Pesquisar antes de decidir qual árvore plantar perto de casa é a melhor solução para não ter dor de cabeça

Reunir a família para um almoço sob uma copa frondosa, passar a tarde balançando na rede ou ainda amenizar o calor são apenas algumas das alegrias que uma árvore pode trazer.

Porém, para a felicidade não acabar em tristeza, é preciso saber escolher. “O principal erro cometido é plantar por impulso, sem saber quais as características e o tamanho que a espécie pode atingir”, diz a paisagista Nô Figueiredo.

É necessário fazer a poda da árvore antes do transplante
Divulgação Macaúba
É necessário fazer a poda da árvore antes do transplante
Segundo ela, para aumentar as chances de acerto, risque da lista aquelas cujos galhos caem naturalmente, que tenham ramos frágeis e sejam mais suscetíveis a pragas .

Além do entupimento de calhas e telhas quebradas, a falta de informação pode acarretar em outros problemas. “A copa pode interferir na visualização de placas, na iluminação pública e causar danos à rede elétrica”, afirma Luiz Amarante, da Equilíbrio Ambiental.

Os estragos não são causados somente pela parte visível. “Deve-se evitar espécies com raízes aéreas ou tubulares, pois elas deformam o passeio público , invadem cisternas e fossas próximas, e podem até comprometer a estrutura da edificação”, alerta Leandro Guedes Marinho, diretor técnico da empresa de paisagismo Macaúba.

Para evitar aborrecimentos, algumas medidas simples podem ser tomadas. “O plantio em uma calçada só deve ser feito se ela tiver no mínimo 1,5 m. Para não errar consulte a prefeitura, o órgão tem uma lista com as espécies indicadas para cada caso”, afirma Nô.

Também não é aconselhado o uso de árvores frutíferas nas vias públicas. “Os frutos podem atingir pedestres e veículos”, explica Amarante. Já dentro da propriedade, a distância mínima aconselhada é de seis metros de qualquer construção. “Se no local do plantio não houver este espaço é aconselhado o uso de arbustos”, diz Marinho.

Gentileza

Caso o exemplar tenha chegado primeiro, o melhor a fazer é tentar contornar o problema de forma pacífica. “É importante fazer uma manutenção regular acompanhada por profissionais, que possam diagnosticar possíveis problemas e soluções”, afirma Marinho.

Como último recurso, é possível transplantar a árvore. Mesmo depois de adulta, pode ser feita a remoção, mas existe um limite que varia conforme a espécie. “Já fiz o transplante de uma jabuticabeira de cinco metros de altura”, exemplifica Nô.

Se tiver dúvidas ou quiser mais detalhes sobre as espécies indicadas para sua região, procure a Secretaria do Meio Ambiente de seu estado.

Serviço:

Equilíbrio Ambiental
Rua Alvorada, 445 – Atibaia (SP)
Tel: (11) 4402-3159

Macaúba Paisagismo e Meio Ambiente
Rua Projetada, 233 – Macaé (RJ)
Tel: (22) 2273-2004

Nô Figueiredo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.