Chef Viko Tangoda visita o Casa Boa Mesa 2010 e avalia a funcionalidade das cozinhas projetadas

O expert entre fogões e panelas,Viko Tangoda, foi convidado para analisar os aspectos funcionais das cozinhas da Casa Boa Mesa
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
O expert entre fogões e panelas,Viko Tangoda, foi convidado para analisar os aspectos funcionais das cozinhas da Casa Boa Mesa
É impossível falar de Casa Cor Trio e não pensar em tecnologia, inovação, beleza e estética. Nos 52 ambientes da mostra deste ano, arquitetos e decoradores procuraram apresentar ao público as últimas novidades do mercado em cozinhas, escritórios e artigos para festas.

Mas de nada adianta se a estética e a beleza não estiverem unidas à funcionalidade e praticidade no dia a dia. Foi para analisar esses aspectos que convidamos o chef Viko Tangoda, um expert entre fogões e panelas, para visitar as cozinhas do Casa Boa Mesa em busca da cozinha ideal.

“Para mim, cozinha perfeita é aquela que permite fazer o que eu quiser, na hora que quiser e do jeito que quiser. E claro, precisa ter um ótimo sistema de exaustão e fogões que atinjam altas temperaturas”, diz Tangoda. Fomos atrás.

Sem gordura

Fã dos legumes grelhados por fora e al dente por dentro, o chef focou seu olhar nos fogões por razões técnicas. “Só com um modelo que atinja altas temperaturas é possível alcançar esse resultado.” Gostou do que encontrou na Cozinha e Adega Gourmet, projetada por Claudia Macedo, que contou com inovadores fogões de indução, muito utilizados na Europa e Estados Unidos.

O chef gostou do que encontrou na Cozinha e Adega Gourmet, projetada por Claudia Macedo, que contou com inovadores fogões de indução
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
O chef gostou do que encontrou na Cozinha e Adega Gourmet, projetada por Claudia Macedo, que contou com inovadores fogões de indução


Com uma velocidade melhor que a dos elétricos, resposta de controle de temperatura mais precisa que os a gás e facilidade de limpeza superior aos de vidro e cerâmica, esse tipo de fogão usa o eletromagnetismo para aquecer os alimentos, o que garante a fervura apenas da panela, enquanto a superfície não se aquece. “Esse é o futuro pois, além de facilidade e portabilidade, a perda de calor é menor”, explica Tangoda.

E para não criar uma fumaceira na cozinha ou deixá-la quente demais é preciso ter por perto um ótimo sistema de exaustão, o que encontramos no Gourmet Center, projetado por Ana Claúdia Santi Carmello. “Essa coifa é ótima, o que permite a utilização de espelhos em toda a cozinha. Caso contrário, eles ficariam engordurados e o efeito estético ficaria muito ruim”, alerta.

Para não criar uma fumaceira na cozinha ou deixá-la quente demais é preciso ter por perto um ótimo sistema de exaustão como a do Gourmet Center
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Para não criar uma fumaceira na cozinha ou deixá-la quente demais é preciso ter por perto um ótimo sistema de exaustão como a do Gourmet Center


É o que provavelmente aconteceria caso a Cozinha do Futuro, criada por Daniela Colnaghi, fosse colocada em uso. Toda revestida com vidro jateado (paredes, bancada central e a própria coifa), ela teria de ter um sistema de exaustão muito bom para garantir a limpeza. “Apesar de lindo, vidro não combina com um ambiente que tenha chapa e churrasqueira, onde é impossível não ter gordura”, diz o chef. “Além disso, ele mancha com muita facilidade e, por ser frio, pode ocorrer choque térmico com altas temperaturas e causar rachaduras no material”, completa.

Problema que, segundo a arquiteta não existiria, uma vez que se trata de vidro temperado, ideal para resistir ao calor. De qualquer forma, o ambiente com ares futuristas foi o que mais causou estranhamento ao banqueteiro. “Falta calor e funcionalidade. Gosto de cozinhas com cores quentes e nesse caso, o vidro e o azul do ambiente não trouxeram aconchego.” Para ele, a cozinha do futuro teria de ter uma bancada de madeira sustentável e utensílios modernos e tecnológicos, como a faca de porcelana, encontrada no ambiente, que apesar de quebrar fácil é a melhor no mercado.

Seria ideal que a Cozinha do Futuro tivesse um ótimo sistema exaustão,já que tem bancadas e paredes revestida com vidro jateado, o que dificulta a limpeza
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Seria ideal que a Cozinha do Futuro tivesse um ótimo sistema exaustão,já que tem bancadas e paredes revestida com vidro jateado, o que dificulta a limpeza

Espaço para cozinhar
Outro elemento importante na cozinha é a bancada. “Cozinheiro nenhum gosta de pouco espaço para cozinhar, é preciso ter lugar para colocar panelas, ingredientes e utensílios”, diz Tangoda. Daí o incômodo do chef com a proposta apresentada por Ana Cristina Quitete e Leonardo Faria na Cozinha da Família. “Essa bancada poderia ter sido melhor aproveitada. O projeto está lindo, mas nesse caso, eu colocaria uma outra bancada no meio da cozinha, onde ficaria a pia”.

Segundo Viko Tangoda, a bancada é um dos principais elementos de uma cozinha. Segundo o chef, cozinheiro nenhum gosta de pouco espaço para cozinhar
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Segundo Viko Tangoda, a bancada é um dos principais elementos de uma cozinha. Segundo o chef, cozinheiro nenhum gosta de pouco espaço para cozinhar
Um dos projetos que mais agradou ao chef foi a Cozinha da Família, onde em cima da mesa a dupla de arquitetos colocou temperos. "Ficou muito bonito, mas é preciso atenção, já que as plantas precisam de cuidados especiais como água e iluminação".

"Outra ideia maravilhosa foi a mesa de 10 lugares integrada à bancada do fogão. Mas é preciso não deixar tudo muito extenso para que as pessoas possam se confraternizar em torno do fogão".


Os temperos agregados à mesa deram charme e beleza à Cozinha da Família, dos arquitetos Ana Cristina Quitete e Leonardo Faria
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Os temperos agregados à mesa deram charme e beleza à Cozinha da Família, dos arquitetos Ana Cristina Quitete e Leonardo Faria
“Eu, particularmente, gosto de cozinhas americanas quando convido poucos amigos para um jantar. Mas, quando existe um evento maior prefiro fechar a área da cozinha e utilizar apenas a sala de jantar ou de lazer”, diz Tangoda.

Para esses dois tipos de evento, ele ataca de arquiteto e sugere uma solução: “Colocar uma porta de correr entre a sala e a cozinha. Quando quiser utilizar os ambientes integrados abre a porta, caso contrário fecha”.

“Além disso, é muito importante sempre pensar na entrada de ar. Qualquer ventilação cruzada pode ser fatal para a chama do fogão”, encerra.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.