A estilista carioca Marcella Virzi foge do óbvio em seu apartamento na Lagoa, Rio de Janeiro, ao optar por ambientes cheios de arte e design

Sofisticado sem deixar de ser confortável. Moderno, sem abrir mão de peças clássicas. A palavra de ordem na decoração do lar de Marcella Virzi é pluralidade. Referências artísticas e culturais são o ponto de partida da estilista para dar forma ao apartamento de 180 m², localizado no bairro da Lagoa, Zona Sul do Rio.



“A casa deve ser o reflexo de quem mora nela, não do gosto do decorador. A estética que escolhi mostra a maneira pela qual me manifesto. Os livros que tenho revelam os assuntos que me interessam. Minha decoração é viva e está sempre em transformação.” E não por acaso.

Desde o nascimento de seu único filho, Antonio, de três anos, os móveis foram arrastados e os espaços ampliados para que ele pudesse correr pela sala livremente. “Ele detonou todos os estofados, porque dou liberdade. Quando reformar, minha casa vai mudar outra vez”, diz a estilista, que já teve pelo menos três decorações diferentes.

Casa mutante

A primeira decoração da casa foi comandada pela arquiteta Fátima Brizola e pelo decorador Ovídio Cavalleiro, que investiram em espaços amplos e peças cheias de personalidade e história. Com o tempo, elas ganharam a companhia de peças antigas, obras de arte, livros e objetos de design que interagem com o ambiente, criando um convite ao olhar, às sensações.

“Algumas garimpei em viagens, outras adquiri em leilões e antiquários”, diz Marcella, que gosta de desafiar o convencional com objetos simétricos, resistentes e pesados.

Bancos assinados por Philippe Starck; luminárias de Ingo Maurer; a cadeira Egg, de Arne Jacobsen; a tela de coração holográfico, de Hildebrando de Castro, dividem harmoniosamente o ambiente com peças estilo Império.

Alguns itens ganham novas funções. É o caso da exótica luminária dos anos 70 – feita para o piso, mas instalada na parede – que fica sobre o móvel de madeira que serve de apoio para uma escultura art déco.

Espelhos instigam o olhar

Todos os objetos de arte podem ser visto através de diferentes ângulos com a ajuda dos diversos espelhos instalados na sala em L, dividida em ambientes pelas cores na parede.

Entre as obras de arte, uma peça especial. “Em uma viagem, vi o trabalho de um artista sueco, se não me engano, que reproduzia uma Gilette em metal. Voltei para casa e reproduzi a peça, mas espelhada”, diz a estilista, que colocou a obra na parede que fica em frente à porta de entrada do apartamento.

Aos 43 anos, nove no atual endereço, Marcella costuma festejar suas conquistas na vida e na profissão na companhia das duas yorkshires, Carolina e Sofia, ou saboreando o silêncio de uma boa leitura. Entre as obras mais buscadas na ampla estante estão os livro de história da moda, filosofia e as poesias de T.S. Eliot.

“Meus livros estão todos na ativa. Tudo o que se manifesta no mundo material é uma expressão do indivíduo, por isso sei que a minha alma está estampada em cada cantinho deste lugar”, diz ela, que não tem um espaço especial de leitura, mas concentra a maioria das obras no nicho de cimento aparente, criado na parede em frente à cozinha americana.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.