Conversamos com a empresária Conceição Cipolatti, rainha da decoração natalina em shoppings do mundo inteiro, para desvendar os mistérios da época. Veja as dicas

Todos os anos, a empresa de Conceição Cipolatti produz quatro milhões de enfeites natalinos, três milhões de laços, mais de dois milhões de bolas e oito mil árvores para garantir o encanto do Natal em 120 shoppings no Brasil e exterior. Daí concorrer fortemente ao título de rainha do Natal. Mas a história do império de mais de trinta anos teve um início bem diferente. Conceição era pianista e estudava música na Alemanha quando, aos 24 anos, resolveu se casar com o arquiteto Paulo Luiz. Já no Brasil, começou a ajudar a irmã Tereza em um bufê. Fazia buquês, grinaldas, arranjos e recebia muitos elogios. Mas a carreira foi alavancada quando decorou a festa de aniversário de um shopping, em Belo Horizonte. “O diretor gostou muito de nosso trabalho. Ele quis me conhecer e perguntou se não toparia fazer a decoração do shopping em dezembro. Nunca tinha feito nada daquele porte, mas deu certo”, afirma.

Leia também: Capriche no enfeite da árvore de Natal

O que começou de modo despretensioso acabou se transformando em um negócio lucrativo. Conceição abriu a empresa com o sobrenome da família em 1983 e envolveu os quatro filhos (Luiz Paulo, Ana Cecília, Rita Gabriela e José Fernando) na empreitada. Hoje, a decoradora conta com mais de 30.000 m² de instalações distribuídas em duas unidades fabris, uma em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, e outra em Jacareí, no Vale do Paraíba. Tamanho sucesso exige muita dedicação da decoradora, que começa a pensar no Natal ainda em meados de junho. Durante a etapa de pesquisa, busca ideias e viabiliza junto da equipe as melhores propostas, o que resulta em um showroom próprio montado na unidade de Taboão. "É a melhor maneira de exibir as novidades aos clientes. Acompanho tudo bem de perto. Temos equipes próprias de criação, arquitetos, marceneiros e até costureiras. Isso nos dá mais liberdade para criar”, diz.

Na época de montagem e desmontagem das decorações, mais de 1.500 funcionários trabalham na empresa de Cipolatti em jornadas que alcançam até 10 noites por shopping. A excelência do trabalho da mineira também tem seu custo - nada sai por menos de R$ 100 mil. Conceição já desenvolveu mais de 650 temas natalinos em sua trajetória e continua em busca de novidades. “Cada país tem a sua maneira de entender o Natal. Já fiz decorações em shoppings angolanos, americanos, argentinos e chilenos e sempre há algo novo para descobrir e usar”, afirma. “Os brasileiros gostam de produções que interajam. Enfeites apenas contemplativos não fazem sucesso por aqui. Desse modo, invisto cada vez mais em aparelhos 3D e personagens eletrônicos”, diz.

A empresária ainda falou ao iG sobre como fazer uma bonita decoração natalina. Veja abaixo a conversa:

Conceição Cipolatti monta as novidades do Natal, no showroom de Taboão da Serra, ainda em junho
Divulgação
Conceição Cipolatti monta as novidades do Natal, no showroom de Taboão da Serra, ainda em junho

iG: Qual é o erro mais comum que as pessoas cometem ao decorar?
Conceição Cipolatti: Entusiasmo demais sempre atrapalha. É preciso tomar cuidado para que a montagem não se transforme em uma bagunça. Além disso, respeitar a velha regra de “menos é mais” é fundamental.

iG: Como a escolha dos enfeites deve ser feita?
Conceição: Tudo depende de qual o tema usado. Caso seja uma árvore infantil, o ideal é abusar de bichinhos, bolas , estrelas, laços, bonecos, balas, chocolates e até biscoitinhos. Árvores mais sofisticadas pedem flores, bolas, laços com fitas elaboradas e muitas luzes. Porém, lembre-se de não exagerar na quantidade de elementos.

iG: Quais cores são apropriadas para esta época do ano?
Conceição: Árvores com temática infantil pedem muitas cores, que devem também estar presentes no projeto de iluminação. Já decorações mais sofisticadas , precisam esbanjar tons em vermelho, dourado, prata e branco.

iG: Velas têm espaço na decoração natalina?
Conceição: Claro! A época pede muita luz e a ideia de usar velas, em especial nas mesas, traz muito aconchego ao ambiente.

iG: Caso a festa tenha um toque informal, o que é possível usar?
Conceição: Gosto de recorrer a elementos naturais como flores (de preferência vermelhas) e frutas. O colorido de uma fruteira bem montada, além do aroma gostoso das frutas, consegue trazer o frescor do período natalino.

iG: A decoração externa da casa precisa ser diferente do interior?
Conceição: Com certeza. O lado de fora deve receber um trabalho especial com luzes, mas sem excessos para não ficar parecido com um shopping.

iG: Quais enfeites devem ser colocados no presépio?
Conceição: Geralmente usa-se um pouco de musgo próximo dos animais e elementos como palmeiras, coqueiros e pinheiros naturais de tamanhos reduzidos.


Leia também:

Os erros mais comuns no projeto da casa de praia

Conheça a exótica rosa-do-deserto

Substitua o saco plástico da lixeira por jornal usado


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.