Que tal usar a imaginação para transformar diferentes objetos em peças do mobiliário?

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508186128&_c_=MiGComponente_C

A palavra-chave é criatividade quando se pensa em dar uma nova função a qualquer objeto. E olha que pode ser o mais banal deles: uma velha escada de madeira, garrafas PET, latinhas de achocolatado ou caixotes de frutas, desses que ficam jogados pelos cantos nas feiras de rua.

Como dizem as arquitetas Laura Mattos, Nathalia Campos e Suzana Lema, da Lote 21 Arquitetura e Interiores , do Rio de Janeiro, essa é a essência da transformação: ter um olho clínico para revitalizar uma peça, por mais simples que seja. Elas citam como exemplo uma escada de pintor que pode ganhar a função de estante com prateleiras apoiadas em seus degraus. A peça foi apresentada na Brinquedoteca da "Mostra Morar Mais Por Menos" deste ano. Pequenos detalhes podem ser aplicados à escada para garantir o toque pessoal, como a aplicação de adesivos, sugerem.

Uma escada pode virar uma estante. Basta apoiar prateleiras em seus degraus, como fizeram as arquitetas da Lote 21



Outra ideia interessante é utilizar garrafas PET para criar pufes. Basta usar as bases para formar a parte dos pés e do assento e reuni-las, tendo como acabamento uma almofada em cima e uma capa cobrindo toda a peça. Tecidos estampados ou com um toque mais fino deixam o pufe baratinho com cara de sofisticado, indicam.

Garrafas PET podem servir de estrutura para pufes, que recebem almofadas no assento e capas de tecido


Para o trio de arquitetas, também é válido transformar bases de skate em prateleiras ou mesmo aproveitar instalações elétricas aparentes para aplicar uma cor vibrante, dando-lhes um caráter decorativo. No entanto, avisam que o reaproveitamento não pode ter aparência de quebra-galho e, para isso, é primordial que tenha um bom acabamento.

Ideias sem fim

Outra arquiteta, Evelyn Steinberg, também carioca, do escritório B E Arquitetura , conta que já utilizou lâmpadas fluorescentes queimadas para criar uma luminária. O resultado foi surpreendente e a peça foi apresentada por ela e seu sócio, Roberto Najman, na edição 2008 da "Morar Mais Por Menos". Foi preciso desenvolver uma estrutura de alumínio. Por dentro, colocamos dois bocais que receberam lâmpadas comuns incandescentes e a luminária foi fixa por um cabo de aço que se compra em qualquer loja de ferragens, revela.

Nesse mesmo ambiente, uma cozinha, Evelyn e Roberto desenvolveram um móbile com garrafas vazias de vinho. Uma vidraçaria fez a furação embaixo de cada uma, passamos um cabo de aço por dentro e colocamos espaçadores, para fixarem as garrafas. Bastou pôr um gancho no teto e outro no piso para prender esse cabo de aço, conta.

No projeto da B E Arquitetura, luminárias foram feitas com lâmpadas fluorescentes queimadas; o móbile usou garrafas de vinho vazias e a estante foi criada a partir de caixotes de madeira

Dessa mesma ideia, surgiu outra, bem irreverente: Cortamos um garrafa de vinho ao meio e a parte do gargalo foi usada como cabideiro. Foi só fixá-lo com cola e a outra parte ainda virou um copo.

Ainda nesse espaço, caixotes de madeira comprados em um centro de abastecimento de frutas, verduras e legumes, a R$ 3 cada, ganharam a função de estante. Apenas pintamos e fixamos cada um direto na parede com quatro buchas e parafusos. E dá para montar diversos layouts com os caixotes, conta. Esses mesmos caixotes também podem virar baú de brinquedos se revestidos com tecidos alegres e coloridos, como fizeram os arquitetos Danielle Bastos e Gustavo Amorim, da Grão Arquitetura , do Rio de Janeiro, na edição deste ano da "Mostra Morar Mais Por Menos", no quarto da Bebê Menina. Foi preciso apenas lixá-los e pintá-los de branco para criar uma superfície uniforme, antes de receber a forração de tecido, explica Gustavo.

Latinhas de achocolatado e caixotes de madeira revestidos com tecidos coloridos criam graça no quarto das crianças



A dupla comenta sobre outras criações interessantes, vistas nesta mesma mostra, em outros ambientes: Vimos uma estrutura antiga de molas de colchão usada como lustre e também blocos de concreto usados como suporte para futons. As invenções são as mais diversas: Feito com capricho, tudo pode ficar legal, afirma Gustavo.


Onde encontrar
B E   A r q u i t e t u r a - www.bearquitetura.com
Grão Arquitetura - www.graoarquitetura.com.br
Lote 21 Arquitetura e Interiores - www.lote21.com.br
Mãos Contemporary Art - www.jkmaos.com.br


Leia mais sobre: decoração

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.