Marcas de luxo investem no segmento casa para estar mais perto do público

A mesa Raio X, da linha Successful Living, da grife italiana Diesel, já está à venda no Brasil
Divulgação
A mesa Raio X, da linha Successful Living, da grife italiana Diesel, já está à venda no Brasil
Apenas uma semana após inaugurar sua primeira loja no Brasil, no shopping Iguatemi, em São Paulo, a grife italiana Missoni avisou que seus planos não param por aí. Em breve, deverá trazer também sua linha casa, com tecidos, móveis, almofadas e linhas de cama, mesa e banho.

Afinal, não basta tomar conta apenas do guarda-roupa, é preciso estar presente em todos os momentos da vida dos clientes e vestir até mesmo sua residência.

Foi também com esse intuito que, há menos de um mês, a Diesel apresentou em São Paulo seus primeiros passos no universo do design de interiores: a linha , criada em parceria com o escritório de design Moroso. Na coleção, poltronas, cadeiras, mesas, luminárias, sofás, armários e tecidos de decoração que permeiam o jeans e a temática rocker. Trazidas ao país com exclusividade pela MiCasa, as peças estão à venda por preços que vão de R$ 3.500 a R$ 80.000.

A Versace também aproveitou sua única loja própria no país para trazer as louças, lençóis, toalhas, talheres, móveis e cristais da grife a um espaço posicionado entre as araras de roupa.

Armani e Hermès ainda resistem ao mercado brasileiro de casa

A chaise longue em madeira e pelica faz parte da linha de móveis da Armani Casa
Divulgação
A chaise longue em madeira e pelica faz parte da linha de móveis da Armani Casa
O mesmo não acontece na Armani que, mesmo estando há mais tempo por aqui, ainda não pensa em facilitar o acesso do público brasileiro à sua extensa gama de produtos para a casa.

Assim, quem quiser ter acesso aos móveis, cozinhas planejadas, louças, abajures, velas, porta-retratos, caixas, jogos de chá, coqueteleiras, toalhas de banho, roupões, tapetes, taças, jogos americanos e outra infinidade de itens terá de visitar as lojas da marca voltadas a esse universo no exterior.

Outra que também resiste em abraçar esse segmento no Brasil é a Hermès , que desembarcou no shopping Cidade Jardim, na capital paulista, em setembro. Mas os interessados poderão encontrar taças, copos, jogos chá, porcelanas, pratos, cinzeiros e porta-retratos no site da empresa. No catálogo virtual, apenas o último lançamento da marca, o relógio de mesa 8 Day Spiral Boule, feito com um quilo de cristal e ponteiro em espiral recoberto em ouro branco ainda não está disponível. A peça custa US$ 556 mil.

Lojas independentes aplacam a demanda

Na Celina Dias, tecidos Ralph Laurent para decoração custam a partir de R$ 190
Divulgação
Na Celina Dias, tecidos Ralph Laurent para decoração custam a partir de R$ 190
Se as próprias marcas ainda não vêem no Brasil um mercado suficientemente grande para absorver suas linhas de decoração, lojas independentes, como Daslu Casa e Tania Bulhões, garantem o fornecimento nacional para quem trazer objetos de luxo à decoração da casa.

Na Grifes & Design, em São Paulo, por exemplo, é possível encontrar conjuntos de jantar, vasos, taças e cinzeiros de marcas como Cacharel, Dior, Valentino, Versace, Kenzo, Bvlgari e Vera Wang, a preços que vão de R$ 132 (vide posh Kenzo) a R$ 3.140 (sopeira Versace).

“É claro que tem um valor agregado, mas, se compararmos a peças com a mesma qualidade, o preço não é muito mais alto por ser de uma grife famosa”, afirma Lionel Sasson, sócio da loja.

Anna Christina Dias, da loja de decoração Celina Dias , que há 10 anos importa os tecidos da linha casa da Ralph Laurent garante que o preço realmente não deve assustar. “O metro linear de um tecido de algodão sai a partir de R$ 190, mas pode chegar a R$ 900 se for uma seda bordada ou um veludo de lã de carneiro, por exemplo”, diz ela, que recebe novas estampas toda vez que uma nova coleção de roupas é apresentada no exterior. “Muitas padronagens que vêm para serem aplicadas em poltronas e paredes são exatamente as mesmas apresentadas na passarela.”

Estilistas brasileiros também entram no jogo

Sem perder o bonde, estilistas brasileiros também decidiram entrar no jogo. Rei das parcerias estratégicas, Alexandre Herchcovitch já colocou no mercado jogos de cama e banho, louças, mesas, bancos, tapetes e promete ainda completar a sala com um sofá.

Na mesma toada estão nomes como Amir Slama – que agora também assina como coordenador da equipe de criação da Trousseau -; Jum Nakao – com poltronas para a A Lot Of -; Adriana Barra – que criou estampas exclusivas para poltronas e sofás -; além de Marcelo Sommer, André Lima e a grife carioca Farm, que também contam com linhas de tecidos exclusivos.

“Este é um caminho natural para estilistas que prezam o trabalho com materiais diferenciados, estampas e cores, porque a dificuldade e a forma de pensar o design são as mesmas encontradas no processo criativo da roupa”, afirma Silvio Passarelli, diretor da Faculdade de Artes Plásticas da Faap.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.