Saiba quais espécies se adaptam melhor à umidade e ao calor da área de lazer

Com a chegada do verão, a piscina se torna uma das áreas mais movimentadas da casa. E ter um belo jardim deixa o ambiente ainda mais agradável. A paisagista Roberta Martins recomenda mesclar espécies de plantas altas, médias e baixas, criando degraus na vegetação para preencher o espaço.

“Aproveite a grande incidência de sol para plantar espécies tropicais, como as palmeiras e coqueiros, que têm tudo a ver com verão e com o clima da piscina.” Fique atento, apenas, para não gerar sombra onde não for desejado.

Para Benedito Abbud, é importante pensar no paisagismo desde o caminho até a piscina para criar expectativa. “Coloque arbustos e árvores para fechar o visual vertical. Elas também servirão para fazer um pouco de sobra”, afirma. Pergolados e caramanchões ajudam a criar áreas protegidas do sol.

Mas o mais importante na hora de escolher como será o jardim é levar em conta que ele deve estar de acordo com a arquitetura da piscina. “A piscina é o quadro e o paisagismo é a moldura. Por isso, se a piscina for moderna ou mais clássica, o jardim deve seguir a mesma linha para combinar com o ambiente onde está inserido”, afirma Roberto Riscala.

Como escolher as espécies

Para quem tem piscinas descobertas, adotar um jardim próximo exige mais atenção para evitar que as folhas caiam com frequência na água. “Evite plantas de folhas miúdas e caducas, como o ipê, já que no inverno elas caem e acabam sujando a água, o que requer limpeza e manutenção mais frequentes”, afirma Abbud. “Plantas com muitas flores também não são recomendadas, porque após cumprirem o seu ciclo natural, cairão na água.”

O ideal é optar por espécies que criem pouca sombra, evitando as árvores de grande porte. “Sombra muito grande pode tornar o ambiente escuro e deixar a água mais fria”, lembra Abbud. Segundo Riscala, à exceção dessas espécies, todas as demais podem ser usadas no projeto paisagístico da piscina, incluindo aí muita grama. “Uma piscina só com piso cria um ambiente muito árido”, diz.

Roberta recomenda também utilizar espécies com folhas e flores grandes para alegrar o ambiente, como moréias, fórmios, helicônias e estrelitzias. “São espécies baixas que não perdem muitas folhas, por isso, são ideais para compor um jardim ao lado da piscina.”

Cuidados importantes

Ao redor da piscina, evite plantas com espinhos, tóxicas ou venenosas. Esse é um espaço de lazer e alguém pode acabar se machucando, especialmente as crianças. Fique atento ainda ao tamanho da raiz da árvore, pois dependendo do diâmetro que ela alcançar, poderá afetar a estrutura da piscina. “Quanto menor for a copa da árvore, menor será o diâmetro da raíz, impedindo que ela chegue à estrutura da piscina”, diz Abbud.

Como é comum a área muito perto da piscina ficar molhada, o projeto paisagístico pode prever o uso de seixos para ajudar a absorver a água e esconder a canaleta por onde escorre a água que cai fora da piscina. As pedras também ajudam a integrar a piscina ao jardim. “É possível até mesmo fazer uma ilha dentro da piscina”, sugere Roberta.

Mas ela aconselha pensar no projeto de modo que a água da piscina não molhe as plantas. “A água da piscina tem cloro e isso queima as folhas. Por isso é importante ter uma canaleta por onde a água possa escoar para não molhar o jardim e as plantas”, afirma.

Consultoria: 
Benedito Abbud
Roberta Martins
Roberto Riscala

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.