Profissionais imaginam como será, no futuro, o evento que termina na próxima semana

Ter os cômodos de uma casa decorados por diferentes profissionais estabeleceu-se como padrão para as melhores mostras do segmento desde a criação da Casa Cor, há 25 anos . Porém, nos últimos anos, até mesmo o mais importante evento de decoração da América Latina vem trazendo – aos poucos – novas possibilidades de apresentar o trabalho de arquitetos, decoradores e paisagistas.

A Casa Cor já invadiu um hospital abandonado, um galpão fabril e agora está nas dependências do Jockey Club de São Paulo. Ali, a designer de interiores Brunete Fraccarol i, que no ano passado construiu uma casa de bonecas de vidro, ambientou um lar em contêineres de metal, tentando fugir dos espaços tradicionais. Na edição de 2006, João Armentano propôs a criação de uma casa completa dentro de uma caixa de 2 m x 3 m. Ideia resgatada neste ano por Gustavo Calazans.

Casa de bonecas com estrutura em vidro construída pela arquiteta Brunete Fraccaroli. O ambiente fazia parte da Casa Kids de 2010
Tuca Reines
Casa de bonecas com estrutura em vidro construída pela arquiteta Brunete Fraccaroli. O ambiente fazia parte da Casa Kids de 2010

Mas quais outros formatos podem surgir nos próximos 25 anos? No exercício de futurologia , profissionais pensaram em possíveis novidades para o evento. “Imagino que seja algo como os Jetsons, com robôs que fazem de tudo, carrinhos que voam e levam os visitantes pela mostra e ambientes com visualização em quatro dimensões”, afirma Brunete.

O designer Kiko Sobrino acredita que o espaço físico será diferente. “Penso em um terreno amplo, onde cada profissional irá construir uma casa , além de decorá-la, como se fosse um condomínio fechado”.

Mas há quem acredite que a Casa Cor do futuro terá um pezinho lá no passado. A arquiteta Patrícia Novoa aposta na reocupação de antigos casarões, em mostras menores e talvez mais frequentes, com diferentes enfoques como iluminação , automação e design . “Atualmente, o evento está inchado. Há arquitetos demais e muito espaço para ser preenchido”, diz.

Mercado aquecido

Entretanto, não há dúvidas de que o segmento não parará de crescer. “Antigamente, decoração era artigo de luxo . Hoje, o público está cada vez mais diversificado e busca referências no assunto”, diz a arquiteta Flávia Gerab.

Os Jetsons foi uma série da televisão que mostrava o que seria o futuro da Humanidade
Reprodução
Os Jetsons foi uma série da televisão que mostrava o que seria o futuro da Humanidade

O arquiteto e designer de interiores Gerson Dutra de Sá vai ainda mais longe. “Atrairemos turistas do planeta inteiro. O interesse pelo talento brasileiro cresceu e daqui para frente será ainda maior”, acredita ele, que também não descarta a ideia de dividir espaço com profissionais estrangeiros. “Seria uma troca rica e interessante para todos”, completa.

Veja também ouprojetos inusitados:
A toca de Armentano
Casa em fatias

De acordo com a arquiteta Ana Paula Faria, assuntos como sustentabilidade e tecnologia (temas dos eventos de 2010 e 2011, respectivamente) estarão sempre em pauta nas mostras de decoração. “São duas áreas que crescem muito e permitem explorar novos conceitos de morar.”

A preocupação com o meio ambiente será uma constante, não irá aparecer apenas em anos alternados ou em alguns ambientes. “No futuro, esse cuidado será mais urgente do que é hoje, como uma questão de sobrevivência, para evitar problemas como falta de água, danos na atmosfera e excesso de lix o”, afirma Patrícia.

A busca por conforto é outro assunto que estará em alta em salas de estar, lounges, spas e ambientes gourmet. O interesse pelo retrô também promete durar por muito tempo.

Siga o  Twitter do Delas e veja mais sobre decorção.

Serviço:
Casa Cor - SP 2011
Data: 24 de maio a 12 de julho
Horário: De terça a sábado, das 12h às 21h30/ Domingos, das 12h às 20h
Local: Jockey Club de São Paulo
Av. Lineu de Paula Machado, 1.075, Cidade Jardim
Ingressos: de terça a sexta: R$ 37
Meia entrada: R$ 18,50 (estudante e pessoas acima de 60 anos)
Sábado e domingo: R$ 41
Meia entrada: R$ 20,50 (estudante e pessoas acima de 60 anos)
Passaporte (que dá direito a todos os dias): R$ 70

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.