Fácil de instalar e com enorme variedade de modelos e padronagens os papéis de parede ressurgem com força como opção de acabamento

Sucesso na década de 1970 e 1980, o papel de parede perdeu status e ficou esquecido por algum tempo até que retornou com força total. “As pessoas enjoaram da pintura, que é muito monótona, sem nuances e desenhos”, afirma o arquiteto Marcos Jordão.

Para a arquiteta e designer Aline Cobra , o papel de parede é uma solução rápida e prática. “Ele valoriza as paredes e permite mudar a cara dos ambientes com rapidez, além de ser possível misturar dois tipos, aumentando as possibilidades de decoração.”

Ao contrário do que acontecia nas décadas passadas, hoje pode se contar com uma imensa gama de padronagens, imagens, desenhos, fotos e listras, feitos com base em diferentes materiais como vinil, fibras naturais, camurça e seda. “Há alguns modelos nacionais, mas a qualidade deles é inferior aos importados, são mais simples e com desenhos mais básicos”, diz Geisa Cardoso, gerente de vendas da Casa do Papel de Parede.

No exterior, já existe até mesmo papéis de parede em 3D, com diferentes formas e padronagens que parecem saltar da parede. Trata-se da linha Off the Wall, projetada pela designer Kicki Edgren Nyborg, para a Kredema Design.

Com tamanha variedade de modelos, os preços também variam bastante, indo de R$ 160,00 a R$ 5.000,00 o rolo de 10 m x 53 cm.

Durabilidade e fácil manutenção

Além da questão estética, o avanço da tecnologia também está por trás da volta por cima do papel de parede. “Atualmente, temos opções até para banheiro e cozinha, caso dos papéis vinílicos e emborrachados, que são mais resistentes e podem entrar em contato com vapor, por exemplo”, afirma Geisa. Entretanto, apesar de resistentes, esses modelos não devem ser lavados com água em abundância.

A força do papel de parede no mercado hoje vem principalmente das suas vantagens: grande durabilidade, fácil aplicação e fácil manutenção. “Enquanto a pintura precisa ser refeita a cada dois anos, o papel de parede tem uma durabilidade de cinco a dez anos”, afirma Jordão. E, se for preciso, Geisa garante que é possível trocar apenas uma folha, sem precisar refazer todas as paredes.

Outra vantagem é que a aplicação do papel de parede gera bem menos sujeira do que a pintura e sua limpeza é muito simples, basta passar uma bucha ou pano úmido, ou ainda o aspirador de pó. E use apenas produtos neutros, nunca os abrasivos. Geisa afirma que a limpeza não precisa ser feita com frequência.

Para desfazer as dúvidas

Jordão diz que não consegue encontrar desvantagens no uso do papel de parede. “Algumas pessoas podem se incomodar com as emendas que ficam entre as folhas, mas alguns modelos possuem linhas que amenizam esse efeito, como os mais rústicos, que encobrem as emendas”, diz. Para Aline, se o papel for bem aplicado, essas emendas ficam quase imperceptíveis, por isso, ela recomenda contratar um profissional para fazer o trabalho.

No caso de enjoar da padronagem, é possível colocar um modelo sobre o outro, caso a primeira instalação ainda esteja em perfeito estado. Contudo, se a pessoa quiser trocar por pintura, será preciso remover muito bem todos os resquícios de papel e cola.

Outra desvantagem do papel de parede é que ele pode descolar em pouco tempo se não for bem instalado. E caso a parede sofra com vazamentos e umidade, será necessário trocar toda a folha, sem direito a retoques.

Serviço:

Casa do Papel de Parede
Praça Sílvio Romero, 161/ 163, Tatuapé - São Paulo (SP)
Tel: (11) 2295-2664

Kredema

Tergoprint
Rua Traipu, 423, Pacaembu - São Paulo (SP)
Tel: (11) 3585-0500

Wallcovering
Rua João Moura, 285, Pinheiros - São paulo (SP)
Tel: (11) 3062-7993

Wallpaper
Rua Girassol, 34, conjunto 13, Vila Madalena - São Paulo (SP)
Tel: (11) 3082-5650


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.