Despojamento e sofisticação combinam-se nos ambientes externos da mostra

Tão notável quanto a integração entre o antigo e o moderno nas áreas internas da 20ª Casa Cor Rio de Janeiro é a harmonia entre a Mata Atlântica local e os jardins criados por arquitetos e paisagistas para a mostra.

Os cerca de 4 mil m² do terreno onde foram montados os 61 espaços do evento deste ano são cercados por mais de 50 mil m² de mata nativa. “Uma moldura perfeita”, segundo a organizadora Patrícia Mayer. “O próprio terreno tem elementos riquíssimos para o paisagismo, como as duas mangueiras centenárias ao redor das quais a paisagista Anna Luiza Rothier montou seu ambiente.”

Estilo carioca

Logo na entrada, bem em frente à fachada do casarão de estilo neoclássico, construído em 1883, que abriga a mostra deste ano, o Lounge Garden prova que o carioca é informal, despojado e, ao mesmo tempo, sofisticado em seu jeito de morar.

Autora do projeto, Márcia Müller afirma que a ideia era criar um espaço para a contemplação da paisagem. A arquiteta optou por grandes sofás de fibra, com estofado em tons sóbrios. Para esquentar o ambiente, lanternas e deck de madeira.

Colaboram com o ar despojado elementos rústicos e campestres como móveis de madeira de demolição, peças de cerâmica pintadas à mão e luminárias de ferro oxidado.

Jardins verticais

Envelopes de fibra de bananeira abrigam mudas no ambiente de Maritza de Orleans e Bragança, na 20ª Casa Cor Rio de Janeiro
Celso Pupo/ Fotoarena
Envelopes de fibra de bananeira abrigam mudas no ambiente de Maritza de Orleans e Bragança, na 20ª Casa Cor Rio de Janeiro
Não foi só na mostra paulistana que os jardins verticais fizeram sucesso e invadiram toda a casa, não se restringindo às áreas externas.

Na Varanda do Casal, da 20ª Casa Cor Rio de Janeiro, criada por Adriana Valle e Patricia Carvalho, os jardins de samambaias e orquídeas enfeitam parte de uma das paredes. No Café do Pátio, as plantas escondem a caixa d´água original da casa e, no Solarium, elas cobrem toda a fachada. O ambiente é de Juliana Neves, Luciana Nasajon e Mabel Grahan Bell.

Pelo Jardim do Labirinto, criado por Maritza de Orleans e Bragança, o visitante ainda confere outras boas ideias, a começar pela parede monocromática, coberta por folhagens, que trazem volume à superfície. Mais adiante, surgem também bromélias e pimentas. Pedaços de troncos se transformam em vasos e a fibra de bananeira faz surgir envelopinhos para mudas.

No final do labirinto há um muro com aberturas circulares onde os visitantes colocam o rosto e vêem sua imagem refletida em um cenário surpreendente, onde o próprio corpo do visitante é recriado de forma estilizada com a ajuda de flores. “Minha proposta foi representar de forma lúdica o equilíbrio entre o homem e a natureza”, afirma a paisagista.


Serviço

Casa Cor Rio de Janeiro
Local: Palacete Modesto Leal
Rua das Laranjeiras, 304 – Rio de Janeiro (RJ)
Tel: (21) 3598-6220
Data: de 3 de setembro a 13 de outubro de 2010
Visitação: de terça a sábado, das 12h às 22h; domingos, das 10h às 20h
Ingresso: de terça a sexta, R$ 30,00; sábados, domingos e feriados, R$ 35,00 (estudantes e maiores de 60 anos pagam meia entrada)








    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.