Ainda fora do mercado, inventor busca investidor para obter regulamentação do produto, que deixará muita gente mais tranquila no fim do mês

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508186282&_c_=MiGComponente_C

Se você sempre leva um susto quando a conta de água chega à sua casa, saiba que não é o único. Para o técnico de manutenção Reginaldo Aparecido de Moraes, da cidade de Guarulhos, em São Paulo, há quinze anos este problema o vinha atormentando, até que ele conseguiu desenvolver uma nova invenção: um hidrômetro especial que não contabiliza a passagem de ar, o que aumenta o registro do consumo em aproximadamente 40%.

Para entender o novo invento criado por Moraes, é simples: o hidrômetro é capaz de distinguir o ar da água por meio de uma boia, que impede que o aparelho gire o contador durante a passagem de ar. Neste caso, aquele ruído que escutamos sempre que água é reabastecida após uma interrupção não nos daria mais prejuízo e, segundo garante o próprio Reginaldo, nem à companhia fornecedora.

Como parece difícil de acreditar, o técnico desenvolveu uma maneira de comprovar sua teoria. Num painel, colocou os dois diferentes hidrômetros, o normal e o criado por ele, ligados em série. No aparelho comum, o painel mostra o ar passando e o hidrômetro girando. Ao contrário do novo aparelho, que é mais sensível, afirma o inventor que, juntamente com a Associação Nacional dos Inventores, criada para incentivar e popularizar as inovações tecnológicas do País, já busca conseguir um investidor para a fabricação e regulamentação pelo Inmetro de seu produto, que ainda é apenas um protótipo artesanal.

Diferente de todos os acessórios irregulares já inventados, a nova solução de Reginaldo não causa contaminação de água e tampouco prejuízo aos vizinhos de quem quer que o esteja utilizando. O novo hidrômetro também pode ser confeccionado de maneira que somente substituirá as partes internas da carcaça dos hidrômetros atuais, sem necessitar uma troca completa do aparelho. O ideal agora é torcer para que Reginaldo encontre logo um investidor que apoie sua ideia.


Leia mais sobre: economia doméstica

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.