Mirna Zambrana

Construa e reforme com planejamento

Mirna Zambrana é formada em arquitetura e urbanismo pelo Mackenzie. Sócia de Aurélio Martinez Flores, tem vasta experiência em projetos residenciais e comerciais

Pisos para aquecer a casa

Conheça os diferentes tipos de pisos quentes disponíveis no mercado, suas vantagens e desvantagens

20/10/2010 15:57

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-

Chamamos de pisos quentes aqueles feitos com materiais maus condutores de calor. A sensação de frio ou calor se baseia no fluxo de calor do corpo para o ambiente. Assim, se tocarmos um objeto feito de material mau condutor, supondo que a pele esteja mais quente que o objeto, haverá pouca passagem de calor, que fica retido na superfície. Com isso, a temperatura da pele e do objeto tendem a ficar equilibradas.

Foto: Getty Images

Pisos quentes não são bons condutores de calor

Essa característica se enquadra perfeitamente em um piso que se pode pisar descalço da primavera ao inverno. Vem de encontro com a ideia de lar e aconchego. Pisos como madeira, bambu ou mesmo os laminados remetem a essa intimidade doméstica. São indicados para dormitórios e salas.

Entre os naturais estão a madeira, o bambu e os carpetes de lã e sisal. Entre os compostos e sintéticos estão o carpete de madeira, os laminados, a resina, e os carpetes de nylon e de polipropileno. Alguns desses materiais podem ser colocados sobre outro piso existente. O que pode ser bastante prático.

Todos têm que ter o contrapiso preparado para recebimento do piso novo. Esse preparo, no geral, engloba não ter peças soltas (no caso dos que são aplicados sobre outros pisos) e ter o contrapiso nivelado e seco. Uma desvantagem é que nenhum piso dessa família aceita receber água, óleo ou outros líquidos. E quando isso acontece, deve ser seco imediatamente.

Apesar de poderem ser recuperados, tanto a madeira como o bambu podem riscar no caso de muitas e grandes festas. O carpete de madeira mais ainda. Embora não se possa considerar defeito uma madeira riscada. Se você é um festeiro, vai ter bastante trabalho para mantê-los com o aspecto de novo.

O laminado em réguas e o carpete de madeira, mesmo com mantas entre piso e contrapiso, reproduzem muito o som dos saltos dos sapatos. O carpete acumula muita poeira e é difícil de limpar.

Veja mais detalhes dos diferentes tipos de pisos quentes disponíveis no mercado, suas vantagens e desvantagens

- Piso de madeira
- Piso de bambu
- Carpete de madeira
- Laminado composto em quatro camadas
- Laminado melamínico
- Resina
- Carpete

Piso de madeira

A madeira é a opção de piso natural e quente mais conhecida. Tem custo variado e durabilidade longa, requer muitos cuidados, que vão da aplicação ao acabamento. Porém, pode ser recuperada ao longo de sua vida útil.

O assoalho com 2 cm de espessura, largura e comprimentos diversos, vem com encaixe macho e fêmea. Pode ser colocado diretamente no contrapiso nivelado e curado (seco) com bucha, parafuso e cavilha a cada 30 cm. Ou colocado e pregado em barrotes (peça corrida de madeira em formato trapezoidal).

Foto: Arquivo pessoal

A madeira é a opção de piso natural e quente mais conhecida

Se houver espaços vazios entre os barrotes o barulho provocado pelos saltos dos sapatos será maior devido a essa região oca. Melhora se os barrotes estiverem embutidos no contrapiso.

No mercado existem mantas de cortiça e borracha reciclada para serem colocadas entre a madeira e o contrapiso que, segundo o fabricante, reduzem o ruído. Outra opção em madeira é o taco, que possui ampla variedade de tamanhos e é colado diretamente no contrapiso.

Apesar de encontrarmos alguns pisos de madeira que já vêm com verniz aplicado de fábrica, na grande maioria dos casos a raspagem, calafetação e aplicação de resina são feitas após o piso colocado.

O custo do piso de madeira é variado. Por exemplo: o assoalho de ipê régua com 20 cm de largura tem preço médio de R$ 200,00 /m². Some mais R$ 58,00 /m² da aplicação de resina para alto tráfego.

Já o taco tem custo mais baixo. O de cumaru (4 cm x 40 cm), fica em torno de R$ 100,00/m². Se preferir usar madeira de demoliçãom a média é de R$ 280,00/m². O processo, se o contrapiso estiver pronto e seco, para 100 m², leva de 7 a 10 dias para colocação do piso, 20 a 25 dias de espera para início da raspagem e 10 dias para raspagem, calafetação e aplicação de resina. Se a resina for à base de água, 24 horas para secar e uma semana para cobrir se necessário.

Piso de bambu

Feita com bambu prensado e resinado no formato de uma tábua corrida, esta é mais uma opção de piso quase natural e quente. O quase é porque o bambu é misturado à resina.

Existe na opção alto tráfego com o bambu triturado e resinado o que confere ao produto alta densidade.
Após o desgaste do verniz que o cobre, pode ser lixado, por um profissional que conheça esse material e receber aplicação de resina à base de água.

