Publicidade
Publicidade - Super banner
Casa
enhanced by Google
 

Eleja o melhor tecido para o seu sofá

Algodão, seda, chenille, linho, camurça... Na hora de revestir o estofado, a primeira dúvida é sobre qual o tecido mais indicado. Veja o que dizem os especialistas!

Yara Guerchenzon |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508184002&_c_=MiGComponente_C

Antes de decidir se o novo revestimento dos seus estofados será liso ou estampado, com desenhos geométricos ou florais, de cores neutras ou vibrantes, é preciso pensar na sua composição e textura. Afinal, as alternativas são muitas e às vezes fica até difícil eleger uma delas.

Comece fazendo uma visita a uma loja de tecidos e simplesmente experimente, pegue na mão, cada opção. Sinta o toque de cada um e veja qual lhe agrada mais. Claro que a verba disponível também é um fator determinante. Mas tente conciliar o seu bolso com o que mais gosta.

E, sem dúvida, o local onde ficará o estofado também conta nesta escolha. O estilo da decoração e a necessidade específica definem o tecido, lembra Paula Coussirat, da Duetto Decorações, em São Paulo. Os revestimentos em algodão, linho e sarja são muito usados em casas de campo e de praia, pois os tecidos feitos com fibras naturais são mais fresquinhos, recomenda.

Já os chenilles ¿ um dos campeões entre tantas variedades (com preços médios entre R$ 65,00 e R$ 145,00 o m) ¿ apresentam grande diversidade de tramas e cores e, assim, são facilmente coordenados com o ultrasuede (camurça sintética, vendida a R$ 197,70 o m, em média), outra opção de toque macio. E, juntos, formam uma composição mais urbana e contemporânea, indica a empresária.

Mistura afinada

Outra combinação sugerida por Paula é o ultrasuede com a seda, adotando o primeiro em um sofá e o segundo em um par de poltronas, por exemplo. Essa mistura resulta em elegância. Além disso, a seda (preço médio: R$ 123,40 o m) quebra o ar sério do ultrasuede. Assim como chenilles e linhos se equilibram pela própria mescla de tramas e texturas, explica.

Para Walter Galati, ambientador da loja A Especialista, os tecidos mais utilizados para o revestimento de estofados hoje em dia são os veludos, as camurças e as sedas. O veludo e a camurça são bastante requisitados porque transmitem conforto e suavidade, e ainda oferecem praticidade na limpeza. Já a seda é indicada para quem quer requinte e sofisticação, avalia.

Segundo Paula, veludo (preço médio: R$ 128,90 o m) e ultrasuede se encaixam na mesma categoria porque são tecidos pesados e que ficam bem em ambientes contemporâneos. Porém, existem diferenças: O ultrasuede é moderno, resistente e de fácil manutenção, sendo ainda o mais indicado para ambientes onde se usa bastante o sofá, como a sala de TV. E o veludo é sofisticado, delicado e requer cuidados, pois marca com facilidade. E em termos de preços, há uma grande variação entre ambos, orienta.

Outra opção muito em alta é a lona (preço médio: R$ 39,10 o m), inclusive a reciclada de caminhão, que ganha cada vez mais adeptos porque é moderna e sustentável. Os linhos (custam entre R$ 50,00 e  R$ 79,10 o m em média), por sua vez, também estão na moda, e vale lembrar que o que atrai neste tecido é justamente o aspecto amassado, sua grande característica.

Para quem quer um sofá com aquela cara de arrumadinho e lisinho, não deve usar o linho. Neste caso, a sarja (custa em média R$  28,00 o m) e o algodão (preço médio: R$ 17,44 o m) atendem melhor, recomenda a especialista da Duetto. Já o sumbrella (preço médio: R$ 128,00 o m) é utilizado em varandas, piscinas e jardins, pois trata-se de um tecido sintético resistente ao sol e à chuva. 


Consultoria
Duetto Decorações: Tel. (11) 2950.2340, São Paulo, SP
A Especialista: Tel. (11) 3043.9142, São Paulo, SP

Leia mais sobre: decoração

Leia tudo sobre: decoração

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG