Com uma única parede a menos e novos revestimentos, apartamento da década de 70 ganha ares modernos

A iluminação abundante vinda das grandes janelas que iam de parede a parede em todos os cômodos foi o motivo que me levou à compra deste apartamento de 87 m², em São Paulo. Mas o imóvel, com mais de 30 anos de vida exigiria reformas. Os vazamentos na cozinha e banheiros escancaravam a necessidade de troca do encanamento, os azulejos com padrões antigos davam ar triste aos ambientes e os armários clamavam por modernidade.




Junte-se a isso minha paixão em receber os amigos para longos almoços, que invariavelmente dividia a turma entre a cozinha e a sala. Era incômodo não poder participar das conversas da sala ou privar algumas pessoas, ainda que temporariamente, do outro ambiente.

Cinco anos após a compra, finalmente surgiu a oportunidade de dar vida nova à casa. Os alvos principais, a cozinha e o banheiro social . O prazo – cumprido –, apenas um mês. A primeira medida foi colocar abaixo a parede que separava a cozinha da sala, dando espaço a um salão de 32 m². O que exigiu o fechamento da área de serviço , antes aberta para a cozinha, que chegava a invadi-la com armários. Para manter a luminosidade lateral, uma porta de vidro jateado com folha de correr foi providenciada.




Como optei por não trocar o carpete de madeira que originalmente cobria o chão da sala – o que implicaria na mudança do piso de todo o restante da casa – a solução foi procurar um revestimento que não destoasse do todo, mas que, ao mesmo tempo, ajudasse a delimitar os espaços. A opção foi por um porcelanato em tom de cimento queimado com grandes dimensões (60 x 60 cm) para reforçar ainda mais a sensação de amplitude.

Trocados todos os encanamentos, a bancada da pia passou de 1,10 m para 1,65 m, agora com tampo em granito São Gabriel. Ao lado desta foi instalado o fogão, com direito a móvel lateral de apoio, com porta-temperos embutido. Acima, o armário planejado acomoda o forno de micro-ondas. Na parede de fundo, um mosaico de azulejos comprados em cemitério de azulejos dá o toque final de modernidade e alegria ao conjunto em branco e preto, que ainda conta com teto laranja.


Outro detalhe criado com a reforma foi uma lousa, formada a partir da eliminação da porta de serviço existente na cozinha e nunca era usada por ser muito próxima à social. Bastou fechá-la com massa corrida, alinhá-la à parede, eliminar batentes e ferragens e dar-lhe uma camada de tinta esmalte fosco na cor verde. O que antes era um espaço inutilizado deu lugar a cantinho charmoso para recados e receitas.

Banheiro mais iluminado

No banheiro , a principal mudança veio com a mudança de posicionamento do vaso sanitário – antes espremido entre a pia e um armário de canto – que permitiu a ampliação da bancada, agora com tampo em mármore branco e lavatório semi-embutido. Para trazer maior privacidade, sem perder a luminosidade natural, o vitrô ganhou vidros foscos com basculante na parte superior.

Com revestimentos antigos, o banheiro tinha ar triste. Após a reforma, mais luminosidade e vida
Juliana Bianchi
Com revestimentos antigos, o banheiro tinha ar triste. Após a reforma, mais luminosidade e vida
O box branco transparente acompanha a mudança e permite a visualização da parede pastilhada em tom de lilás, que dá continuação ao barrado na altura da pia. Um nicho cavado na parede do chuveiro armazena xampus e sabonete. Sobre a pia, um espelho retangular recobre toda a parede e traz maior amplitude ao ambiente .


Acompanhe as novidades do iG Casa também pelo Twitter do Delas .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.