Plantas em vasos pequenos exigem cuidados para florescer o ano todo

É preciso mais do que gostar de conviver com flores para mantê-las saudáveis em casa. Principalmente quando elas estão plantadas em pequenos vasos. Por se tratar de um habitat cheio de limitações para seu desenvolvimento, é preciso redobrar os cuidados.

Comece escolhendo a flor certa para cada ambiente. Por isso, na hora da compra, não hesite em perguntar tudo sobre cada espécie que lhe interesse: suas características, manutenção adequada, problemas recorrentes e localização ideal dentro de casa. Assim como as pessoas, uma espécie é diferente da outra e sem esse guia informal a padronização dos cuidados pode ser danosa.

Algumas espécies convivem bem com o calor e as oscilações da incidência solar, como os diversos tipos de cactos, que apensar de não serem famosos por suas flores, também dão belos botões.

Segundo o arquiteto Paulo Gazolla, estas são espécies que exigem regas mais espaçadas e lugares sem a incidência direta do sol. Mesmo assim, é recomendável ter sempre janelas abertas para garantir a circulação do ar e a respiração das plantas.

Procure manter as plantas ao ar livre com 
certa frequencia e com a irrigação adequada
Getty Images
Procure manter as plantas ao ar livre com certa frequencia e com a irrigação adequada

Passeios ao ar livre são bem-vindos

Se possível, deixe periodicamente as plantas em áreas livres, principalmente se o vaso for feito de aço, vidro, latão ou plástico, materiais que não facilitam a troca de ar. “Tente fazer isso pelo menos duas vezes ao mês, aumentando a frequência no inverno para uma vez por semana”, diz o gerente da loja Mil Plantas, Aparecido Gomes de Oliveira.

Para amenizar esses fatores escolha vasos de cimento, cerâmica ou fibra natural, como o coco. Com boa porosidade natural, esses materiais auxiliam na troca de ar com o ambiente e drenam bem a água, evitando a formação de fungos e a retenção de líquido excessivo, que apodrece a planta.

Acerte no vaso

Para segurar a umidade da terra sem excessos é aconselhável a impermeabilização de vasos e floreiras. Para isso, na hora de plantar, faça uma base de argila expandida (pedras que lembram seixos) e sobre ela coloque uma manta de bidim (tipo de poliéster) ou cascas desidratadas. Só então acrescente terra e a muda. Essa estrutura ajuda a drenar a água, evitando retenção de líquidos excessivos. Além disso, fique atento ao aparecimento de trincas e vazamentos nos interiores.

Outro fator importante é a  eficiente. O mercado oferece boas soluções para quem dispõe de pouco tempo para manutenção das plantas. “O sistema em gel é bastante vantajoso. O mais apropriado é a irrigação automática que impede o desperdício de água e dispensa a presença do morador”, afirma a paisagista Solange Nascimento.

Umidade sob controle

Lembre-se que água demais mata a planta mesmo no verão, quando a temperatura aumenta e a umidade do ar diminui, dando por vezes a falsa impressão de que os vasos precisam de regas extras. “Em geral, uma xícara de água, de uma a duas vezes por semana, é suficiente para garantir a umidade da terra”, afirma Aparecido Gomes de Oliveira, gerente da loja Mil Plantas.

Uma boa maneira de saber quando a flor precisa de água é afundar o dedo na terra, cuja consistência não deve ser nem de areia, nem de barro. A florista Helena Lunardelli garante que a sensação de firmeza, frescor e umidade ao toque é a certeza de que a rega está no ponto.
Na ausência do morador, há hotéis que cuidam de plantas. A diária varia de R$ 2 a R$ 40, dependendo do porte do vaso e dos cuidados que a espécie demanda.

Consultoria:
Helena Lunardelli  - Telefone: (11) 3061 0417
Mil Plantas - Telefone: (11) 3832 0170
Paulo Gazola - Telefone: (11) 5041 9747 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.