A opção de mesclar tecidos de estampas variadas traz exclusividade, porém requer prática. Caso contrário, pode resultar em um visual pesado. Acompanhe a seguir algumas dicas para acertar nas escolhas

Em geral, arquitetos e decoradores preferem trabalhar com tecidos lisos e até mesmo de cores clássicas e suaves. É uma forma de agradar a todos os moradores da casa, além de ser uma opção que demora mais para cansar. Para quebrar essa neutralidade, alguns profissionais elegem um tecido estampado para pequenos elementos, como uma almofada ou um pufe. E só!

VEJA A GALERIA DE FOTOS

Para se ter uma ideia, a arquiteta Cristiane Assaf Ghiraldelli, de São Paulo, diz que não gosta de estampas e não usa em nenhum projeto: A estampa é um elemento bem difícil de ser utilizado. Por ser muito marcante, interfere na visualização de detalhes exclusivos desenhados pelo arquiteto, explica.

Já a arquiteta Evelyn Sayar, de Santo André, está atualmente desenvolvendo um projeto que utiliza 12 estampas em um mesmo ambiente. Portanto, tudo é uma questão de gosto pessoal mesmo. A escolha das estampas deve ser feita com base no estilo da casa e no perfil do morador, argumenta.

Mas quem gosta de estampas e quer sair do lugar comum, pode se aventurar nesta ideia de mesclar diferentes padronagens. Porém, é preciso prática e habilidade para não correr riscos. Pois uma overdose de desenhos pode comprometer toda a decoração, com excessos que não se combinam em nada.

Uma fórmula pronta, no entanto, são os famosos composés, que utilizam as mesmas cores, mas com diferenças nas estampas. Este recurso é muito utilizado em quartos de bebê, cujo enxoval pode ser coordenado com xadrezes, poás, listrados e florais. Porém, para os ambientes adultos, alguns profissionais chegam a torcer o nariz para esta opção, que não garante exclusividade ao projeto.

Atenção às dicas

Se você não abre mão das estampas, uma sugestão é usar um tom como base para nortear a escolha dos tecidos, pesquisando opções de desenhos e cores que tenham harmonia entre si. Para não haver erros, prefira estampas com tom sobre tom e nunca use cores discordantes, a não ser que seja sob a orientação de um profissional, orienta Evelin.

No caso da cama, experimente usar uma colcha ou fazer uma capa para o colchão com um tecido liso. Adote o mesmo tom em um papel (ou tecido) listrado na parede da cabeceira. Para as almofadas, aposte em duas versões de floral, uma outra de listrado e dois tons de lisos. Mas o tom-base deve estar em evidência em todos os itens.

E se a intenção é usar estampas em diversos pontos do ambiente, o cuidado deve ser redobrado. As cortinas devem ser mais neutras, no máximo com uma estampa floral delicada e suave ou um listrado discreto. Nesse caso, um dos sofás pode ser revestido com a mesma estampa, ou algo coordenado. Já o tapete deve ser liso!

Caso contrário, se você preferir um tapete estampado, então deixe os sofás e cortinas no tecido liso! Existem tapetes com desenhos geométricos que são lindos e modernos. Alguns podem até ser feitos sob encomenda e, por isso mesmo, devem ganhar maior destaque.


Leia mais sobre: estampas


Onde encontrar
Cristiane Assaf Ghiraldelli ¿ Tel. (11) 8369-8090 
Evelin Sayar ¿ Tel. (11) 4991-6493;
www.evelinsayar.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.