Pequenos lagos artificiais trazem frescor e criam um elemento atrativo e de reflexão. Veja o que é preciso fazer para instalar um deles até mesmo na varanda

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508184916&_c_=MiGComponente_C

Espelho, espelho meu. Ter um pequeno lago artificial no jardim de casa é privilégio de poucos. Elemento de arquitetura que refresca o ambiente e proporciona relaxamento, pelo próprio movimento da água, os espelhos dágua podem, no entanto, ser construídos até mesmo em uma varanda ou dentro de casa.

O paisagista Gilberto Elkis, de São Paulo, explica que é preciso ter um projeto para o espelho e que a varanda deve estar preparada estruturalmente para suportar o peso. No mais, basta tomar precauções para evitar a infiltração e ficar atento a alguns detalhes. 


No projeto de Gilberto Elkis, a água escorre pelo vaso colocado no centro do espelho dágua

Atenção para não errar

O espelho dágua dentro de casa ou em uma varanda é construído sobre o piso existente, que precisa ser preparado para evitar a infiltração no apartamento do vizinho de baixo e no do lado, caso fique encostado em uma parede. Um bom pedreiro saberá usar produtos de impermeabilização adequados, que devem ser aplicados no piso e também dentro do espelho dágua, afirma a paisagista Maricy Pissinatti, de São Paulo.

Já o revestimento interno fica moderno se for feito com pastilhas coloridas, mas existem opções para todos os gostos, como aplicação de pintura epóxi ou com seixos, para dar um clima mais zen. E, para encher o reservatório do espelho d´água, é bem simples: Pode ser abastecido com balde ou mangueira, pois a maioria dos terraços hoje em dia tem torneiras, diz Maricy.












A água escorre pelos vasos colocados ao longo do espelho dágua. Projeto de Gilberto Elkis

O importante é deixar neste reservatório uma tubulação de escoamento de água, como se fosse uma banheira, para a água ser trocada de tempos em tempos. Um encanador poderá fazer essa tubulação de esgoto encontrar com a tubulação do ralo existente no terraço, explica a paisagista.

Também deve haver um ladrão para a água não transbordar, no caso de reservatórios que ficam expostos a chuvas. A água, por sua vez, deve ser mantida em movimento por meio de uma bombinha, para estar sempre oxigenada.

Água parada atrai insetos. Além disso, as pessoas normalmente querem ter um espelho dágua para colocar plantas aquáticas e escutar o barulhinho da água caindo ou espirrando, conta Maricy. Na ausência de plantas, a água pode ser tratada com os mesmos produtos utilizados em piscinas, como cloro. 


Biqueiras de metal criam quedas dágua. Projeto de Gilberto Elkis

Profundidade e formato variáveis

Maricy gosta de fazer espelhos dágua com 20 cm de profundidade quando ficam no nível da terra, em jardins. Para os modelos acima do piso, podem ter 20 cm, mais raso, ou até 45 cm, aproveitando a borda como banco. Já o formato pode ser variado: quadrado, retangular, circular, orgânico. O ideal é que combine com a arquitetura da casa.

Para que fique ornamental, o espelho pode contar com cascatas e quedas d'água. Uma ideia bem apreciada é colocar um vaso no centro e deixar a água escorrer por ele, sugere a paisagista. Já Gilberto Elkis comenta que existem diversas formas de quedas dágua. Entre elas, cita as biqueiras de ferro ou de aço, além de prateleiras e paredes de pedra que deixam a água escorrer.


Leia mais sobre: lagos artificiais


Consultoria:
Maricy Pissinatti:
www.maricypissinatti.com.br
Gilberto Elkis: Tel. (11) 3815-9537

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.