Mistura de azulejos em painéis dá toque especial à casa

O patchwork, termo inglês que pode ser traduzido como trabalho com retalhos, não pertence somente ao universo da costura. Agora ele também é usado na arquitetura, valendo-se de azulejos com diferentes desenhos e padronagens como já se pode ver até mesmo em alugusn bares e restaurantes, como o L’Entrecote de ma Tante, do chef Olivier Anquier, em São Paulo.

“O azulejo deixou de ser um material usado exclusivamente em áreas molhadas e invadiu outras partes da casa para proporcionar um efeito decorativo”, afirma a designer e arquiteta Calu Fontes, que também cria azulejos exclusivos.



Os painéis podem decorar ambientes como cozinhas, salas, churrasqueiras e varandas, entre outros, sendo aplicados em apenas algumas partes ou cobrir paredes inteiras. A escolha dependerá do efeito que se deseja alcançar. A regra básica é soltar a imaginação e inventar diferentes combinações. “A ideia é misturar”, diz Calu.

Ousadia harmônica
A ceramista e designer têxtil Flávia Del Prá concorda. “Gosto de ousar e fazer várias misturas.” A profissional também é responsável pela criação de azulejos com diversos temas e cores, que, depois de prontos, dão vida a belos patchworks. A inspiração, segundo ela, vem de lembranças, viagens e tendências. “Além disso, as peças são feitas pelo mesmo método industrial, o que garante qualidade e medidas padrão.”

A dica das especialistas para não errar no mix de estampas é buscar harmonia. “É importante integrar o patchwork com a arquitetura e analisar móveis, cores e estilo que regem o ambiente”, diz Calu. De acordo com Flávia, ter critério da seleção das cores também é muito importante.

Cemitério de azulejos é saída
Aqueles que estão à procura de materiais diferenciados também podem recorrer a lojas de azulejos antigos. Elas oferecem um catálogo de produtos bastante variado, com raridades que conferem um ar retrô ao décor.

“Temos 60 mil itens no estoque, são peças fora de linha, adquiridas em saldo de lojas de construção, fábricas de revestimentos, demolições e reformas”, conta João Claudino Junior, sócio-proprietário do Cemitério dos Azulejos, em São Paulo, SP.

Marcas de um artista
A idéia de fazer painéis de azulejos não vem de hoje. Na época da fundação de Brasília o ex-médico Athos Bulcão já era referência nacional na criação de murais feitos com azulejos pintados com combinações de formas geométricas , como se pode ver ainda hoje na Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, na torre de TV, na Universidade de Brasília, no Mercado das Flores, no aeroporto e no Parque da Cidade.

Em São Paulo, o arquiteto Marcelo Rosenbaum resgatou os azulejos criados originalmente pelo artista para o Brasília Palace Hotel, no tamanho 11 cm x 11 cm e os reproduziu em peças de 15 cm x 15 cm no restaurante Dalva e Dito, do chefe Alex Atala, na capital paulista.

Serviço

Calu Fontes arquiteta e designer
Rua Luis Anhaia, 91, Vila Madalena – São Paulo (SP)
Tel: (11) 3034-0352

Flávia Del Prá ceramista e designer têxtil
Tel: (11) 7130-5372

Cemitério dos Azulejos
Av. Celso Garcia, 5635, Tatuapé – São Paulo (SP)
Tel: (11) 2296-0859

Fundação Athos Bulcão – Fundathos
Tel: (61) 3322-7801
 fundathos@fundathos.org.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.