Cultive pimentas em casa sem mistério

Por Bruna Bessi , iG São Paulo

Texto

A plantação, também conhecida por afastar o mau-olhado, exige sol pleno e irrigação diária. Veja como montar o seu espaço de temperos

Quem tem horta em casa sabe a felicidade que é o momento da colheita dos alimentos para fazer a comida. E quando se trata de conserva, usar as pimentas do jardim é ainda mais prazeroso. O cultivo da planta – também conheciad por afastar o mau-olhado – é fácil e a exigência principal é sol pleno, já que não há muita tolerância ao frio. Existem no Brasil cinco espécies mais comuns – malagueta, cumari, pimenta-de-cheiro, pimenta-de-bode, dedo-de-moça e biquinho –, nesta sequência de ardor. E todas devem ser plantadas preferencialmente no início da primavera, entre setembro e outubro, para se desenvolverem melhor. “É interessante usar as sementes de uma pimenta madura. A dica é deixá-las expostas ao sol até ficarem bem secas antes de cultivo”, diz Angela Rossi, agrônoma do Shopping Garden.

Leia mais: Conheça a exótica rosa-do-deserto

Thinkstock Photos
A pimenta malagueta é a variedade brasileira com maior ardência e pode ser cultivada em todo o País

A plantação das sementes deve ser feita em recipientes pequenos (com furos embaixo para a água ser drenada) – três sementes em cada copinho. “Após fazer corretamente o plantio, a primeira colheita acontece em 90 dias”, afirma Benedito Abbud, paisagista. O cultivo das pimentas envolve também cuidados para que haja sempre umidade no solo ou na terra do vaso. O mais indicado é regar a planta todos os dias, mas sem encharcar as raízes. E não há pressa para replantar as mudinhas. “Retire-as dos copinhos somente quando estiverem fortes e com, no mínimo, dez centímetros de altura”, diz Angela.

Thinkstock Photos
A pimenta biquinho, vermelha e arredondada, tem um gosto suave e é cultivada em Minas Gerais

“No momento do transplante, tire a planta com cuidado e preserve o torrão e as raízes. Lembre-se ainda de respeitar o espaçamento médio de 1,20 m entre as mudas”, afirma a agrônoma. A horta ficará mais bonita se várias espécies de pimentas estiverem presentes – não há problema em misturá-las porque têm a mesma fisiologia e podem ser cultivadas junto. O crescimento das espécies depende também de mais um fator: a adubação. O melhor é usar a terra já adubada e deixar cacos de telha no fundo do vaso para garantir uma boa drenagem.

Outro aspecto importante no plantio das pimentas é a poda. “Retire os galhos secos logo que aparecerem, pois não são mais necessários. Além disso, quando a pimenteira estiver muito seca, fique atento ao tamanho do vaso, pois estará pequeno”, afirma Marcos Brancher, paisagista e diretor da MbFlores.

As espécies existentes no Brasil variam no nível de ardência e tamanho do fruto. As pimentas de cores fortes, mais maduras, apresentam ardor elevado. Um exemplo é a malagueta. Esta é a variedade com maior ardência, já a biquinho, vermelha e arredondada na ponta, tem um gosto suave e quase não se percebe o sabor picante.


Veja ainda:

Salas poderosas transformam a casa

Prepare a casa para a estação mais quente do ano

“Não há planejamento nem coordenação entre as gestões em São Paulo"

Leia tudo sobre: pimentacultivoplantaçãohortajardinagemcasa
Texto

notícias relacionadas