Arquiteto francês assina projeto de edifício à beira do rio Hudson, com apartamento de US$ 22 milhões

Acostumado a conviver com artistas e estilistas, o bairro nova-iorquino de Chelsea está vendo sua paisagem ser modificada também pela mente inquieta de arquitetos e designers premiados.

Depois do prédio comercial projetado por Frank Gehry ficar pronto às margens do rio Hudson, em 2007, chegou a vez de uma obra do festejado arquiteto francês Jean Nouvel – responsável, entre outros, pelo projeto do Instituto do Mundo Árabe, em Paris – fazer-lhe companhia.



O mais novo marco da região abriga 55 apartamentos, com metragens que vão de 150 m² a 200 m², em uma estrutura de 23 andares recoberta por uma inusitada combinação de 1.650 vidros de diversos tamanhos e cores, entrecortados por uma estrutura de aço.

O resultado é uma vista única da cidade a cada morador, dependendo da intensidade e da direção da luz do sol. O efeito da luz externa é reforçado pela superfície brilhante que cobre o piso de todas as unidades, o que também traz um brilho único ao exterior do prédio.

Com opções de ter um a três dormitórios, os apartamentos contam com pé-direito alto, grandes salas com vista panorâmica para o rio, e banheira com design minimalista, com controle de fluxo de água por computador e sensores de temperatura.

Na área comum, seis árvores plantadas em vasos suspensos instalados ao longo do corpo do edifício farão a integração dos ambientes internos com a natureza. Uma piscina que se estende pelo interior e exterior do prédio – podendo ganhar isolamento térmico de vidro nos dias mais frios – também faz parte do projeto.

As unidade estão à venda a partir de US$ 2 milhões. Entretanto, já houve quem decidisse ficar com dois andares inteiros, ao custo de R$ 22 milhões. De acordo com os investidores, 60% do edifício já foi vendido. A entrega da obra está prevista para maio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.