Wagner Archela aproveita o burburinho da semana de design italiana para inaugurar sua primeira loja no Brasil

Divulgação
Além de suas peças, a loja de Wagner Archela terá trabalhos de renomados designers internacionais
Desde que iniciou sua carreira internacional, em 2006, esta é a primeira vez que o designer Wagner Archela , de 47 anos, não acompanhará de perto a receptividade de suas peças durante a Semana de Design de Milão . Mas a ausência tem uma boa causa, ele estará em contagem regressiva para a inauguração de sua primeira loja , a Lovers Design Artcool, no dia 18 de abril. O espaço de 50 m², no shopping Iguatemi de Alphaville (SP), terá projeto de Moema Wertheimer e trabalhos de designers renomados como Maartin Baas, Marcel Wanders e Nacho Carbonell, além de peças das marcas Alessi, Missoni, Skitsch e Koziol (alemã). Sem falar de suas criações, claro.

“Tentei fazer uma seleção de peças bacanas para todos os momentos e bolsos”, diz Archela. A ideia nasceu durante a negociação para trazer a primeira flagship da Alessi ao Brasil. “Comecei a me sentir incomodado de não poder ter outras marcas e nomes. Queria ter uma loja democrática. É muito mais inspirador poder fazer uma seleção livre do que acho mais bacana”, completa ele, que conta com a ajuda de outros três sócios, Vivianne Simões, Eduardo Souza e Leo Macias.

Com este último, o designer ainda tem pendente outro projeto intitulado “Sete Dias”, que deverá contar com sete peças assinadas dos dois artistas, sendo que todas contarão com interferências de ambos. “Tenho até vergonha de confessar, mas em mais de sete semanas só conseguimos produzir uma peça”, diz Archela. “Pura falta de tempo”, completa. O trabalho deverá resultar em uma exposição, ainda sem data para acontecer.

Designer por acaso

Considerado um dos grandes nomes do design nacional, a carreira de Wagner Archela começou por acaso, em 2004. “Nada foi planejado, mas tudo aconteceu da forma certa: sem pressa e tirando lições de todas as etapas que eu vivenciava”, diz ele, que já representou o design brasileiro ao lado de Joaquim Tenreiro, em edição especial da revista Elle Decor, de Paris, foi apontado por Marva Griffín, curadora do Salão Satélite da Semana do Móvel de Milão, como um dos 15 melhores designers que já passaram pela mostra, e tem peças expostas na galeria Rossana Orlandi, uma das mais badaladas de Milão.

Conheça as principais peças criadas por Wagner Archela:

Paulistano, filho de pai engenheiro, Archela, iniciou sua vida profissional na faculdade de engenharia civil. E, apesar de adorar toda a parte de construção e raciocínio lógico, logo nos primeiros anos, percebeu que não era aquilo que queria fazer. “Larguei tudo para tocar jazz e blues”, conta.

Foram seis anos trabalhando como guitarrista e cantor profissional até que o casamento e o nascimento do primeiro filho fizeram Archela abandonar as incansáveis noites sem dormir para se fixar em algo mais “consistente”.

“Juntei dinheiro e abri um petshop”, diz ele, que na mesma época, começou a se interessar pela produção de aquários . “Estudei e fui conhecer como os grandes aquários americanos eram feitos. Voltei ao Brasil e desenvolvi uma nova técnica de solda”, conta.

O que inicialmente era apenas um trabalho para amigos e conhecidos acabou se tornando profissional quando, ao conversar com um fornecedor de equipamentos do Texas (EUA) viu-se, da noite para o dia, com a encomenda de oito mil aquários. “Sem lugar para fazê-los e sem nenhuma ajuda”, lembra.

Três meses depois, na data certa, a encomenda estava pronta em um contêiner e o galpão vazio. “Não pensei duas vezes, fiz mais alguns vasos diferentes, coloquei-os numa caixa e bati na porta da Tok&Stok, com a cara e a coragem.”

Em menos de um ano já estava com 15 projetos na loja, entre vasos , saboneteiras e bandejas . Mas Archela ainda não se considerava um designer. “Eu era apenas um curioso que gostava de conhecer novas experiências e fazer muitos desenhos. Mas de repente me vi desenvolvendo penteadeiras, poltronas, luminárias e mesas para a loja”, diz o designer.

Os banquinhos Mangue Bit, da coleção Mangueagogo, também estarão na maior feira de design do mundo, em Milão
Divulgação
Os banquinhos Mangue Bit, da coleção Mangueagogo, também estarão na maior feira de design do mundo, em Milão
Peças que foram descobertas pela empresária Cristiana Arcangeli, pelo produtor de eventos Pietro Pazzeto, e por Ana Cristina Ferreira Leite, então diretora financeira e administrativa da revista Vogue. “Foi com a ajuda deles que trabalhei com a TAM, revista Vogue, Chanel, Louis Vuitton e Tommy Hilfiger.” Isto na mesma época em que os primeiros móveis – como a chaise long Domingos - começavam a invadir as principais lojas de design e decoração.

Ainda trabalhando na promoção de sua mais recente coleção de luminárias - na qual pendentes, arandelas e abajures criados anteriormente ganharam cores vibrantes -, Archela torce para que a estante Sururu, a cômoda Agogô e os bancos da linha Mange, se destaquem no mar de lançamentos de Milão antes de desembarcarem na nova loja.

Serviço:
Archela Design Studio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.