Tire suas dúvidas antes de escolher os pisos para os diferentes ambientes da sua casa

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508154787&_c_=MiGComponente_C

Na hora de construir ou reformar a casa, muita gente fica em dúvida sobre a escolha dos materiais, cores e padrões que serão utilizados para o piso. Alguns não abrem mão de ter apenas um modelo na casa inteira, apostando na eterna fórmula do que é simples e elegante. Afinal, é como se diz: less is more !

De acordo com a função

Por exemplo, um apartamento bem urbano, localizado em uma cidade como São Paulo, pode ter o piso todo revestido com o mais nobre mármore ¿ todo branco e lindo ¿ do hall de entrada à varanda, do lavabo à copa. E apenas na área íntima, a madeira ou o carpete podem ser melhores opções, afinal os quartos precisam de mais calor e aconchego.

Mas cada caso é único. Se este apartamento estiver em uma cidade de praia, a cerâmica, o porcelanato ou uma pedra, como granito, mármore, ardósia ou são tomé, serão mais apropriados para a casa inteira, pela facilidade de limpeza e o toque refrescante.

Uma boa dica, portanto, é pensar sobre a função do ambiente e o local do imóvel: quartos pedem calor e aconchego, enquanto áreas sociais, mais utilizadas, devem oferecer praticidade na limpeza. A partir daí, já dá para fazer ao menos as opções entre os materiais disponíveis.

Atenção às combinações

Quanto à combinação de cores e padrões, é preciso conhecer mais alguns truques antes de fazer a compra. No caso de uma residência com o piso todo na tonalidade marfim, de madeira, o melhor é seguir o tom também nas áreas externas, como a varanda.

Porém, pode-se investir em outro material, para diferenciar o ambiente pela textura, como sugere o arquiteto Marcelo Rosset: Nesse caso, uma boa opção é escolher um porcelanato fosco com aspecto de pedra, bem natural, nos tons de bege. Ou, então, um mármore travertino nacional levigado, que tem aparência semelhante, indica.

Marcelo conta que sua preferência é pelo tom claro, em especial em locais quentes, porque a cerâmica clara, como exemplo, reflete o sol, enquanto a escura absorve o calor com maior rapidez, afirma. Além disso, ele explica que quando existe uma divisão entre a varanda e a parte interna, até dá para optar por um piso de outra tonalidade, mas caso contrário, se os ambientes são muito integrados, é importante manter a mesma paleta de cores. Ou seja, mantenha o tom!

Outra vantagem de apostar em um piso único é a sensação de amplitude. Um living com o mesmo piso na varanda pode se prolongar para a área externa. Já, ao contrário, quanto mais se diferencia os pisos da casa, parece que mais se recorta os ambientes. Essa é a opinião da arquiteta Alessandra Ribeiro: O piso da varanda deve acompanhar a tonalidade do restante da casa, pois desta forma temos uma linguagem única que amplia visualmente o espaço, comenta.


Leia mais sobre: pisos


Alessandra Ribeiro - R+W Arquitetos - alessandra@rwarquitetos.com.br
R. Tabapuã, 41, cj. 18, São Paulo/SP. Tel. (11) 3064-7106
Marcelo Rosset - Tel. (11) 3258-5905

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.