Construções de mais de 2 mil anos fazem da capita italiana um roteiro imperdível

O Coliseu é uma das contruções imperdíveis em Roma
Divulgação
O Coliseu é uma das contruções imperdíveis em Roma
Para quem decidiu visitar Roma, na Itália, uma boa notícia: o Centro Histórico é compacto, o que permite ver todos os pontos turísticos em um fim de semana. Há fontes cinematográficas, museus e diversos monumentos.

“As construções contam a história do local. É muito interessante fazer parte de outras épocas, basta olhar as construções que permanecem por ali”, afirma o arquiteto Saul Vilela.


Uma delas é o Coliseu, construído há mais de 2 mil anos por ordem do imperador Flávio Vespasiano. Seus traços representam a arquitetura clássica romana, com arcos decorados, fachada compostas por travertino (rocha calcária extraída na região) e colunas de concreto revestidas com alvenaria. As arquibancadas eram feitas com mármore e acomodavam mais de 50 mil pessoas que assistiam a lutas de gladiadores.

Com o passar dos anos e depois de sofrer com diversos terremotos, o ponto turístico teve de passar por reformas. Atualmente, apenas 40% do Coliseu permanece intacta, como os corredores que conduziam os visitantes às arquibancadas.

Inclua no roteiro

Projetada por Nicola Salvi, a Fontana di Trevi é um dos pontos turísticos mais visitados
Getty Images
Projetada por Nicola Salvi, a Fontana di Trevi é um dos pontos turísticos mais visitados
Um programa imperdível é visitar a Fontana di Trevi, planejada pelo arquiteto romano Nicola Salvi. Entregue em 1762, a fonte foi inspirada no estilo barroco, com esculturas mitológicas, como o Netuno esculpido pelo artista Pietro Bacci, e elementos feitos com mármore branco.

Conta com 520 m² e tem como pano de fundo o Palácio Poli, que possui pilares imponentes e um charmoso pórtico. É ponto de parada obrigatória dos turistas, que vão até o local jogar uma moeda sobre as águas, fazer pedidos especiais ou simplesmente relembrar uma das cenas do filme La Dolce Vita, do cineasta Federico Felini.

Vale saber

Dentro de Roma está o Vaticano, menor país do mundo. Concentra um importante acervo de arte sacra e possui diversas igrejas. Uma delas é a San Pietro in Vincoli, que abriga Moisés, uma das mais belas esculturas de Michelangelo (ele demorou cerca de 40 anos para terminá-la). A edificação foi construídas no século 5 e conta com cinco arcos na fachada, característica típica da arquitetura romana.

Outra opção é o conglomerado de museus (Musei Vaticani) repleto de basílicas e instituições culturais com coleções de arte dos antigos pontífices.

Inaugurado em maio de 2010, o museu Maxxi é uma obra prima de Zaha Hadid
Divulgação
Inaugurado em maio de 2010, o museu Maxxi é uma obra prima de Zaha Hadid
As construções apresentam características barrocas, como fachadas exuberantes revestidas com mármore e ornamentos de gesso. Destaque para a Capela Sistina, que possui afrescos no teto encomendados a Michelangelo, em 1508.

Uma de suas portas leva à Basílica de São Pedro, idealizada pelo arquiteto romano Bramante, em 1506. Ela levou 120 anos para ficar pronta e os desenhos originais sofreram diversas alterações feitas por papas e arquitetos da região.

O principal destaque arquitetônico é a cúpula adornada por 340 estátuas de santos, mártires e anjos.

Fica a dica

Em meio a construções históricas, uma edificação feita com concreto e linhas retas se destaca. É o Museu Nacional das Artes do Século 21 (MAXXI), projetado pela arquiteta iraquiana Zaha Hadid e inaugurado em 27 de maio de 2010. É o primeiro local destinado à arte contemporânea do País e fica ao Norte da Vila Borghese, em Roma.

A edificação é marcada por pavimentos que se entrelaçam e paredes curvas. O concreto foi deixado aparente e é complementado por diversos panos de vidro que permitem a entrada de luz natural nos espaços.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.