Visitamos a fábrica da Artefacto, no interior de São Paulo, para acompanhar de perto o nascimento do móvel. Veja como foi o passo a passo

A produção de móveis no ambiente fabril conta com etapas específicas e processos pouco conhecidos. Quando a confecção da peça inclui tramas, até mesmo fases do trabalho manual se encontram envolvidas. A linha de fabricação mobiliária muda conforme o tipo de produto, mas é certo que o móvel transita por setores como marcenaria, serralheria, pintura, inspeção e acabamento antes de chegar às lojas. Na fábrica da Artefacto, localizada na cidade de Iperó, no interior de São Paulo, mais de 900 pessoas são responsáveis pela montagem dos produtos. Visitamos o local para acompanhar de perto o desenvolvimento da poltrona Salvatore que demora nove horas para ser produzida. Confira o passo a passo nas imagens da galeria abaixo:

Leia também:   O desafio do artesanato na indústria nacional

O processo semiartesanal realizado em alguns móveis é ainda muito presente na fábrica de Iperó. Peças trabalhadas em fibras sintéticas e naturais (como a Malacca) recebem acabamento manual, o que confere um charme a mais à produção. “Este processo demora de dois a 12 dias. Não conseguimos confeccionar as tramas industrialmente porque não há máquinas adequadas e os desenhos variam muito”, afirma José Luiz Fabricio, diretor industrial e de logística. Outro setor em destaque é a serralheria, onde o aço inox impera soberano e mostra sua valorização no mercado. “Hoje, as pessoas gostam do visual metalizado e acham as estruturas em aço inox mais resistentes”, diz o diretor.

A confecção dos móveis de madeira tem início no manuseio das chapas prontas do estoque (são 1.200 m³ de toras maciças e compostas que já chegam secas ao local). Marceneiros cortam o material de acordo com os moldes, encaminham tudo para a sessão de lixamento e, somente após este processo, a estrutura é montada. Algumas peças percorrem também a linha de pintura e chegam a ser polidas antes de finalizadas. Outras são preenchidas por espuma e revestidas por tecidos. Mas independente do processo, todas as fases são verificadas e a certificadas por inspetores. “Temos mais de 1500 itens no catálogo e são tantas as variações de tecidos, cores, texturas, acessórios e acabamentos que muitas peças nunca se repetem na linha”, afirma James Consani Nogueira, gerente de produção.

Veja ainda o vídeo produzido nos ambientes da fábrica:


Saiba mais:

Personalize luminárias e garrafas com filtros de papel usados

Regras de ouro para posicionar corretamente os eletrodomésticos nos ambientes

Bicicletas levam charme à decoração. Saiba como


    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.