O inverno é a melhor época do ano para decorar a casa com as flores símbolo da Holanda

Delicadas, sensíveis ao calor e de beleza única. Assim são as tulipas. Símbolo da Holanda, essas flores originárias da Turquia e Ásia Central serviram de inspiração ao escritor Alexandre Dumas, no romance Tulipa Negra, e também deram nome ao personagem de Alain Delon, no clássico cult homônimo.

No Brasil a produção vai de março a setembro. “Porém, os meses de pico são junho e julho, quando as flores estão mais bonitas”, diz Ricardo Souza, gerente de produção da fazenda Terra Viva. Por aqui, se tornaram sinônimo de sofisticação dada a sua delicadeza.

Ao redor do mundo são conhecidas cerca de 2.500 variações, que resultam em diversas cores e formas. “Mas a barcelona, a inzel, ile de france e a hollandia são as variedades mais encontradas em nosso país, onde há maior procura por tonalidades fortes. Além disso, são as espécies que se adaptam melhor ao clima tropical”, explica Souza.

Cuidados

Para manter a beleza das tulipas é preciso tomar alguns cuidados especiais, que começam desde a compra. “Escolha aquelas que estiverem com os botões mais fechados e folhas bem vigorosas”, indica a florista Yuri Kobayashi.

O charme da planta cai bem em qualquer lugar da casa. “No entanto há restrições. Eleja apenas ambientes arejados e evite locais abafados, pois ela é muito sensível ao calor”, afirma Alba Meira, da Girassol Paisagismo. “Uma dica é usá-las para compor arranjos na mesa principal”, diz Yuri.

Um truque para fazê-las durar por mais tempo é usar água gelada ou cubinhos de gelo na rega ou na base dos arranjos para manter a temperatura ideal. “Vale colocá-las na geladeira à noite, medida que prolonga a durabilidade da flor”, sugere Souza. Para quem mora em regiões mais frias, é possível transplantá-la para o jardim. “Desde que não receba luz solar direta”, alerta.

Acerte no vaso

Os vasos também são importantes nesse contexto. Trocar um modelo de plástico por um de barro pode ser uma boa pedida. “Eles são excelentes opções para deixar a planta mais fresca e isolar o calor”, diz Alba.

No caso dos arranjos, Yuri indica os complementos que combinam melhor. “Aposte em folhas pequenas e delicadas, como ruscus, xanadu e minipapirus. A apresentação ainda pode ser elaborada em cachepô de vidro com musgo fofão para dar acabamento.”

Independentemente da opção e dos adornos, é preciso tomar um cuidado essencial. “Faça um corte diagonal na ponta do caule para garantir longevidade para as tulipas”, completa Alba.

Origem

Apesar de ser considerada a capital mundial da tulipa, a Holanda não possui uma única espécie endêmica. Elas foram introduzidas na Europa em meados do século 16. “Essa crença existe porque eles foram os primeiros a explorar comercialmente a flor e fazer a hibridação das variedades”, diz Ricardo Souza, gerente de produção da fazenda Terra Viva. No Brasil, os primeiros bulbos desembarcaram somente em 1988.

Cultivo no Brasil

A diversidade de tulipas ainda não é grande, pois o cultivo é recente e pouco praticado. Isso se traduz nos preços dos arranjos e vasos, que podem ser encontrados a partir de R$ 45 e R$ 35, respectivamente.

“Infelizmente a cultura não é muito difundida, pela demora em colher resultados e o alto custo de produção” afirma Alba Meira, da Girassol Paisagismo.

Para que as plantas floresçam é preciso alta tecnologia para reproduzir o clima original de seu habitat. “Elas são acondicionadas em câmaras frias, porque precisam de temperaturas muito baixas para a formação da flor”, explica Souza.


Serviço:

Fazenda Terra Viva
Tel: (19) 3802-9000

Girassol Paisagismo
Tel: (31) 3377-9802

Yuri Kobayashi - florista
Tel: (11) 4416-1190/9989-3302









    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.