Descubra as espécies disponíveis e como utilizá-las

Quando pensamos em capim, a primeira lembrança é a de grandes áreas a perder de vista. “Ele é muito usado em locais espaçosos, em jardins relativamente grandes, pois além de ser uma espécie volumosa produz um resultado estético ótimo”, afirma o paisagista Sergio Santana.

Não deixe de ler: Capim formoso

Mas quem não tem assim tanto espaço disponível também pode cultivá-lo em vasos , como uma composição em pequenos terraços . “Opte por modelos largos e baixos para uma melhor apresentação, pois contrastam com a forma alongada da folhagem”, indica o arquiteto e paisagista Raul Hilgert. Se preferir, escolha uma jardineira. “Para completar o visual espalhe seixos por cima da terra, eles conferem um acabamento muito legal”, diz a paisagista Gigi Botelho.

Apenas lembre-se de um detalhe: em pequenos espaços não coloque o capim junto de outras espécies volumosas. “Caso contrário, causará uma sensação de claustrofobia ao local”, explica Santana.

O que usar

Para não errar, preparamos uma lista das espécies mais recomendadas:

- barba-de-bode (Eragrostis curvula)
- capim-bambu (Thysanolaena latifolia)
- capim-dos-pampas (Cortaderia selloana)
- capim-do-texas (Pennisetum setaceum)
- capim-do-texas-vermelho (Pennisetum setaceum “Rubrum”)
- capim-elefante (Axonopus siccus)
- capim-palmeira (Curculigo capitulata)
- capim-zebra (Miscanthus sinensis)
- grama-azul (Festuca glauca)

Serviço:

Gigi Botelho
Rua Mário Maglio, 207 – São Paulo (SP)
Tel: (11) 3892-2588
e-mail: contato@gigibotelho.com.br

Gilberto Elkis
Rua Rodésia, 497 – São Paulo (SP)
Tel: (11) 3815-9537

Paula Magaldi
Alameda Lorena, 442 – São Paulo (SP)
Tel: (11) 3050-0808
e-mail: paisagismo@paulamagaldi.com.br

Sergio Santana
Avenida das Américas, 1155 – Rio de Janeiro (RJ)
Tel: (21) 3325-1653

Raul Hilgert
Tel: (51) 8448-9977
e-mail: raulhilgert@terra.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.