Arquitetos dão dicas de como adaptar o quarto com temática infantil para o adolescente

A adolescência é uma fase de transformações. E elas não ocorrem apenas no corpo, mas também nos gostos, que mudam quase que da noite para o dia. Daí aquele quarto antes cheio de brinquedos já não ser mais tão atraente.

O painel com as guitarras e o adesivo de um músico aproximam o quarto do universo do adolescente no projeto de Aquiles Kílaris
Divulgação
O painel com as guitarras e o adesivo de um músico aproximam o quarto do universo do adolescente no projeto de Aquiles Kílaris
“O adolescente gosta e quer um quarto decorado, onde possa trazer os amigos para dentro para ouvir música e estudar. O quarto é o universo dele, o canto de independência”, afirma a arquiteta Helen Rezende, da Di20 Studios.

As diferenças entre os quartos infantil e adolescentes são bastante significativas. “Um quarto de criança deve ter a preocupação com acidentes: o uso do vidro é substituído por acrílico, as pontas dos móveis devem ser arredondadas, o uso de puxadores deve ser evitado. No do adolescente, não pode faltar a bancada de estudo, o espaço para o som, a tv”, afirma Helen. “A diversão e descontração são o princípio básico de ambos. As diferenças vêm nos detalhes e nas cores”, complementa.



Liberdade na hora da escolha

A necessidade de se sentir livre e independente que chega na adolescência se reflete na hora de escolher o que vai ser modificado no quarto. “Há uns cinco ou dez anos eram os pais que projetavam e falam a temática, mas isso vem mudando. Os adolescentes estão cada vez mais críticos e participativos”, afirma o arquiteto Aquiles Kílaris. Por isso, ele sempre elege uma temática que faça parte do universo desse adolescente.

Exemplo disso é um quarto desenvolvido para um jovem músico. “Ele gostava de tocar guitarra, tinha umas três ou quatro. Por isso fizemos um painel para pendurá-las e desenhamos na parede a silhueta de um músico tocando”, diz Kílaris.

A transição do quarto infantil para o adolescente também troca , muitas vezes, o espaço para os brinquedos pelo canto para receber os colegas. No quarto projetado pelo Di20 Studios, dois irmãos ganharam um espaço para convidar os amigos para dormir em casa.

“Retiramops a antiga cama e o berço, e substituímos o armário por móveis sob medida para que coubessem duas camas e uma bicama para um amigo dormir”, explica Helen Rezende. 

Toques que valorizam

Com inspiração espacial, a atenção do ambiente se volta para a cama, com design diferenciado
Divulgação
Com inspiração espacial, a atenção do ambiente se volta para a cama, com design diferenciado
Com idéias simples e um pouco de planejamento, o quarto, que era infantil, pode ganhar ares dessa nova fase da vida. “O papel de parede pode ser trocado por adesivos, a estante ou os nichos que guardavam brinquedos pode virar um porta-CD ou DVD, e as colchas e almofadas podem ser encapadas com tecidos mais jovens”, exemplifica Helen.

Para o arquiteto Aquiles Kílaris uma alternativa simples e barata é o uso de gesso no teto para formar desenhos. “É usa solução que não é cara e valoriza”, diz ele, que ainda indicar trabalhar com fibra óptica ou elementos pontuais para completar o clima.

A arquiteta Andressa Martinez lembra outro item que pode mudar completamente o quarto. “Colocar um tapete dá um colorido diferente e moderno.” Mas, além da decoração, ela atenta para uma ponto importante, independentemente se a reforma será feita por um profissional ou pelos próprios pais.

“Se for fazer a troca dos móveis, escolha peças de qualidade, com dimensões padrão e linhas contemporâneas para que possam ser usadas até a vida adulta”, indica Andressa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.