Saiba como realizar o sonho de viver na copa das árvores sem abrir mão da segurança e do conforto

Ter uma casa na árvore deixou de ser um sonho de criança. A ideia, que antes fazia parte apenas das histórias infantis, agora é realidade. E não pense que as construções são pequenas, improvisadas e não oferecem conforto. Pelo contrário, são amplas e bem planejadas por empresas especializadas no assunto. Um bom exemplo é a paranaense Casa na Árvore Construções Especiais, criada por Ricardo Brunelli e amigos de infância para realizar um desejo que não era só deles, mas de muitas pessoas que algum dia sonharam em viver nas alturas.

O primeiro passo para dar início à obra é escolher o exemplar de árvore que irá receber a morada. A espécie deve ser adulta e ter copa com aparência saudável, volumosa e cheia. “Se tiver ramificações, prefira as em formato de U”, recomenda Brunelli. O tronco deve ter casca grossa, ser resistente e forte.

Se duvidar da saúde da planta, não pense duas vezes e procure biólogos, ecólogos, agrônomos ou engenheiros florestais para se certificar de que sua base de apoio é saudável e segura. “Órgãos competentes como o Departamento de Proteção da Reserva Natural (DEPRN) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), entre outros, também devem ser consultados para não se correr riscos”, ressalta o arquiteto André Einselohr.

Para construir uma casa na árvore, a espécie deve ser adulta e ter copa saudável, volumosa e cheia
Divulgação
Para construir uma casa na árvore, a espécie deve ser adulta e ter copa saudável, volumosa e cheia

Analisar o terreno é outra medida imprescindível, pois o lote precisa ser seco e firme. “Essa característica proporciona raízes fortes que não apodrecerão facilmente”, explica o profissional. Araucárias e figueiras são mais resistentes e podem abrigar construções maiores. Agora se a árvore tiver um tronco fino, vale realizar a construção apoiada em duas espécies para garantir total segurança e estabilidade.

E lembre-se: é fundamental ter bom senso. “Dimensione bem a construção para que não haja sobrecarga na árvore e não comprometa a segurança de todos que irão aproveitar o espaço”, diz Brunelli. Depois que a estrutura estiver pronta, evite o uso de massa convencional para revestir as paredes . “O material proporciona sobrepeso. Prefira o isopor”, alerta.

A partir daí, vale deixar a criatividade tomar conta e decorar sua morada na árvore do jeito que você sempre quis. Só não esqueça de tomar cuidado com o exemplar para preservá-lo. “Esta é uma ótima alternativa para evitar o corte de espécies e incentivar a sustentabilidade ”, diz a arquiteta Karla Cunha.


Confira itens básicos para a construção do lar-doce-lar nas alturas:

- Hidráulica: é possível construir uma caixa d’água acima do nível da casa, ou até mesmo uma bomba de recalque, o que evita sobrepeso na estrutura.

- Instalação elétrica: é preciso ter muito cuidado nessa etapa. Os fios devem ser encapados com conduítes, tubos de PVC espessos ou outros materiais resistentes. Essa medida ajuda a proteger dos pássaros, que podem bicá-los e ocasionar curtos-circuitos.

- Esgoto: é possível instalar um sistema tradicional, acompanhado de uma estação de tratamento (investimento de cerca de R$ 3 mil). Também vale optar por um banheiro seco, com palhas e folhas para cobrir os dejetos, que se transformarão em adubo.


Serviço:

André Eisenlohr
Email: andre.eisenlohr@gmail.com

Casa na Árvore
Tel.: (43) 9151-4270

Karla Cunha
Tel.: (11) 3020-9900

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.