No centenário do Dia Internacional da Mulher, separamos casas que mostram o lado moderno, prático e ultrafeminino das mulheres de hoje

. Estampas florais, almofadas bordadas e toalhinhas de crochê – tudo feito pela dona da casa - já não são mais tão populares quanto antigamente. Com mil e um compromissos, as mulheres modernas dão preferência à praticidade e ao ambiente clean.

Mas tamanha objetividade não significa deixar a feminilidade de lado. Detalhes bem cuidados, quadros e objetos delicados, vasos de flores e cores suaves ainda fazem parte da decoração e completam o clima de aconchego.


Exemplo disso é o lar da baiana Marcela Tavares, 33, onde cada ambiente tem uma personalidade diferente. “A sala, queria que ficasse com um estilo ‘mod’, a cozinha, que fosse da Coca [Cola], então ela é toda vermelha e branca, com chão preto”, explica.

Para dar um ar bem anos 60, a sala de estar do apartamento de 80 m² tem referências ao mundo pop, como um pôster dos Beatles e até mesmo um aparador de copo da banda The Who. A estante que fica ao lado da televisão também cria um colorido diferente, com capas de livros e DVD’s.

Mas o destaque fica por conta da rede permanentemente pendurada na sala, próxima à janela, garantindo luz na hora da leitura. “Em casa de baiano tem que ter rede”, afirma Marcela.

Ambientes com personalidade própria

O quarto, com paredes lilás, foi pensado para ser o lugar mais feminino da casa. Nele, puxadores em forma de rosa feitos sob encomenda completam o armário embutido antigo, decorado com pequenas ilustrações de art-nouveau. “Era para ser um ambiente bem art-nouveau, mas ainda falta uma penteadeira.”

No banheiro, pastilhas azuis forram o box do chuveiro, para dar a sensação de “entrar na água”, diz Marcela. Uma ideia interessante é a substituição das prateleiras para xampu e sabonete por um nicho na própria parede. É no banheiro também que está um gaveteiro que deixaria muitas mulheres de queixo caído. São duas gavetas repletas de batons, sombras e blush. “Sou fã de maquiagem”, revela Marcela.

A cozinha também guarda outra coleção de Marcela: garrafas de Coca-Cola de várias partes do mundo. “Tem uma edição que só foi vendida no Nordeste do São João 2009, tem uma chinesa, comemorativa das Olimpíadas, outra que comprei na Argentina, um conjunto em que as garrafas foram desenhadas pela estilista do Sex and the City”, diz.

Casa cores

A radialista Maria Fernanda Luvizotto, 27, também já sabia muito bem o que iria fazer na casa assim que começou a morar sozinha, há cerca de um ano e meio. “Pensei em brincar com as cores.”

Foi assim que o quarto do apartamento de 60 m² ganhou tons de azul. “Queria uma cor que acalmasse, que fosse legal para dormir”, diz ela, que completou a decoração com adesivos comprados pela Internet e quadrinhos redondos de espelho, com motivos florais em azul e roxo.

O outro dormitório, transformado em escritório, foi pintado de cinza. Um móvel vermelho e preto completam o ambiente onde fica a coleção de DVD’s e toda a estrutura para ver filmes com os amigos.

Decoração compartilhada e cheia de histórias

Mas o lugar que Maria Fernanda mais gosta na casa é a sala. “É o ambiente mais bonitinho. Ali pensei mais nos detalhes”, explica. Cartões postais com imagens de propagandas francesas e croquis do livro do estilista Delacroix foram emoldurados para virar quadro, junto à parede listrada em lilás e roxo. A ideia foi de um amigo, que pintou todo o apartamento e ainda deu um toque diferente na varanda, com diversos riscos coloridos.

Nas estantes, objetos de decoração lembram-na de viagens e passeios. “Decoração é assim, você vai juntando aos poucos. Por onde passa compra uma coisinha”. Um desses objetos é o lagarto que imita a obra de Gaudí, comprado na Espanha. “Se quebrar, não tem outro igual”, diz sobre a peça que virou seu xodó.

Para dividir a área social da íntima, uma cortina de florzinhas de crochê foi providenciada pela mãe de Maria Fernanda. Assim, o capricho de duas gerações se une.

Infância viva

A sala da arquiteta Rosilene Fontes também é o seu canto preferido. “Misturei na decoração itens que fizeram parte da minha infância como a cama da boneca Suzy, que virou apoio para os livros infantis, como o da Alice no País das Maravilhas, e uma gata de pano branca com o focinho em forma de coração, trazida de Budapeste.”

Completam a decoração, móveis contemporâneos como um divã Barcelona, um sofá com design de Le Corbusier e um móvel de acrílico desenhado pela própria moradora.

Montagens fotográficas e quadros abstratos coloridos, criados por Rosilene que é artista plástica nas horas vagas, também alegram o ambiente. Separada da sala apenas por uma parede de vidro, a cozinha tem uma parede branca coberta por chita.

Apaixonada por viagens, ela conta que sempre que traz algum item novo na bagagem precisa repensar a decoração do apartamento de 46 m². Uma das soluções encontradas foi projetar vários nichos, deixando o lugar bastante funcional.

O quarto ganhou ares românticos com um de seus itens preferidos: um lustre veneziano. Almofadas com estampas florais e arabescos combinadas com as lisas, em diferentes tons de lilás, decoram a colcha branca que cobre a cama.

Ao lado, a cômoda em estilo provençal, onde Rosilene guarda bijuterias e outras “coisinhas de mulher”, deixa a infância viva em sua memória. “Tenho este móvel desde os 10 anos e, sobre ele, deixo lembranças inesquecíveis como a cômoda da Barbie.”

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.