Conheça soluções econômicas e práticas para transformar todos os ambientes sem ficar no vermelho

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508111924&_c_=MiGComponente_C

Decorar a casa e deixá-la aconchegante pode sair caro, mas só se você quiser. Existem soluções baratas e práticas para transformar todos os ambientes. Para isso, as arquitetas e decoradoras Beatriz Dutra, Mary Ane de Azevedo, Cecília Horner Hoe e Samy Dayan selecionaram idéias econômicas que vão deixar sua casa irreconhecível.

Atenção à pintura
Para começar, mudar as cores é uma boa maneira de renovar o visual sem gastar muito. Você pode comprar pincéis e tintas e botar as mãos na massa. Fazendo isso você já muda muito a cara da casa e pode trocar de novo quando quiser, ensina Beatriz Dutra. Mas, não esqueça de pensar bem antes de escolher as cores, para valorizar os ambientes, complementa Cecília.

A escolha dos móveis
Para comprar móveis com pouco dinheiro basta garimpar. É possível encontrar peças com bom design em lojas mais populares e até em comércio de móveis usados. Mas, não adianta procurar os antiquários. Aí o preço sobe muito, indica Beatriz. E Mary reitera: Entre os usados, muitos são assinados por designers famosos. Pesquise!.

Reforma dos móveis
A primeira coisa a se pensar é se vale a pena recuperar esse móvel. Veja se ele está em condições de receber uma reforma e se o desenho dele é interessante, diz Cecília. Depois disso, você pode fazer uma pintura sólida, com pincel, se for menos experiente. Os mais habilidosos podem tentar uma pátina. É fácil achar na internet técnicas para transformar a mobília.

Truques com gesso
O gesso é uma opção barata que dá para fazer muita coisa. É possível rebaixar o teto ¿ que dá um charme ¿ e, com isso, mudar a iluminação, instalando lâmpadas embutidas, por exemplo. Além do uso habitual do gesso, podemos construir estantes e montar armários com ele. Sai bem mais barato do que comprar um móvel e fica muito bonito, ensina Beatriz. Sany dá outra idéia: A parede de gesso é perfeita para quem quer mudar a divisão ou criar cômodos dentro de casa. Não faz muita sujeira, nem barulho e, numa próxima reforma, é muito mais fácil retirar uma parede como essa do que uma feita de tijolos.

Portas e janelas
Para não precisar trocá-las, você pode pintar e substituir as fechaduras ou feixes. Caso você possa investir um pouco mais, mude a moldura delas. Se forem de madeira e não estiverem empenadas, rachadas e carcomidas, um marceneiro habilidoso conseguirá recuperá-las. Se forem de ferro, devem receber um tratamento antiferrugem, antes de receber o acabamento, aconselha Mary. Samy lembra que existem, também, profissionais especializadas em reformar peças de alumínio, e continua mais em conta do que comprar tudo novo.

Não esqueça o sofá
Trocar o tecido é bem mais barato do que comprar outro móvel. Se não quiser gastar nem isso, existem mantas lindíssimas e capas muito boas, como as de sarja, ensina Beatriz. Cecília dá mais uma idéia dizendo que, além do aspecto, é possível ter até o conforto de volta. Com a troca das espumas, você recupera a maciez gastando bem menos do que comprando um novo.

Almofadas não são um detalhe
Se você não tem sofá, tudo bem. Jogue almofadas no chão, de tamanhos e formatos diferentes. As estampas e cores não precisam (nem devem) ser todas iguais, mas, cuidado! Elas devem combinar para que fique harmonioso, diz Beatriz. Mary completa: Utilize as mais estruturadas, como futons. Você pode colocá-las sobre um estrado de madeira, assim terá um lugar bonito e ótimo para relaxar.

O aconchego do quarto
Comprar uma colcha nova já melhora muito o visual. Caso não queira, você pode usar aquele xale colorido antigo que está no armário para cobrir os lençóis, cria Cecília. Outra sugestão é encher a cama de almofadas, que não custam caro. Além disso, a dica de reformar móveis também vale para os guarda-roupas e criados-mudos. Trocar os enfeites, quadros e a cúpula do abajur também já mudam bem o ambiente, diz Beatriz.

Preste atenção às cortinas
Como costumam ser caras, você mesma pode comprar o tecido e costurar. Você vai precisar criar um jeito de pendurá-la no varão. Existem duas opções: uma delas é colocar os ilhós. A distância entre eles deve ser de 25 centímetros. Outra opção é usar o próprio tecido para fazer argolas, respeitando a mesma distância, ensina Beatriz.

Tapetes também fazem parte
Para Beatriz, o tapete com melhor custo benefício é o Sea-grass, uma fibra que vem do fundo do mar. Além de barato, é muito resistente e combina com qualquer ambiente: do clássico ao moderno. Mary e Cecília lembram dos tapetes artesanais podem ser encontrados com preços bastante razoáveis em feirinhas. 

Cuidado com os azulejos
A idéia de Beatriz para dar um jeitinho nas paredes azulejadas é passar massa acrílica sobre elas (mas, antes, devem ser desgastados, para que a massa fixe) e pintá-las. Se não sentir segurança para fazer isso, contrate um pedreiro. Ao menos você terá economizado (e muito) no material.  Isso não pode ser feito próximo ao chuveiro. Caso seu problema seja o banheiro, troque os azulejos do box e atrás do vaso sanitário até um metro de altura. Depois, pinte o restante. Se for na cozinha, a pintura já basta.

Escolha as torneiras
Se os metais forem de boa qualidade, você pode trocar apenas o acabamento ou mandar cromá-los. Dá um pouco de trabalho, mas sai mais barato do que mudar todos, afirma Beatriz.

Vasos embelezam e dão vida
A dica de Cecília e Mary, para encerrar, é investir em plantas. Sempre coloque um vaso, mesmo em espaços pequenos. Numa varanda de apartamento, você pode fazer um canteiro de ervas aromáticas, que  é cheiroso e útil, diz Cecília. Um vasinho de orquídeas fica lindo no banheiro. E, se o espaço for realmente muito pequeno, um solitário resolve. Mas tenha uma sempre plantinha por perto, finaliza Mary.


Leia mais sobre: decoração

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.