Divisórias e revestimentos ajudam a preservar a independência dos espaços, mesmo sem paredes

Dar um ar acolhedor, moderno e prático ao apartamento paulistano de 75 m², ocupado eventualmente por um casal de 60 anos, que mora no Sul do País, era a proposta do escritório In House. Para isso, madeira, tapetes e cortinas entraram em cena.

Com salas e cozinha integrados, era preciso criar espaços para abrigar a adega, a televisão e os equipamentos de trabalho e lazer. A solução veio em forma de uma grande estante que cobre toda uma das paredes da sala, e possui espaços específicos para cada uma das necessidades dos moradores. “Cada canto dela possui uma função”, explica a designer Betina Barcellos.

Para receber os filhos, que às vezes vêm a São Paulo junto com os pais, a designer optou por ter um sofá-cama na sala. “Também fizemos uma porta de correr no quarto para ampliar ainda mais o ambiente quando o casal está sozinho e dar privacidade quando tem mais gente em casa.”

Com quase todos os ambientes integrados, ficou por conta dos revestimentos ajudar a delimitar os espaços. Na cozinha, o piso de madeira que reveste todo o apartamento dá lugar a um piso frio branco – de fácil manutenção – e na sala de jantar, um barrado de madeira no teto indica que se entrou em uma área ainda mais íntima.

Confira outras matérias sobre aproveitamento de espaços pequenos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.