Maricy Borges mostra a importância de se pensar a luz no Loft da Mulher Bem Resolvida

selo

Loft da Mulher Bem Resolvida, desenhado por Maricy Borges para a Casa Cor 2010
Divulgação
Loft da Mulher Bem Resolvida, desenhado por Maricy Borges para a Casa Cor 2010
Mostrar a possibilidade de personalizar o ambiente por meio da iluminação é a proposta de Maricy Borges para o Loft da Mulher Bem Resolvida, projeto da arquiteta para a Casa Cor 2010, evento que começa dia 25 de maio, no Jockey Club de São Paulo.

No espaço multiuso, sem paredes divisórias, a profissional optou por diferentes tipos de luz para delimitar as áreas para receber visitas, preparar refeições, comer, dormir e tomar banho. A cama no modelo dossel foi escolhida, segundo Maricy, para reforçar essa divisão de espaços.

“O que dá unidade ao projeto, de 36 m², é o ripado de madeira com lâmpadas LED embutidas, que percorre todo o teto do loft, e a predominância de rosa e bege”, afirma Maricy. A combinação do LED – que garante uma luz amena com um menor gasto de energia – às cores do ambiente confere um ar aconchegante ao local e ganha reforço da iluminação que vem das paredes e dos móveis.

Paredes

Painéis de lonas tensionadas – material que lembra o vidro opalina – revestem as paredes do ambiente. Por trás delas, lâmpadas embutidas garantem a iluminação indireta.

A opalina aparece de fato nas arandelas que, posicionadas como azulejos de banheiros, demarcam a área do banho. Um jardim vertical, com samambaias e leguminosas, completa o espaço que, de acordo com Maricy, ganhou em profundidade e perdeu em rigidez.

Na área social, a parede é formada por ripas de madeira rústica enfeitadas com maçanetas Papaiz, criadas pela estilista Adriana Barra. “Quis dar um brilho e tornar esta parede mais feminina.”

Móveis

No lado oposto à bancada, a luz vem da estante de madeira com detalhes em laca e prateleiras de vidro, instalada em frente a uma das paredes de lona tensionada iluminada.

A refeição no loft idealizado por Maricy Borges começa com o preparo da comida sobre a bancada de corian translúcido, na qual foram embutidas duas fitas de LED. “Posicionamos uma de cada lado da bancada para garantir a homogeneidade na distribuição da luz”, diz a arquiteta.

A “mulher bem resolvida” na qual foi inspirado o loft serve a refeição em uma delicada mesa de jantar criada pela artista plástica Simone Kestelman. “Gosto de colocar a arte como objeto utilitário”, afirma Maricy. Em vidro colorido, a peça conta também com minilâmpadas.

Automatização e cromoterapia

Um sistema de automação foi interligado às lâmpadas para que elas possam ser ligadas e desligadas em horários pré-determinados.

Há ainda a possibilidade de ajuste das cores da luz emitida pelas lâmpadas, o que reflete a tendência de personalização do ambiente. “Se a moradora quer ler um livro pra relaxar, pode optar pelo azul”, exemplifica.

Serviço:

Casa Cor São Paulo
De 25 de maio a 13 de julho
Local: Jockey Club de São Paulo
Av. Lineu de Paula Machado, 1.075, Cidade Jardim
Horário: De terça a sábado e feriados, das 12h às 21h30
Domingo das 12h às 20h
Ingresso: terça a sexta R$ 35,00
Sábado, domingo e feriados R$ 40,00
Passaporte R$ 70,00

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.