Marco de Niemeyer no centro de São Paulo nunca foi seu projeto preferido

Projetado em 1951, para a comemoração dos 400 anos de São Paulo, o edifício Copan só foi concluído dez anos depois. Sua forma sinuosa, com a fachada marcada pelos brises-soleil característicos da obra de Niemeyer, “quebrou” o ângulo reto que predominava no centro da cidade.

A forma sinuosa do edifício Copan se destaca no centro de São Paulo
AE
A forma sinuosa do edifício Copan se destaca no centro de São Paulo
“Até então, a capital paulista era dominada pelo estilo eclético, construído com o dinheiro das lavouras de café”, afirma Walter José Ferreira Galvão, estudioso da obra do arquiteto.

Inspirado no Rockefeller Center, em Nova York, o projeto previa um grande centro comercial e de lazer, além das residências. Originalmente, seriam 900 apartamentos, mas hoje eles somam 1.160 unidades, de diferentes tamanhos.

Um dos principais marcos de São Paulo, o Copan nunca esteve entre as obras preferidas de Niemeyer. “Ele fala pouco sobre o Copan porque ele é a antítese das convicções políticas que sempre teve. Niemeyer é um comunista convicto e este era um projeto encomendado por uma construtora, em um período de efervescência do mercado imobiliário paulistano. Mas não há como negar que esteticamente o prédio tem o carimbo do mestre”, conclui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.