Design minimalista e móveis que possibilitam diferentes composições dentro de casa devem vir com força neste ano

A crise econômica que desponta no Brasil deve interferir na decoração. É o que aponta Daniela Dantas, principal representante da empresa mundial de tendências WGSN, durante palestra realizada na Expo Revestir 2015, em parceria com a Docol. 

De acordo com ela, a população tende a optar por tons mais neutros dentro de casa quando o clima é de depressão e aperto também no bolso. “Isso ocorreu na Europa e agora se espalha no Brasil”, argumenta. Nesse panorama, até o luxo é afetado. Deixa de ser focado em objetos de ostentação para se concentrar em um estilo mais minimalista, escandivano. Nos ambientes, os móveis são poucos e frequentemente assinados por designers renomados.

Confira na galeria abaixo alguns exemplos de como as tendências serão aplicadas na prática:





Em paralelo, com a situação melhorando na Europa, voltam a surgir toques de cor dentro dos ambientes, principalmente em objetos e estampas geométricas, levando uma atitude positiva e alegre para o cotidiano.  A arte de rua também entra para colaborar no clima contemporâneo, podendo ser aplicada em tecidos, móveis e objetos decorativos.

Além disso, móveis de composição entram em alta para que “o design trabalhe para o consumidor”, englobando peças maleáveis que podem ser facilmente realocadas dentro da casa, de um dia para o outro, ajudando a renovar a decoração sem gastos extras.

Outra tendência que se expande, de acordo com a especialista, é a valorização das texturas naturais. A partir deste ano, elas começam a extrapolar ainda mais o espaço hoje ocupado apenas por revestimentos e móveis, para surgirem tamvém em louças e objetos decorativos.

Leia mais:

-  Confira as novidades para pisos e paredes da Expo Revestir 2015

Grafite em casa: a arte do desapego

- 20 ideias simples com poder de mudar os ares da casa

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.