Em passagem pelo Brasil, o famoso designer Ross Lovegrove defende o design orgânico e a sustentabilidade

selo

O designer Ross Lovegrove durante paestra em São Paulo
Mathias Coaracy
O designer Ross Lovegrove durante paestra em São Paulo
Um dos maiores militantes do design orgânico, o renomado designer e arquiteto britânico Ross Lovegrove foi a estrela da 3ª edição do Casa Cor Stars, realizado hoje, em São Paulo. Com peças assinadas para grandes marcas como Apple, Sony, Tag Heuer, Louis Vuitton, Hermès e Issey Miyake, ele falou para quase 500 arquitetos, designers e decoradores convidados sobre a importância de se criar pensando de forma sustentável.

“O que é orgânico cai muito bem com a ideia de reciclagem. Mas ainda não se vê a real reciclagem. Isso ainda não se transformou em um sistema”, afirma o Lovegrove. “Se as coisas são bem desenhadas, elas não precisam ser recicladas”, completa ele, que prevê para o futuro a criação de peças feitas de merengue. “Não seria interessante ter coisas feitas assim, que se desfazem com água? Seria muito bom para a natureza.”

Esta é, inclusive, uma palavra que permeia todo seu vocabulário. “O que é bonito na natureza e na evolução é que elas são sinceras”, disse Lovegrove ao apresentar um de seus projetos mais famosos, a garrafa d’água criada para a empresa italiana Ty Nant. Com formas distorcidas, ela funciona como uma espécie de capa plástica para a água. De acordo com Lovegrove, criar a embalagem foi um verdadeiro desafio, pois a água é algo que muda o tempo todo. “Por isso respeito o impressionismo: a informação entra na mente humana, é digerida e sai.”

Essencialismo orgânico

Cadeira Supernatural, feita para a Moroso
Reprodução
Cadeira Supernatural, feita para a Moroso
As linhas arredondadas e formas vazadas desenhadas por Ross Lovegrove fazem parte do que ele chama de essencialismo orgânico. A filosofia por trás desse conceito se resume na ideia de que não precisamos de mais nada além do necessário. “Os furos nessa cadeira não estão lá por que eu quero, mas por que você não precisa desse espaço”, diz, enquanto apresenta uma de suas peças mais famosas, a cadeira Supernatural, criada para a Moroso em 2005.

Dentro do mesmo conceito e da preocupação com a natureza Lovegrove analisou a boa fase pela qual o Brasil passa. “O Brasil é uma cultura que está entre a natureza, vocês têm floresta tropical e tecnologia”, diz ele, que se surpreendeu com a grande quantidade de madeira usada nas criações, apontadas como de alta qualidade e sensualidade. “Vocês fazem coisas incríveis com esse material, mas me preocupo por não saber de onde saiu toda essa madeira. Esse não é um recurso descartável. Ele tem que durar para sempre.”


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.