Descubra os prós e os contras de transformar a varanda em um espaço fechado

A instalação do vidro na varanda ampliou a sala do apartamento assinado por Andréa Parreira
Divulgação/ Gui Morelli
A instalação do vidro na varanda ampliou a sala do apartamento assinado por Andréa Parreira
Basta andar pelas ruas das cidades para notar que as varandas estão, cada vez mais, sendo fechadas com vidro . A prática traz diversos benefícios. A área da sala é ampliada, o espaço recebe novos usos e é só fechar as janelas para impedir que a poeira invada o imóvel.

Para quem mora na região Sul do Brasil, a notícia é melhor ainda. “Como faz muito frio por aqui, podemos usar o local o ano inteiro e reunir os amigos sem preocupações com as baixas temperaturas”, afirma a arquiteta gaúcha Liane Etcheverry. Além disso, em muitos casos, a mudança ajuda a valorizar o imóvel. “Só o fato de deixar a sala maior, já contribui – e muito”, diz a arquiteta Andréa Parreira.

Mas, como em tudo na vida, essa opção também tem algumas desvantagens, como a diminuição da circulação de ar nos ambientes em até 50%. “Neste caso, será fundamental abrir as varandas para ventilar todos os dias, pelo menos um pouquinho”, diz Liane.

Outra característica que pode pesar na decisão é o preço do material. “É uma solução cara”, alerta Andrea. No entanto, segundo ela, há diversas alternativas que ajudam a não estourar o orçamento. “É possível fazer um acordo com todos os moradores do prédio e diluir o valor no condomínio ”, afirma.

Entretanto, antes de dar início à obra é imprescindível consultar a legislação do condomínio para saber se o fechamento é permitido e quais são as especificações do material que poderá ser usado para que se mantenha o mesmo padrão estético. “Se os moradores usarem modelos e cores diferentes a beleza da fachada ficará prejudicada”, afirma Andréa.

Outra etapa importante é a escolha do tipo de vidro. “O temperado com 10 mm é sempre a melhor opção. Os incolores e transparentes são ideais, pois permitem plena visibilidade”, indica Liane.

O sistema mais recomendado, de acordo com Andréa, é o deslizante com freio integrado. “É o que garante maior resistência e, principalmente, segurança . Mas é importante procurar profissionais especializados para instalá-lo”, diz.

Um novo espaço

A parte mais divertida da história é decorar a nova área. Ela pode ser uma extensão da sala, um ambiente gourmet ou quem sabe um local para ginástica .
“Há diferentes possibilidades de uso. É possível apostar na integração total , nivelar o piso e tirar os caixilhos existentes, ou apenas dar vida a um espaço novo, pois o vidro permite a colocação de móveis feitos com diferentes materiais”, orienta Andréa.

Realizar manutenção periódica também é fundamental. “Use um pano limpo e água. Essa combinação basta para deixar tudo limpinho e valorizar a sua casa”, conta Carolina Sanchez, do departamento de marketing da União Brasileira de Vidros (UBV).


Serviço:

Andréa Parreira
Tel: (11) 7802-2174/9262-3362

Liane Etcheverry
Tel: (51) 3332-9638/9963-1371

União Brasileira de Vidros (UVB)
Tel: 0800-709-0710

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.