A pequena lithops confunde e encanta os colecionadores por seu exotismo

À primeira vista trata-se, certamente, de uma pedra. Mas um olhar um pouco mais demorado revelará toda a curiosa beleza dessa pequena plantinha. Originária da África do Sul, e extremamente parecida com um pedregulho de rio, a lithops é, na verdade, uma minúscula suculenta da família Aizoaceae.

Leia também: Entenda tudo sobre rosas e saiba como fazer o cultivo

Originária da África da Sul, a lithops é uma planta de pele lisa e aparência de pedra
Divulgação
Originária da África da Sul, a lithops é uma planta de pele lisa e aparência de pedra

“O nome lithops tem origem na palavra grega lithos (pedra) e tops (forma)”, explica a engenheira agrônoma Miriam Stumpf. “Trata-se de uma planta com altura em torno de cinco centímetros, de forma arredondada e pele lisa, composta por duas folhas carnosas presas a um caule, que fica invisível dentro da terra. Em sua região de origem, essa camuflagem tem a finalidade de fazer com que a lithops passe despercebida por animais que a poderiam consumir”, afirma Miriam.

Mas esta suculenta não é apenas curiosa. Na temporada de calor , ela reserva uma surpresa: pequenas e delicadas flores de pétalas finas, nas cores branca ou amarela, que florescem no final do verão. Sem dúvida, uma bela recompensa para quem passou o ano cultivando-as. Para Cintia Midori, do blog www.cactoseafins.blogspot.com, “a melhor forma de aprender os segredos da espécie é com a prática”.

Cultivo exige paciência

“No início, a palavra de ordem é pouca rega e muita paciência”, afirma ela. Para não desanimar, comece com diversas plantas adultas, mas depois compre algumas sementes e comece a aventura. “As lithops demoram para se desenvolver”, completa.

As lithops adaptam-se a altas temperaturas e baixa umidade
Divulgação
As lithops adaptam-se a altas temperaturas e baixa umidade

Uma das dicas importantes para obter sucesso no cultivo é tentar reproduzir o ambiente de origem da espécie. “Elas crescem em áreas muito secas”, diz Cintia. Assim, as altas temperaturas e a baixa umidade favorecem o seu desenvolvimento.

Durante o inverno , quando aparentemente nada acontece, as lithops começam a desenvolver internamente um novo par de folhas que se alimentam exclusivamente da umidade e dos nutrientes das folhas exteriores.

Nesta fase não se nota nenhuma diferença de tamanho no corpo da planta, pois à medida que as novas folhas crescem as mais antigas definham. Entretanto, no início da primavera, o novo corpo estará completamente desenvolvido e das folhas antigas restará apenas uma fina capa seca. A esta altura, as lithops armazenam a água que podem para se preparar para o período de repouso do verão. O mais importante é evitar o excesso de umidade que leva, invariavelmente, ao apodrecimento da planta.








Serviço:

Miriam Stumpf

Cintia Midori

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.