Primavera é sinônimo de replantio. Separe as ferramentas e descubra como deixar seu jardim lindo e saudável

Nos primeiros sete dias o ideal é manter a espécie recém-transplantada à meia-sombra
Getty Images
Nos primeiros sete dias o ideal é manter a espécie recém-transplantada à meia-sombra
A chegada da primavera anuncia a transformação do jardim. As flores ganham colorido especial e as folhas ficam mais verdes e vigorosas. Hora certa para trocar aquela planta de lugar ou mudá-la para um vaso mais bonito “As condições climáticas deste período são ideais para o corte e a cicatrização das raízes. As únicas exceções são as espécies que florescem no outono ou inverno”, afirma Sandra Rossino, bióloga da Sinal Verde Cursos Ambientais.

Conheça as plantas típicas da:
Primavera

Inverno

Outono

Para saber se sua planta precisa de um vaso maior observe se houve diminuição na quantidade de flores ou se existem raízes aparentes na superfície ou nos furos de drenagem. “Quando isso acontece, as raízes não têm mais espaço para se desenvolver e a espécie precisa ser transplantada”, diz a paisagista Ana Reyes, da Escola Pró-Arte.

Depois de definido o local, é hora de escolher o melhor momento do dia para realizar o procedimento. “Prefira o começo da manhã ou o fim de tarde, pois não há incidência de sol forte nas plantas. Isso evita a transpiração desnecessária e danos às raízes”, explica Sandra.

Outra atitude imprescindível é escolher as ferramentas ideais para a tarefa. “Para vasos, tesoura bem afiada, pá e garfo bastam. No caso de espécies de grande porte e jardins , pode-se utilizar desde enxadas e serrotes até guindastes e retroescavadeiras. Nesse caso, consulte um especialista”, indica o paisagista Marcos Malamut, da Proflora.

Veja mais:
Como recuperar uma planta ressecada

Como conservar suas flores por mais tempo

Cuidados extra

Podas nunca devem ser feitas após o replantio. “Em alguns casos pode ser necessário realizá-la antes do processo para minimizar a perda de água por transpiração durante a fase de adaptação ao novo vaso”, explica Ana.

Durante o processo verifique o estado das raízes. Se estiverem enoveladas, é preciso cortá-las para garantir melhor absorção dos nutrientes e desenvolvimento da espécie.

Após o replantio é fundamental oferecer à planta substrato de boa qualidade , poroso e rico em nutrientes. “Cobrir o vaso com seixos ou casca de pinus ajuda a planta nessa fase, pois mantêm a terra úmida, o que diminui o estresse do exemplar”, diz Malamut.

Lembre-se de regá-la em abundância após o transplante e nos dias subsequentes, para garantir o seu desenvolvimento. “Exceção feita para cactos e suculentas, pois o excesso de água apodrece as raízes”, alerta Ana.

Para finalizar, coloque o exemplar longe do alcance do sol direto. Nos primeiros sete dias o ideal é manter a espécie recém-transplantada à meia-sombra. Depois deste período, ela pode voltar a ser exposta ao sol de acordo com suas características.

Serviço:

Escola Pró-Arte
Tel.: (19) 3254-6616 / (15) 3231-7461

Proflora Arquitetura & Paisagismo
Tel.: (11) 3042-8549

Sinal Verde Cursos Ambientais
Tel.: (11) 5055-9321

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.