Na residência de 1.200 m², a designer Giseli Koraicho criou ambientes aconchegantes para que a família se mantivesse sempre unida

Na casa de 1.200 m², em Alphaville, na Grande São Paulo, projetada pela designer de interiores Giseli Koraicho para um casal de empresários e seus dois filhos, de 16 e 19 anos, o objetivo principal era não deixar ninguém isolado ou perdido pelos ambientes. Para isso, não hesitou em colocar vidros, derrubar paredes e deixar vãos livres para integrar os espaços e manter a família sempre unida.

Leia também: Jardim iluminado

Em clima intimista, ambiente aposta em cores quentes nas almofadas, uso de madeira no piso e na presença do tocheiro
Divulgação/ Marcio Desperatti
Em clima intimista, ambiente aposta em cores quentes nas almofadas, uso de madeira no piso e na presença do tocheiro
Criar soluções práticas e funcionais na arquitetura e na decoração, bem como garantir o conforto nos espaços de convivência foram prioridade no planejamento. Tamanha preocupação pode ser identificada logo no lounge , integrado com a varanda e o jardim. Neste local, há um clima intimista, revelado pelas cores quentes das almofadas, pelo uso de madeira no piso e pela presença do tocheiro da Construflama. Com o objetivo de deixar o ambiente ainda mais charmoso, a arquiteta aproveitou a parede de oito metros de altura, próxima ao local, para fazer uma cascata iluminada por lâmpadas LED, que se integra a um espelho d’água.

Ainda na área externa, uma piscina de 33 m² com ofurô aquecido a gás preenche o cenário. No jardim, a família desejava plantas tropicais, então a designer abusou de palmeiras, bambus e orquídeas, sem esquecer-se de árvores frutíferas como jabuticabeira e pitangueira. Detalhista, Gisele também incluiu pergolados e jardins verticais no local, todos com cuidadoso projeto de iluminação para que ganhassem ainda mais brilho durante a noite.

Integração como regra

No projeto de Alphaville, a designer de interiores abusou de recursos que ampliassem ainda mais as dimensões, como espelhos e vãos livres no living e na sala de jantar integrados. Para que a grandiosidade não tornasse os ambientes frios, cortinas com cores quentes foram providenciadas para contrastar com os tons claros das almofadas e dos pufes de seda. No estofado de chenille procurou uma tonalidade neutra e finalizou a decoração com peças de design assinadas por Verner Panton e Arne Jacobsen.

Living integrado à sala de jantar possui decoração harmoniosa com tonalidades quentes e neutras
Divulgação/ Alexandre Dotta
Living integrado à sala de jantar possui decoração harmoniosa com tonalidades quentes e neutras
“Também colocamos uma lareira a gás em mármore travertino no local. E, apesar de televisores não serem muito comuns em livings, como a família fez a exigência, resolvemos apostar em um vidro refletente da cor bronze para encobrir o aparelho quando não estivesse ligado”, diz.

Separadas apenas por uma porta corrediça de laca branca com faixa em madeira nogueira, as salas de jantar e de almoço também podem ser integradas quando houver necessidade. Na cozinha, uma ilha com bancada de granito preto com equipamentos embutidos garante funcionalidade e elegância ao espaço.

Conforto ao extremo

Mas a grande solução arquitetônica criada por Giseli aparece no aconchegante home theater , onde uma faixa preta que se estende do teto até as paredes centrais chama a atenção. “Este local foi muito trabalhoso porque tinha uma viga no teto e precisaríamos rebaixar a estrutura; para não fazer isso, criamos a faixa”, afirma. “Depois, inserimos 300 pontos de LED, que deram a impressão de céu estrelado”, diz a profissional.

Na decoração, cortinas vermelhas, cores pastel e tapete Shaggy. Com destaque para o confortável sofá Brentwood e a poltrona Charles Eames.

Acompanhe mais novidades de arquitetura no Twitter do Delas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.