Preto, marrom, grafite, roxo, marinho e outros tons fechados são tendência. Aprenda a usá-los mantendo o visual leve

Os tons escuros estão em alta na decoração. E com a ajuda dos principais arquitetos do Brasil, cada vez mais pessoas vêm adotando o preto, o grafite , o marinho, o marrom, o roxo e outros tons mais fechados na pintura de paredes, móveis e revestimentos. “Ao escolhê-los você ganha em sofisticação sem, necessariamente, gastar mais por isso”, afirma a arquiteta Ana Rozenblit.

No entanto, decorar com tons escuros não é tão fácil. A ponto de ter sido tema de palestra ministrada pelo arquiteto Alexandre Ferreira Pedrono Senac (SP). “Esses tons não funcionam como o branco e o bege, impossíveis de errar”, diz o arquiteto Rodrigo Jorge. Mas valem pela audácia. Na hora de combinar tons escuros e claros , a dica é usar o champanhe no lugar do branco para fazer uma transição mais suave. Se quiser cores vibrantes, o amarelo combina bem com marrom, bronze e aço corten. Detalhes em madeira também é outro truque para aquecer e trazer aconchego .

Para não deixar o ambiente pesado, saber balancear o todo com cores claras e ficar muito atento à iluminação são fundamentais. “A luz não pode ser muito fraca, se não fica sombrio; nem muito forte, para não contrastar demais”, explica Rodrigo. Se o piso já for escuto ou houver pouca iluminação natural no ambiente , pense duas vezes. Para ajudar a equilibrar, a arquiteta Luciana Penna sugere apostar e cores claras em estofados, tapetes e outros detalhes da decoração.

E, ao contrário do senso comum, nem sempre os tons escuros trazem sensação de redução do espaço. Em alguns casos, como no projeto assinado por Ana em um apartamento de 70m², o uso do artifício ajudou a dar profundidade à escada e ao corrimão embutido.

Leia ainda:
- Valorize cada centímetro do corredor
- Como deixar quartos pequenos mais amplos
- Fotógrafos dão dicas para valorizar a casa na hora de vender

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.