Novo ou reaproveitado, o tecido é sucesso garantido na decoração

A poltrona Matilde, criada por Fabíola Bergamo, tem  estrutura de madeira e aço inox, e almofadas de jeans. Por R$ 4.875
Divulgação
A poltrona Matilde, criada por Fabíola Bergamo, tem estrutura de madeira e aço inox, e almofadas de jeans. Por R$ 4.875
A invasão da moda no universo da casa tornou-se um caminho sem volta. Globalização, agilidade de informação e um mercado ávido por novidades acabaram por impor a dinâmica fashionista às tendências da decoração.

E se a simbiose entre passarelas e ambientações ganha sentido universal, não há como escapar do jeans enquanto referência permanente. O eterno índigo blue é um produto democrático e quase unânime para todas as idades, tribos e bolsos.

Clássico ou arrojado, de marca ou anônimo, o jeans é sucesso garantido no corpo e nos objetos. Não bastasse tamanha abrangência e diversidade, o tecido é um dos resíduos industriais mais festejados no reuso de materiais.

Sob o olhar talentoso de ecodesigners, calças e jaquetas viram revestimentos bonitos e resistentes. Caso da poltrona Matilde, com estrutura de madeira e aço inox e estofado de jeans da JRJ, criado por Fabíola Bergamo.

Criatividade e ecodesign

Os designers Christian Ullmann e Tânia de Paula, da IT Projetos, dão usos inesperados ao jeans, enquanto Ivo Pons, inspirador do projeto Design Possível, experimenta novas linguagens para o velho material, segundo ele, “tão afetivo e tão próximo de nós e do nosso cotidiano”.

Criação do designer Ivo Pons, o pufe Ouriço é composto por retalhos de jeans reutilizados. À venda por R$ 130,00
Divulgação
Criação do designer Ivo Pons, o pufe Ouriço é composto por retalhos de jeans reutilizados. À venda por R$ 130,00
É desse trabalho que surgem peças instigantes como a luminária feita com calça jeans reaproveitada e o pufe Ouriço, composto por retalhos de jeans

Mais que isso, o jeans pode ser o detalhe que faz a diferença. Afinal, não se pode descartar um sofá com a mesma facilidade com que se troca uma roupa. E aqui o jeans também funciona como elemento de renovação visual.

“Como decorar uma casa custa bem mais do que comprar um novo modelo fashion, é preciso ater-se aos detalhes. A cor e estampas em voga mudaram? Então, substitua alguns itens e acabamentos”, ensina Marcos Amorosino e Claudio Seabra, da S.A. Arquitetura e Design.

A dica dos arquitetos é trocar, de acordo com as tendências da moda, almofadas, mantas, cinzeiros, vasos e até arranjos florais. Uma solução que acolhe o jeans sem medo de errar. Sua presença nos ambientes será sempre o sinal de uma leitura contemporânea dos usos e costumes do nosso tempo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.