:


“Como os diferentes tons de roxo trazem sobriedade e calma ao jardim, eu os indico para cantinhos dedicados à leitura e meditação”, diz a engenheira agrônoma e paisagista Mary Ellen Melo, da Agreen Consultoria Agronômica.

Segundo a cromoterapia, o roxo tem efeito purificador e pode ser usado dentro ou fora de casa. Mas seu excesso pode causar ansiedade. Daí seu uso ser recomendado em grandes áreas gramadas. Em casas com pouca área verde, as espécies roxas podem ser usadas como bordadura no muro ou em canteiros sinuosos, em um jardim interno.

Outras dicas são utilizar essas espécies próximas a fontes e lagos ou para colorir um local homogêneo ou muito apagado. “Elas ‘quebram’ o verde predominante e acabam se tornando elementos de destaque”, afirma Mary Ellen. “Isso acontece muito com a lavanda”, completa o paisagista Gilberto Elkis.

Entre as espécies roxas preferidas para dar destaque ao jardim, estão também a orquídea, a hortênsia e a bromélia, além de árvores com flores roxas como a primavera, a quaresmeira, o jacarandá e o ipê.

Uma espécie para cada caso

Segundo a paisagista Marisa Lima, quando o objetivo de se utilizar espécies em tons de roxo é a forração do jardim, especialmente em pés de árvores e arbustos, o ideal é utilizar plantas como o abacaxi-roxo (Tradescantia spathacea), a Ajuga reptans, o manjericão roxo, a zebrina (também conhecida como lambari) e o hemigraphis (Hemigraphis colorata).

“Mas se a ideia é cobrir estruturas como pérgolas e pórticos, trepadeiras perenes como a tumbérgia-azul e a flor-de-são-miguel são ótimas pedidas”, destaca Aline Fini. A glicínia também é uma opção, mas, por ser tóxica, deve ficar fora do alcance de crianças e animais.

Outras espécies possíveis são a trapoeraba-roxa - para vasos com plantas pendentes - e o fidodendro-roxo - para suportes de xaxim.

Atenção especial

É importante lembrar que a maioria dessas espécies deve ser cultivada em locais onde haja sol pleno, a fim de manter sua cor intensa. As exceções são a hera e as plantas que têm o roxo somente na face interior das folhas. Estas se adaptam bem à meia-sombra.

Entre as espécies de coloração roxa que toleram bem o frio, estão a petúnia, a quaresmeira, a primavera, a lavanda, a tumbérgia-azul, a trapoeraba-roxa, a hera, a azaleia, a hortênsia, a flor-de-íris, a flor-de-são-miguel, o amor-perfeito, o gerânio e o lisianto.


Serviço

Agreen Paisagismo e Meio Ambiente
Av. Inácio Cunha Leme, 281, Socorro – São Paulo (SP)
Tel: (11) 9477-8081

Instituto Brasileiro de Paisagismo (Ibrap)
Av. Rebouças, 765, Jardim Paulista, São Paulo (SP)
Tel: (11) 3061-9887

Gilberto Elkis
Rua Rodésia, 497, Vila Madalena – São Paulo (SP)
Tel. (11) 3815-9537

Maison Garden

Av. Salim Farah Maluf, 1.880, Tatuapé – São Paulo (SP)
Tel: (11) 2605-8550

Marisa Lima Paisagismo
Rua Professor Gabizo, 332, conjunto 501, Tijuca, Rio de Janeiro (RJ)
Tel: (21) 7843-8235

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.