Mestre das curvas, Thomas Chippendale serviu de base às criações do estilista

Um dos modelos apresentados por Samuel Cirnansck na São Paulo Fashion Week
Reprodução
Um dos modelos apresentados por Samuel Cirnansck na São Paulo Fashion Week
Nesta semana, o estilista Samuel Cirnansck surpreendeu o público ao colocar na passarela poltronas, abajures, mesas e até mesmo um piano para compor a apresentação das roupas.

A apresentação teatral teve motivo: sua nova coleção de inverno é inspirada no designer e marceneiro inglês Thomas Chippendale, considerado o mestre das linhas curvas.

“Meu objetivo era fazer uma coleção onde abajures se transformassem em acessórios e por isso fui fazer minha pesquisa em Londres”, diz o estilista Samuel Cirnansck .

“Foi lá que conheci o trabalho de Thomas Chippendale e resolvi usá-lo como inspiração”, completa.

Com grande senso de linhas e proporções, Chippendale tornou-se sinônimo de um estilo de design de móveis no século XVIII.

Peças ricamente entalhadas e ornamentadas com florões, conchas, leões e arabescos, assim como o uso de madeira maciça, como mogno importado das Índias, e estofados brocados, com veludos e damascos eram algumas de suas marcas.

“Além de ter me inspirado nos tecidos, como o próprio veludo, o que eu mais trouxe para dentro da coleção foi sua atitude”, afirma Samuel. “O desejo inédito que ele causou nas pessoas comuns em comprar mobiliário de design foi o que mais me chamou atenção.”

Popularização dos móveis de design

Busto do designer inglês Thomas Chippendale
Reprodução
Busto do designer inglês Thomas Chippendale
Nascido na cidade de Otley, na Inglaterra, em 5 de junho de 1718, Thomas Chippendale também é apontado como grande responsável pela popularização dos móveis de design.

“Naquela época, o mobiliário mais sofisticado era criado apenas para reis e rainhas. Chippendale conseguiu modificar este fato quando produziu, em 1754, o primeiro caderno de desenhos para marceneiros”, afirma Sueli Garcia, professora de História de Interiores e Mobiliários do Centro Universitário Belas Artes, São Paulo.

O mais copiado do século XVIII

Dedicado inteiramente ao mobiliário, este caderno, que recebeu o nome de “The Gentleman and Cabiner-Marker´s Director”, apresentava desenhos técnicos e características completas dos mobiliários da coleção.

“Chippendale tinha um estilo complexo, já que combinava influência chinesa, traços do rococó e estilos diversos, como o clássico e o gótico”, completa a professora.

A publicação ficou tão famosa, que muitos marceneiros compravam o livro apenas para copiar as peças. O movimento tomou proporção tamanha, que todos os móveis do século XVIII acabaram ficando conhecidos pelo nome do designer.

Segundo Sueli, o artista, que faleceu em Londres, em novembro de 1779, foi o grande responsável por adaptar o estilo oriental ao gosto europeu e por exteriorizar o design inglês para o resto do mundo.

Conheça alguns dos móveis criados por Chippendale:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.