O piso de bambu tem espessura de 1,5 cm e é colado no contrapiso e pregado em alguns pontos. Tem encaixe macho e fêmea e vem com o verniz de acabamento aplicado na régua. Custo médio de R$ 200,00 o m² colocado, o de alto tráfego R$ 250,00 e o rústico R$ 280,00. A colocação, se o contrapiso estiver pronto, é na média de sete dias para 100 m².

Outros pisos quentes e não naturais

Carpete de madeira

O carpete de madeira tem base de placas de fibras de madeira prensadas (HDF) e cobertura de lâmina de madeira natural com verniz aplicado de fábrica. Vem em réguas com encaixe macho e fêmea e são colados em uma manta de polietileno ou E.V.A. (Etil Vinil Acetato) colada no contrapiso. A espessura varia de 7 a 1,5 cm. Custo médio de R$ 90,00, colocação média para 100,00 m² quatro dias.
 

Foto: Arquivo pessoal

Para receber um piso quente, é necessário preparar o contrapiso

Divido os laminados em dois tipos:

Laminado Composto em quatro camadas:

Possui base de lâmina de resina e substrato de painel de HDF-F, cobertos por laminado decorativo e uma camada de overlay. Forma uma régua com encaixes e espessura de 7 a 9 mm, largura de 187 a 190 mm e comprimento de 1200 mm. As peças são coladas ou apenas encaixadas umas às outras. Uma manta própria pode ser colocada – com ou sem cola - entre o piso e o contrapiso para, segundo o fabricante, torna o som das passadas mais graves. Custo varia bastante conforme o produto, algo em torno de R$ 100,00 m². Rapidez de colocação, 80 m² podem ser feitos em três dias.
 

Laminado melamínico

Uma base de papel Kraft e resina fenólica, uma camada de melamina decorativa e overlay como acabamento formam uma lâmina com 2 mm de espessura altamente resistente para uso em pisos.

Antigo, porém, pouco conhecido no setor residencial, é bastante versátil e eficiente. Em formatos de: 60 cm x 60 cm, 20 cm x 251 cm, 20 cm x 307 cm, 30 cm x 307 cm, 122 cm x 255 cm, 122 cm x 307 cm, 125 cm x 307 cm, com padrão liso ou madeirado, esse laminado pode ser colado sobre outros pisos existentes, desde que firmes e nivelados.

Não pode ser aplicado sobre argamassa com cal em sua composição. Custo médio R$ 55,00/m² só o material e rapidez de colocação, que depende dos recortes no caso das peças grandes. Média de dois dias para 30 m².

Resina

O piso de poliuretano é um material sintético composto por dois componentes - polyols e polyisocianides aromáticos - misturados como massa. Autonivelante tem proteção térmica e acústica, e não necessita de juntas, segundo o fabricante. Pode ser aplicado sobre o piso existente, desde que seja firme, seco e preparado para o recebimento da resina.

Esse preparo pode ser o lixamento da área para nivelar e a aplicação de polimérico para fechar juntas e dar aderência. Só é vendido com aplicação. Tem variedade de cores, pode ter desenho ou ser liso e o acabamento final pode ser brilhante ou fosco. Custo médio para até 100 m² do produto liso e aplicado é de R$ 180,00. O tempo de aplicação é de quatro dias, desde que o contrapiso esteja seco.

Carpete

Os naturais são de lã ou de sisal. Os de fibras sintéticas são de nylon ou polipropileno. Os de lã são confeccionados sob encomenda, com preço a partir de R$ 350,00/m², para o de pelo cortado, acima de 12 mm, ou algum produto buclê, com mantas com 3 m de largura a 180,00/m². Já o de sisal tem custo mais baixo, R$ 150,00.

A manutenção é trabalhosa e a durabilidade varia muito conforme o uso. Os de fibra sintética são mais fáceis de limpar. O nylon tem custo de R$ 200,00 a 480,00/m2, o de polipropileno é bastante acessível,  na média de R$ 50,00.

Uma das vantagens do carpete é a facilidade de colocação sobre qualquer tipo de piso que esteja firme e seco. Outra vantagem é sua característica acústica, melhora o som do ambiente e diminui muito qualquer barulho que possa ser transmitidos pela laje para o andar inferior. No geral, são colados sobre manta. 100 m² de carpete podem ser colocados em três dias.

A desvantagem, que o fez cair em desuso, é a retenção de pó e ácaros do ambiente. Nas grandes cidades, com o alto índice de poluição e muitas janelas abertas, o número de pessoas com problemas respiratórios aumentou muito e nesses casos é proibitivo esse tipo de piso.

Fontes:

Assoalhos Morumbi
Associação Nacional dos Produtores de Pisos de Madeira

Durafloor
Formipiso
Mabrotec
Neo Bambu

Pisos Ipiranga

Resinfloor
Spmad Assoalhos e Cia

Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”

 

Sobre o articulista

Mirna Zambrana - jbianchi@ig.com - Mirna Zambrana é formada em arquitetura e urbanismo pelo Mackenzie. Sócia de Aurélio Martinez Flores, tem vasta experiência em projetos residenciais e comerciais

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo